Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

rafaelalvesgb

Membros
  • Total de itens

    164
  • Registrou-se em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    5

Tudo que rafaelalvesgb postou

  1. Só seguir o passo-a-passo de qualquer manual. Tem que fazer uma liberação no navegador. Há nos sites de qualquer TRT, TST. Recomendo esse material para download ou acesso as orientações dessa página do TRT18. Embora as instruções iniciais sejam voltadas para Windows, a configuração em si e os demais procedimentos são exatamente os mesmos. Embora me incomode alguns dos assinadores da JT criarem um atalho do Shodo no Desktop, o que é um pouco chato, de todos os apps para uso de certificado digital, na minha opinião o Shodo foi o mais fácil de instalar. Mais fácil que PJeOffice, WebSigner, WebPKI, Certisign, BRy, etc. Além disso, uso normalmente no Safari.
  2. Também nunca consegui. PROJUDI pra mim é o pior de todos os sistemas. O do Goiás, então, parece ser feito para não funcionar. Legal a dica. Obrigado! Esse é A1 ou A3?
  3. Já tentou o procedimento de desabilitar o csrutil?
  4. Isso. Essa configuração geralmente serve para o PJeOffice. No entanto, o caminho indicado pelo roberktum também serve.
  5. Mas, olha só, @Janssen Nahson e @Stow, não é que consegui fazer funcionar no TCE/CE 🤯🤯🤯?!?!?!?!?!?!?! Eu lembrei de um processo e quis dar uma conferida nele (pra acessar só é preciso do usuário e da senha de login do site). No entanto, tiraram o meu acesso aos autos, porque o processo é sigiloso. Só que eu sou parte e sou o advogado também, hahaha. Daí tive que fazer uma petição para solicitar novamente acesso aos autos. E, pasmem, consegui com uma relativa facilidade. Para funcionar é necessário instalar a extensão do BrySignerWeb (só funciona no Chrome e no Mozilla). Depois de instalar e reiniciar o navegador, o processo todo é bem intuitivo e funcionou normalmente, de forma rápida e prática!
  6. Não é só no Ceará. É a Justiça do Trabalho como um todo. O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) informou, por meio do Ofício Circular CSJT.GP.SG.CNPJe.SETIC Nº 22/2021, que o aplicativo PJeOffice, gerido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e utilizado para assinatura digital de documentos, se tornou incompatível com o sistema PJe da Justiça do Trabalho, conforme noticiado no próprio TRT do CE. Sobre o TCE/CE, @Janssen Nahson pelo que o próprio Tribunal me informou não funciona via macOS, pois o assinador busca arquivos java na raiz "c:/", que não existe no Mac. Só via Windows mesmo (quando necessitei peticionar lá, o fiz por intermédio dos computadores da sala de advogados da OAB do TJ).
  7. @Guedes - Brasília, o tópico foi criado para resolver problema de integração do "Certificado Digital" com o macOS, de forma ampla mesmo, pois a configuração, como bem sabemos, é uma novela e há diversos tipos de incompatibilidades a depender do uso que se dá ao certificado. Então a ideia do tópico é falar sobre "Certificado Digital" no sistema macOS, de modo que todos possam, sem precisar de máquina virtual, usar o próprio macOS para assinar documentos, usar aplicativos, acessar o eCAC e outros sistemas da RFB, bem como de órgãos públicos (incluídos, aí, os sistemas do Judiciário). Veja que a discussão no tópico é ampla: há desde mensagens de configuração dos diversos tipos de certificados existentes, a como usá-los e configurá-los em assinadores digitais, bem como sobre o uso nos diversos sistemas do poder público. No entanto, até pelo fato de os advogados usarem seus certificados diariamente para acessar sistemas do Judiciário e assinar petições, e como são vários os sistemas judiciais, essa categoria acaba sendo a maior parte do público que usa certificado no macOS (incluindo este que vos fala). Então acabamos enfrentando muito mais desafios na operacionalização dos certificados do que outras pessoas. Por isso a discussão do tópico acaba realmente enviesada um pouco para esse lado – mas, como mencionei antes, há de tudo aqui. E isso pode ser proveitoso a qualquer pessoa que use certificado digital no macOS, advogado ou não. Eu concordo 1.000.000% contigo que seria super importante que o Judiciário passasse a aceitar outros tipos de certificados, e de que a OAB deveria realmente fazer pressão para isso ocorrer logo; mas aqui não é o lugar para essa discussão. Creio que o objetivo de todos, aqui, é encontrar soluções práticas para seus problemas e ajudar outros em situação semelhante compartilhando suas experiências e as soluções experimentadas (com sucesso ou não) – até porque nem todo mundo tem condição de ficar gastando dinheiro com vários tipos de certificados só para ir testando o que dá certo ou não. Então acredito que a mensagem do @Stow tenha sido nesse sentido: auxiliar a encontrar soluções aos problemas dos colegas ao invés de apenas defender a adoção do certificado em nuvem (em especial porque realmente muitas de suas mensagens em outras mensagens no fórum são nesse sentido). Acho que ter essa compreensão ajuda a entender o contexto também, inclusive para que o clima permaneça bacana. Esse fórum já me ajudou muito em relação a esse assunto (seja para questões relacionadas à advocacia, seja para outras questões) e acredito que, da mesma forma que fui beneficiado, outros também podem ser. Dito isto, apesar de entender seu raciocínio, tive que abrir a divergência 🤣🤣🤣 Em todo caso, suas intervenções no geral já me ajudaram muito e gostaria que todos pudéssemos continuar contando com elas. Abraços!
  8. @dekmastereu uso a versão 10.2 (10.2.97.0). @Faruolo, o sistema do SEEU é o mesmo do TJPR. O problema é que o applet do Java busca como driver do token o arquivo /usr/local/lib/libaetpkss.dylib . Ocorre que a depender do token, como é o meu caso (SafeNet 5110), o arquivo correto é o /usr/local/lib/libeTPkss11.dylib. Eu entrei em contato com o Tribunal e sugeriram o seguinte: O procedimento não funcionou. Então entrei novamente em contato com o tribunal. Hoje me responderam o seguinte: Fiz o procedimento, mas ainda não deu certo. Vou tentar outras alternativas, mas se quiser fazer o teste, por sua conta e risco, pra tentar, acho que vale a pena (lembrete: salve arquivos e faça backup para se resguardar).
  9. Já está liberado nas Preferências do Sistema (costuma ser aberto um pop up de "Open Anyway" (Abrir mesmo assim) em System Preferences > Security & Privacy > General)? E no Java, os sites já foram indicados para a lista de exceção (Java > Java Control Panel > Security > Edit Site List)? Eu acredito que seja esta última opção o que você precisa resolver. Geralmente eu cadastro os sites tanto com HTTP quanto com HTTPS.
  10. O colega já tentou os passos sugeridos pela Valid, emissora desse certificado? A página de suporte deles é essa aqui: https://www.validcertificadora.com.br/faq-mac Se sim, depois tentou os procedimentos sugeridos nesse tópico? Quais erros aparecem depois de ter feito todas as tentativas? "O certificado não está sendo reconhecido pelo mac" é muito vago. Ninguém aqui item bola de cristal😂. A maioria nesse tópico do fórum é advogado e o que compartilhamos são experiências que deram ou não certo porque sabemos da dificuldade que é esse assunto no universo Apple. Embora um ou outro tenha uma experiência maior, não somos técnicos em informática... Então, em suma, para os outros membros do fórum conseguirem te ajudar, o colega já tem que ter feito tentativas e também relatar o que está acontecendo. Do contrário fica difícil. @Carlos_Alberto, parece que esse programa que eu tenho foi lançado em 2016 e já foi descontinuado. As novas versões da empresa AET Europe parecem ser pagas. Não consegui encontrar link para download da versão que tenho em lugar algum. Também não consegui encontrar o instalador no computador (vou averiguar se tenho em algum backup e aí disponibilizo aqui). Mas aí na página da Valid citada acima existem alguns programas que parecem ser versões dele. Não sei ao certo se são a mesma e se funcionam. Sinceramente não vou fazer nova instalação porque, em se tratando de certificado digital no macOS, não se mexe em time que se está ganhando... Mas se quiser fazer o teste, por sua conta e risco, e depois relatar...
  11. Acredito que isso possa, sim, ser um problema. Veja que no meu caso, acessando o PJe1/TJCE a informação do Java aqui coloca como "Slot:0" No seu caso (pelo vídeo que mandou) consta como "Slot: 52481". Eu sugeriria logar ele pelo Firefox, primeiro, pra ver se dá tudo certo ou se não tem mais de um device cadastrado. Comigo só funcionou quando fiquei com um local registrado. Mas confesso que não sei dar outra solução, por ora. Teria que pensar... com a máquina em mãos ficaria mais fácil explorar soluções.
  12. Em tempo: após fazer o procedimento, exclua os cookies do navegador. Se for o caso, delete os arquivos temporários do Java também:
  13. 1) Certificado A1 fica no próprio computador, só possui validade de um ano e a senha é opcional (mas já vi ser portado tanto para USB comum quanto para token USB). Geralmente é mais usado para empresas (especialmente pra emitir NF), porque é mais simples. Já o A3 pode ser armazenado em token USB, cartões com chip ou nuvem e tem validade de 3 a 5 anos. Muita gente confunde. Então esquenta não. 2) Se o seu PJeOffice está reconhecendo seu certificado, acredito que seu problema seja Java ou Navegador. Infelizmente, em alguns sites ainda é necessário ir no Java para liberar a segurança do site, então tente esse passo a passo: System Preferences > Java (fica na última aba) > Após abrir o painel de controle, vá na aba Security > Edit Site List Por precaução eu cadastro duas vezes: um com HTTP e outro com HTTPS. Mas acho que é só preciosismo meu. Algumas vezes cadastrar só a raiz já funciona, colocando um asterisco (tipo https://*.tjdft.jus.br), mas em outras só o endereço principal mesmo. Em todo caso, prefiro sempre a cautela e a precaução e ter que ter mais trabalho e fazer uma só vez do que ficar na mão depois. O lado bom é que isso geralmente resolve. O lado ruim é que talvez tenha que fazer isso pra todos os sites do judiciário (como eu fiz) – mas se não quiser fazer em todos de uma vez, recomendo fazer, ao menos por segurança (para evitar esse tipo de problema em situações de urgência), nos sites que normalmente acessa e os que pode vir a acessar em instância superior (TJ do seu estado + TRF da região + STJ + STF, bem como nos TRT e TRE se atuar nessa área). Depois de fazer isso, tente novamente. Normalmente isso funciona, especialmente no Chrome (embora eu prefira o Firefox, devo assumir que, no macOS, os sistemas judiciais geralmente funcional redondo nele).
  14. Ah tá. É porque token e certificados são coisas diferentes. O certificado é sua "identidade digital" (ele pode ser A1, A3...). O token é só a ferramenta (isto é, a mídia física). Ou seja, o token suporta tanto certificados A1 quanto A3. Da forma como escreveu ficou parecendo que você pegou 2 token com certificado A1. Mas fiz a pergunta porque aqui você tinha dito que estava funcionando tudo normalmente no PJeOffice: Em todo caso, não cheguei a testar a Valid. Mas é uma opção. Em todo caso, por questões de segurança eu ainda prefiro o token. Mas posso pensar em adquirir em nuvem para assinar com o celular.
  15. Não entendi. O certificado funcionou ou não depois da dica aqui do fórum? Em todo caso, de acordo com o CNJ o PJe só funciona com certificado A3, conforme resposta aberta em chamado, abaixo reproduzida👇: Como você já fez a compra do certificado, solicito a gentileza de registrar aqui se o PJe realmente funciona ou não com o A1. Nós, advogados do fórum, agradeceremos bastante!
  16. ESAJ precisa do WEB PKI. Geralmente no próprio processo de cadastramento ele já aparece para fazer a instalação do arquivo .pkg. É bem tranquilo. Recomendo fazer acesso a algum site desses que usam ESAJ pela primeira vez. Acho que TJSP, TJPR e TJCE usam, mas eu recomendo usar do https://www.e-notariado.org.br (clique em ENTRAR e aí ele já vai fazer a verificação dos requisitos do sistema, se não tiver instalado, ele já te encaminha para o download e fazer a configuração). Se não funcionar depois de instalar o WEB PKI não sei. Em todo caso, tente usar sempre ou o Firefox ou o Chrome. No geral, minha percepção é de que tudo funciona no Chrome. O eCAC é importante excluir os cookies e tentar um novo acesso depois de já configurado o certificado. Geralmente dá certo. O PROJUDI pra mim é uma incógnita. Eu pessoalmente odeio o sistema (acho nada intuitivo, ruim de acessar o processo e as páginas dele, enfim). Eu sei que alguns PROJUDI (como TJGO) funcionam pra mim. Outros, como TJPR não. Então não sei dar dicas do que funcionou pra mim.
  17. Já fez os passos sugeridos anteriormente? No PJeOffice fez a indicação do drive coreto? No caso do TJRS (que usa eproc), pra mim foi só desativar o Avast Core Web Shield que funcionou normalmente. Foi a única arestrição que encontrei até hoje. Tente usar o Adobe ou o Assinador do Serpro e assinar pra ver se está funcionando. Pode ser que a SecureHTTPServer seja apenas a certificadora. Mas tem que confirmar. Pela imagem que você colocou, o Token já está registrado duas vezes no Firefox. Só clicar num dos "SafeNet eToken 5100" e fazer o login. Se não funcionar, aí realmente pode ser problema do driver. Em todo caso, me parece que o nome do arquivo do módulo que você está usando na imagem está no seu diretório de usuário... não é lá que ele deve ser indicado, e sim em /usr/local/lib/DriverCorrespondenteAoToken.dylib Funciona normalmente no Windows. No macOS é como alguém informou aí: roleta russa (no geral dá certo, mas sempre tem uma chance de não funcionar). Pelo que vi no fórum e com outros colegas, os tokens 5100 e 5110 são os que mais funcionam adequadamente no macOS. Em todo caso, o GD Burti não tem sido compatível com o macOS, embora eu já tenha visto um ou outro colega fazê-lo funcionar.
  18. Conselho de amigo: volta lá na certificadora e pede pra colocar o certificado em um SafeNet 5110 ou 5100. GD Burti não funciona em macOS desde o High Sierra.
  19. Vá em PJeOffice > Configuração de Certificado > PKCS11 > Adicionar Em seguida, indique um dos drivers sugeridos em mensagens anteriores aqui nesse tópico mesmo (normalmente o /usr/local/lib/libeTPkcs11.dylib é o que mais dá resultado positivo). Nunca ouvi falar, mas ela é autorizada – a propósito, sempre que tiver dúvidas, é possível confirmar se a empresa é entidade credenciada no site do ITI.
  20. System Preferences > Security & Privacy > General > Open Anyway
  21. Em tempo: pelo plugin da Certisign no Google Chrome verifiquei que realmente consta meu número OAB e Seccional no certificado. Então realmente ainda contém essas informações.
  22. O meu certificado principal vence no meio do ano. Com as medidas de distanciamento social não renovei o mais antigo (com 1 ano de diferença), já que só em casa e chance 0 de viagem implica em não precisar gastar com 2 certificados. De toda forma, vou ver se faço esse teste. O ruim é que o A3 precisa de verificação presencial e o Serpro, por causa da pandemia, não está fazendo. Então, na prática, ACOAB normal.... Mas tenho uma correção a fazer: verifiquei que meu Certisign realmente const o número da minha OAB e seccional. Então não foi somente o primeiro que constava essa info. Por isso tinha dito "reserva de mercado"... Em princípio, essas infos só a ACOAB poderia fazer...
  23. Eu disse que faz reserva de mercado porque, ao menos em Brasília, a informação que recebi era de que só poderia ser emitido pela ACOAB, que é emitido pela Certisign por convênio, em razão de só a ACOAB ter autorização para incluir no certificado as informações de seccional, número de ordem e a qualificação de advogado (o que nem todas fazem – só meu 1º certificado tinha essas informações, assim como número de PIS/PASEP, etc.). Mas fico feliz de saber que outras empresas podem certificar. Tinha entendido que algum outro advogado aqui tinha comprado. Em todo caso, penso a mesma coisa: os tribunais só respondem o básico e não dá pra confiar se realmente procede. O ideal seria realmente fazer o teste. Eu, pessoalmente, sempre uso 2 certificados digitais ao mesmo tempo (geralmente com 1 ano de validade de diferença), pois já perdi o token em uma viagem uma vez e foi bastante complicado ficar sem no período. Então ter um certificado em nuvem seria uma excelente alternativa, embora, como eu disse, ainda acho o token infinitamente mais seguro. E, no caso, já existe A3 em nuvem, com validade por 3 anos (vide o NeoID👇 do próprio Serpro) que, a propósito, está mais barato que pela OAB, vale dizer. Então não acho que precisaria ser A1. Apenas questionei o CNJ se seria possível o A1 porque, usualmente, o certificado em nuvem mais vendido é esse. Carlos, já baixei tantos drivers da SafeSign que confesso não lembrar. Vou ver se encontro e disponibilizo o link aqui. Em todo caso segue a verão do programa para que também possa fazer suas próprias pesquisas: Mas eu tenho a ligeira impressão de que foi no próprio site da Certisign (ou da ACOAB).
  24. Aos colegas advogados do fórum, fiz uma consulta ao CNJ. Eis as respostas: Os que tem certificado em nuvem e conseguem acessar o PJe, conseguem fazer protocolo normalmente? Conseguem acessar normalmente EPROC, ESAJ, PROJUDI? Quais os problemas comuns de configuração no caso do certificado em nuvem?
×
×
  • Criar Novo...