Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

ratoxico

Membros
  • Total de itens

    2
  • Registrou-se em

  • Última visita

Conquistas de ratoxico

  1. A idéia de ter um tipo de controle para impedir o celular de ser desligado, é para justamente ter uma possibilidade de interceptação antes que ele possa tomar uma medida mais drástica como desmontar o aparelho e desplugar a bateria, que convenhamos, não é algo simples e rápido de se fazer. Na minha situação em pouco tempo já estava em uma viatura de polícia, e poderíamos ter ido atrás do ladrão caso o mesmo não tivesse desligado o celular. Fico feliz que o modo perdido tenha ajudado seus clientes, mas em uma cidade pequena/média como Maringá pode funcionar, mas em cidades grandes não Ah valeu pela dica, mas é inviável. No meu caso por exemplo, que o cara roubou o celular com eu mexendo nele, teria que ter o acesso guiado configurado naquele aplicativo específico. O acesso guiado vc precisa configurar individualmente para cada aplicativo, eu tenho mais de 250 no meu celular, então fica inviável. Mas mesmo assim obrigado por apontar a dica. Uma pena a Apple não fazer isso no sistema
  2. Olá a todos, primeiro post aqui e gostaria de compartilhar meu relato. Resumo: Sugestão de melhoria no procedimento de ajudar um amigo pelo aplicativo Busca Sugestão de melhoria para que Apple implemente exigir a senha do aparelho para desliga-lo Dicas para o leitor configurar o celular para mante-lo mais seguro Sugestão de melhoria em apagar dados, porém manter a habilidade de continuar rastrear o celular Sistema de bloquei / apagar funciona, caso você não caia em armadilhas para ceder suas credenciais Sábado 16-Jan-21 estava voltando para casa após um almoço com um amigo na região da paulista por volta das 16:30. Fui para o ponto de ônibus mais próximo que era o da 9 de julho perto do túnel do MASP. O ponto de ônibus fica no canteiro central, porém por estar em obra, foi criado um ponto temporário no lado direito na calçada. Me dirigi até lá onde havia outras pessoas aguardando o ônibus. Fiquei no meio delas, sentei na mureta (conforme imagem abaixo) e saquei o celular para ver quanto tempo o ônibus iria demorar. Segundos depois apareceu um cara do nada de bicicleta (ele não estava entre as pessoas lá), costurou entre as pessoas, e arrancou o celular de minha mão descendo em disparada pela calçada sentido a praça 14 bis. Confesso que nem gritar consegui gritar e as pessoas ao meu redor também não estavam entendendo o havia acabado de acontecer. Assim que cai na real ao ver o cara sumindo de meu campo de visão, puxei meu celular do trabalho que por sorte estava comigo (um iPhone 7) e fui direto ao aplicativo Buscar para colocar o iPhone em modo perdido. Afinal o mesmo foi levado ainda desbloqueado e esse era o maior risco que estava correndo. Ai veio minha primeira frustração. No aplicativo Buscar, na aba Eu existe no fim da página um link: "Ajude um Amigo". Ao clicar, ele direciona a página do iCloud onde ele deveria deixar eu entrar com minhas credenciais do meu iPhone que havia acabado de ser furtado, porém por estar usando um outro iPhone, ele me forçava a usar o TouchID e logar com o AppleID do iPhone 7 do trabalho. Ai que vem a confusão. O correto é o usuário clicar em cancelar na tela do TouchID e ai você vai ser direcionado a tela para entrar com o AppleID do celular furtado. Se estivesse em um iPhone com FaceID, acredito que ele seguiria direto sem nem mesmo ter chance de cancelar a operação de login presumo eu. O que eu fiz: eu autentiquei com o TouchID, sai da minha conta e tentei entrar com minha credencial do iPhone roubado. Ai veio mais uma frustração: por ter a Autenticação de dois fatores habilitado, ele estava me exigindo digitar o código de 6 dígitos que foi enviado para o iPhone furtado. Fiquei travado nessa tela pois não tinha o que fazer. Ao clicar "Não recebeu um código de verificação?" ele me retornava 3 opções que não me levava a nada sem o aparelho em mãos. Talvez seja óbvio o caminho que deveria ser seguido, mas lembrando que eu acabei de passar por um trauma, estava nervoso, boca seca, mãos tremulas, toda aquela sensação de impotência, indignação e incrédulo do que havia acontecido, estava ali tentando raciocinar o que talvez seria o óbvio mas não estava sendo. Reiniciei o processo, abri o App Buscar e cliquei novamente em Ajudar um Amigo. Agora na tela TouchID canelei e fui parar na tela para por as credencias da apple novamente, e dessa vez para minha surpresa ele entrou sem pedir a Autenticação de dois Fatores. Resumindo: Se vc seguir com o TouchID, ele entra em sua conta Apple, e não adianta dar logout e tentar com sua credencial, pois você estará tentando entrar no iCloud, e por isso será pedido a autenticação de dois fatores. Agora se você cancela o TouchID ele te encaminha a uma tela de login específica para o Buscar onde não será exigido a autenticação de dois fatores. Abaixo a diferença dos dois logins Novamente, no desespero e nervosismo você nem nota a diferença de um ou de outro, você só quer entrar o mais rápido possível em sua conta e por em modo perdido, além de visualizar a localização do celular para em seguida acionar o 190. Antes de continuar com meu relato, gostaria de mencionar as medidas de segurança que tomei para em situações como essa, eu tivesse as melhores chances para recuperar meu telefone. Eu optei pelo e-SIM em vez de um chip físico (disponível apenas nos modelos XS e XR para frente). Motivo: o ladrão não teria como arrancar o chip e cortar a internet/rastreamento. Desabilitei a Central de Controle e a Siri de minha tela locada. Motivo: previnir que o ladrão ligue o modo avião por um desses meios. Nunca deixar senhas no aplicativo Notas, e se for deixar, certificar de ligar a opção de Notas protegidas com senha nas configurações do iPhone. Motivo: se o ladrão roubar seu celular desbloqueado e você tem senhas de banco, apple, etc, todo o sistema de proteção de bancos, biometria e da própria Apple será em vão. Aí vem a segunda frustração com Apple. Assim como alguns celulares Android, a Apple poderia ter a opção para quando você desligue seu celular, seja exigido sua senha de desbloqueio. Se houvesse essa opção, junto com as medidas que tomei, seria muito fácil localizar em tempo real o ladrão e com ajuda da polícia ir atrás dele. Continuando a saga: Liguei para o 190 e informei o ocorrido, informei que o celular tinha rastreador e estava na rua Paim com Avanhandava. Me pediram para se dirigir próximo ao local e aguardar uma viatura. Eu nem fazia idéia de como chegar lá, estava recorrendo ao Google Maps do celular do trabalho para me guiar. Nisso avistei uma viatura e acenei e conversei com os policiais. Eles já sabiam do caso e me informaram que já havia uma viatura procurando o suspeito, porém não me pediram informação alguma de como a pessoa estava na primeira ligação e desde o momento da ocorrência a localização do ladrão já havia mudado, agora estava na Rua Conselheiro Carrão com Rua dos Ingleses. Então me disseram que isso já era fora da região de patrulha deles, e pediram para ligar novamente para o 190, informar a nova localização e as características do suspeito. Liguei e fiz o que me falaram. Após isso peguei um taxi e fui para casa. Ao chegar em casa, abri meu Macbook que tem o mesmo AppleID do celular furtado e abri o aplicativo Busca. Não havia mais nenhuma outra localização, porém notei que o modo perdido havia sido acionado (existia um pequeno ícone junto ao meu iPhone), o que me deu um alívio que o celular estava travado. Ao mesmo tempo verifiquei meu e-mail e recebi as confirmações lá que o modo perdido havia sido ativado, e que os cartões de minha Wallet já foram automaticamente desvinculado do meu iPhone e AppleID. Ponto positivo para a Apple! Raciocinando melhor, eu coloquei novamente o iPhone em modo perdido, mas agora preenchi mais melhor a mensagem e o número de contato ao por o celular em modo perdido. Aqui vale ressaltar que o número de contato é opcional e até então eu não havia colocado nada. Decidi por o número do meu trabalho e deixar claro na mensagem que o iPhone foi ROUBADO com letras maiúsculas mesmo. Para minha surpresa as 17:34 recebi um e-mail falando que o iPhone havia sido localizado, já na região central na Av São João com Av Ipiranga no centro, região da república. Nisso a nova mensagem com meu celular de contato foi enviado para o celular. Tentei fazer o BO online mas estava dando erro de dados, o que me forçou a ir a uma delegacia da polícia civil. Ao chegar lá, por volta das 19:40, mesmo com a delegacia vazia, tomei um chá de cadeira e me chamaram para ser atendido por volta das 20:30. Relatei todo ocorrido e informei o IMEI do celular, foi aí que me deu um estalo. Ao bloquear o IMEI do aparelho, ele não mais iria se conectar a operadora e aí eu seria incapaz de rastrear o celular. Informei isso ao policial e o mesmo me perguntou se eu queria cancelar o BO e complementou: "Quer que eu fale a real? Nós sabemos onde está seu celular. Ele esta com um Nigeriano que está ilegal no Brasil na região da Santa Ifigênia / Cracolândia. Nada vai adiantar você ter a localização do seu celular pois primeiro que ela é aproximada e não exata, e te garanto que ela vai apontar para um cortiço, ou aqueles prédios decadentes do centro onde é impossível saber onde estará seu celular, o andar, etc." Ele disse que o melhor seria seguir com o BO, que de tempos em tempos fazem batida policial na região e acredite ou não, conseguem recuperar muitos celulares, e com o BO e o IMEI, conseguiriam entrar em contato comigo. Então segui com o BO e fui para casa. O próximo passo foi tomar a decisão de apagar remotamente meus dados, o que me traria maior tranquilidade, mas ao mesmo tempo mataria as chances de continuar localizando o aparelho, fato o qual iria acontecer cedo ou tarde ao efetivarem o bloqueio do IMEI. Ai vale mais uma crítica ao sistema da Apple. Poder apagar os dados, mas manter a localização do aparelho. Após pensar, acabei tomando a decisão de apagar o conteúdo antes do bloquei do IMEI, e assim mandei o comando. Agora o aparelho só precisava se conectar novamente para que o comando fosse efetivado. Para minha surpresa, as 23:16 um novo e-mail informando que o aparelho foi localizado. Corri para meu MacBook e acompanhei em tempo real o aparelho sendo apagado. Última localização? Aqui: Não tem como saber se a pessoa estava na praça Júlio de Mesquita ao em alguns desses prédios visto pelo street View: Foi aí que entendi o que o policial falou. Mesmo com a localização ativa, como a força policial localizaria um aparelho de celular no meio desses prédios? E qual deles ele se encontraria? Qual andar? Nunca saberíamos... Creio que tomei a decisão certa em apagar o conteúdo do mesmo. O que aconteceu até agora você pode me perguntar... Após informar meu celular do trabalho como contato, já recebi mais de 6 SMS se passando pelo sistema de Busca da Apple, onde os links me pediam o código de desbloqueio do aparelho, e meu ID e senha da Apple. Como acompanho blogs de tecnologia, já esperava tal ação e não cai nos golpes. Porém acredito que poderia haver uma campanha melhor da Apple alertando sobre esse tipo de ação, pois acho que muita gente cairia nisso. O que me surpreendeu foi que os SMS vinham de números curtos, aqueles de 4-5 dígitos como sendo de operadoras ou meios oficiais de comunicação de SMS. Infelizmente com isso fica difícil para a polícia identificar a origem das mensagens. Também tenho recebido ligações de números estranhos, onde não se fala nada e a ligação cai em seguida. Mas isso pode ser as porcarias de telemarketing. Esse foi meu longo relado, desculpe por isso, mas precisava desabafar e ao mesmo tempo ajudar e informar outras pessoas. No fim o que me deixa feliz é que o ladrão tem um belo e caro peso de papel com ele no momento. Creio que no fim, meu aparelho seja desmontado para revender as peças. Quem sabe em um futuro próximo, até isso a Apple consiga implementar algo e previnir que ocorra. Abraços Ricardo
×
×
  • Criar Novo...