Marcus Flavius Damasceno

Membros
  • Total de itens

    8
  • Registrou-se em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

Marcus Flavius Damasceno ganhou o dia pela última vez em 18 de junho

Marcus Flavius Damasceno teve o conteúdo mais curtido!

Sobre Marcus Flavius Damasceno

  • Rank
    Estou chegando agora...
  1. Quando eu tinha um Air de 11 foi o Mountain Lion. Hoje que estou num Pro 2016 de 13 é o sistema atual.
  2. Tive um 11 por muitos anos e no caso do monitor externo, ou ficava a tv em 1920x1080 e o Mac na sua resolução de 1388x alguma coisa que não me lembro mais, ou ficava os dois na resolução do Mac. Nunca vi ficarem ambos em 1080.
  3. Tenho um Air 2 de 64 e no meu o ios 11 beta 3 está bem redondo. O 2 também não estava mal. Eu tentaria primeiro um hard reset pressionando o home e Power em conjunto. Se não resolver e você tiver um backup feito no IOS 10, restaure o iPad do zero para o IOS 10 e deixe o 11 para lá. Se não tiver o backup, aí terá de formatar o iPad como um novo iPad no ios 10 e configurá-lo inteiro novamente. Boa sorte.
  4. Quanto a explicação das portas acho que o assunto já está resolvido aqui, mas gostaria de dar uma sugestão, válida se você for comprar o notebook no exterior. Eu saí de um MacBook Air 11,6 late 2010 para um MacBook Pro 13 2016 non touchbar e estou me virando muito bem com as duas portas usb-c dele, mais o dongle HDMI da própria Apple, mas eu praticamente não uso periféricos. Seu uso, por outro lado, envolve a utilização de diversos periféricos, inclusive músicais. Se eu fosse você estudaria comprar um macbook pro da geração anterior, que tem peso somente um pouco maior que o atual e desempenho só um pouco pior, mas tem uma grande bateria e ainda usa o Magsafe. Se comprar refurbished da própria Apple poderá conseguir grandes descontos por uma máquina bem parruda. Com certeza ele vai te satisfazer em desempenho, vai ser compatível com tudo o que você já tem e terá toda a garantia da Apple, inclusive com possibilidade de aquisição do Apple Care. Eu optei pelo novo MacBook Pro principalmente pelo peso aliado ao desempenho. Antes dele ser lançado eu iria para o MacBook de 12, já que portabilidade é primordial para mim, No seu caso, com tantos acessórios, não sei se 300 gramas de diferença no peso fariam tanta diferença assim. O MacBook Pro da versão anterior ainda é muito bonito, eficaz, e tem o teclado que todos estamos acostumados, além do magsafe, como dito. Espero ter colaborado.
  5. Obrigado pela dica, mas agora cheguei em uma solução confortável e vou parar de ficar quebrando a cabeça pro Mac funcionar no PJE. Com a solução do Parallels estou 100% satisfeito. A torcida mesmo é que todos os tipos de PJE um dia sejam compatíveis com dispositivos móveis IOS e Android, que são a maioria dos computadores de hoje, além de estarem sempre a mão.
  6. No meu Mac não funcionava direito o STJ e o TJMG de 2ª instância. Resolvi da forma mais simples. Primeiro instalei o Windows 10 pelo bootcamp. Depois, insatisfeito com ter de fazer log out de um sistema para acessar o outro, instalei o Parallels 12 usando a partição do bootcamp e a vida ficou muito boa e fácil. O melhor dos 2 mundos. Recomendo essa configuração para qualquer um que precise do Windows por qualquer motivo. Como não sou bairrista e também sempre usei o Windows, resolveu completamente a minha vida.
  7. É o que digo, não fosse pelo PJE - que acaba te obrigando a ter o Windows instalado no MAC para não ter problemas - dava para fazer quase todo o meu serviço no iPad em conjunto com um teclado. Mas o PJE torna impossível abandonar o Windows. Nem o MAC com ele funciona perfeito.
  8. A pergunta é abrangente, de modo que a resposta não tem como ser sucinta. Já tive o iPad original, o 3, o Mini 2 e, atualmente, tenho o Air 2. Uso o iPad desde 2011 e hoje, com certeza, é o dispositivo de tecnologia que mais uso. Pessoalmente, uso 70% o iPad, 15% o Iphone, 10% meu Macbook Pro 2016 de 13 e 5% meu desktop. Profissionalmente, o iPad ainda conta uns 40% do meu uso. Dito isto, de alguém que realmente usa e gosta do iPad, afirmo que há tempos a linha de produtos não estava tão clara. O iPad Mini é muito bom para consumir conteúdo, mas bem fraquinho na hora de produzir conteúdo. Até mesmo responder e-mais nele dava preguiça. Sua experiência ficou muito próxima da do iPhone Plus, de modo que a Apple faz bem em deixá-lo ir. O iPad 2017 é o tablet em essência, voltado para o consumidor de conteúdo e que, ocasionalmente vai produzir alguma coisa nele. Tem bom peso, excelente processador, boa tela, câmera e um preço justo. É o iPad para a maioria das pessoas. O iPad Pro de 10,5 é aquele para quem vai produzir conteúdo nele constantemente, seja anotações, trabalhos gráficos, fotográficos e até vídeos, mas que ainda terá o iPad como dispositivo secundário e não principal. O de 12,9 é para quem quer produzir conteúdo e fazer do iPad seu dispositivo principal, ou talvez até mesmo dispensando totalmente os PCs, aí incluídos os MACs. No meu caso, que sou advogado, o iPad de 12,9 e até mesmo o de 10,5 daria para ser meu computador principal, não fosse pela necessidade de utilização de certificado digital tipo A3, que ele não suporta. De resto, dá para tranquilamente fazer 90% do meu trabalho em um - com conforto e sem muitos quebra-galhos. Então ficamos assim: o de 9,7 é para a maioria das pessoas que quer consumir conteúdo com excelente qualidade e conforto. O de 10,5 é para quem quer trabalhar de verdade nele, mas sem abrir mão do PC. O de 12,9 é para quem quer um telão para fazer trabalhos de edição gráfica ou quem realmente quer abraçar o iPad como alternativa ao PC. Com o IOS 11 ficará mais fácil ainda dar este passo. Espero ter ajudado.