Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

letslucy

Membros
  • Total de itens

    151
  • Registrou-se em

  • Última visita

Histórico de Reputação

  1. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Hmmm.... minha opinião é:
    Se escrevermos uma carta cheia de perguntas, eles vão responder apenas 1. Com respostas padrão.
    Se escrevermos uma carta que mostra que usamos números e impostos que conhecemos e sabemos que estão sendo aplicados, em caso de erro, eles irão nos dar uma resposta dizendo "o seu cálculo está errado". O único problema, é ficar na alegação - "está errado" - mas não explicarem o erro. Entende? Já falei isto antes.
    Porém, se pelo menos disserem: seu país dificulta tudo por X, Y, Z, aí já temos algo que queremos -> uma prova concreta de que o Brasil é quem leva a culpa.
    SUGESTÃO PRÁTICA:
    Chamem o tal Eduardo (parece que é o que mais entende de aduaneira, certo?) e peçam pra ele fabricar o conteúdo da tabela. O Gabriel pode fazer o design uma vez que o conteúdo for definido. Ele aliás faria isso com a maior boa vontade.
    Juro que isso vai ser a última coisa que falarei neste tópico durante esta madrugada. Estou vendo números e maçãs em todos os lugares que olho ao meu redor. Estou exausto!
  2. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Bom... antes mesmo que alguém se habilite, pergunto: Na opinião de vocês que acompanham este tópico, e na de vocês administradores/economistas/vendedores/importadores... quem foi que explicou/postou a melhor explicação sobre os impostos em riqueza de detalhes e clareza?
    Poderiamos convidar a escrever os números a pessoa que mais educou os leitores em geral. Daí a pessoa aceitar, já é outra história! Rs.
  3. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    De acordo, do ponto de vista técnico a carta tem que ser impecável.
    -----
    Nesse momento já temos quase 80 assinaturas.
  4. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    letslucy,
    Por enquanto, não tira nada... deixa como está. Vamos ver se encontramos alguém pra estruturar a parte "matemática" da carta, e aí prosseguimos. Se ficar neste tira corta, não vamos aperfeiçoar nada... apenas deixar a carta suscetível a mudanças rápidas porém impensadas detalhadamente.
  5. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Pois é... e não que eu queira aplausos - já falei isso aqui umas 2x e no fim fica parecendo que eu quero sim (Rs!), mas juro que não! - mas quem sugeriu a tabela foi eu quando disse que a "matemática dissertativa" da carta estava confusa pra caramba. E o Fernandodsr lembrou de uma contribuição importante: a de Eduardo. Pessoal, não seria então hora de fechar OS NÚMEROS apresentados na carta? Alguma coisa que elenca valores, lista as diferenças, e no final mostra como existe um valor X final que não compreendemos?
    A pergunta é: QUEM VAI SER O RESPONSÁVEL PELOS NÚMEROS? E outra ainda: QUEM VAI ELABORAR A TABELA?
    Respostas que precisam ser encontradas o mais breve possível.
    Eu concordo em partes sobre a bajulação... ficou um pouco bajulador, mas apenas está demais da conta porque o resto do argumento se enfraquece quando os exemplos deixam de dar golpes certeiros em nosso leitor final, ou seja, os executivos. Golpes certeiros = fatos que sustentam o argumento.
    O Fabio Seiji fez uma coisa brilhante: personalizou todo aquele argumento em relação ao Brasil. Esta porção escrita por ele caberia perfeitamente no final da carta, como um encerramento que diz: poxa, a magia existe no mundo todo... menos aqui?
    Já havia pedido para algum de vocês, que são muito mais conhecedores das práticas da empresa no Brasil, que levantassem mais dados que pudessemos usar para mostrar que o brasileiro sempre foi injustiçado de alguma forma, e que a fase em que as coisas ficaram justas foi curta demais. Mas ninguém parece ter se interessado por isso
    Com dados assim, ficaria ainda mais fácil não fazer o papel de vítimas, mas sim de pessoas com justa causa pra reclamar.
    Ué Fernandodsr, por que se declararmos que achamos os produtos deles mágicos ficaria fácil pra eles justificarem os preços? Não entendi mesmo! Até parece que um porta-voz da empresa responderia: ora, brasileirada... como vcs sabem, nossos produtos são mágicos... e vcs pagam caro por esta mágica!!!
    Pf... francamente...
  6. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Estás sugerindo que usemos um argumento duvidoso para forçar que a Apple apresente uma conta que chegue ao valor do site a assim podemos ter os dados que precisamos? Ótima manobra. Como tu bem disse, mesmo que isso implique num preço superior ao do site, forçaremos a Apple a nos provar que "estamos errados" e que a política de preços dela está correta e assim nos apresentaria os dados. Gostei da idéia!
    Exato, porque a Apple sempre dá argumentos evasivos. O único lugar em que a Apple não apresenta argumentos evasivos é durante a apresentação dos resultados trimestrais, durante o call com o mercado.
  7. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    letslucy, lucy, lucy...
    Eu não poderia concordar mais contigo. E as partes em negrito são as coisas que MAIS concordo.
    Veja bem: quando sugeri a carta aberta, semana passada (acredito), o intuito era realmente pedir clareza... e não atacar a Apple.
    Porém, lendo teu post agora, e ponderando tudo que conversamos todos juntos hoje, penso: Okay, então vamos fazer com que a Apple BR ou USA - seja qual Apple for - aponte, COM DETALHES, de quem é a culpa.
    Se falarem que são os tributos, okay... mais quais são eles? Exatamente como eu pretendia e opinava desde o começo: que essa reclamação, se não trouxesse resoluções práticas, que fosse pelo menos educativa.
    Concordam?
  8. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    É... mais ou menos isso... Rs. Na realidade meu argumento é, na minha visão, similar a este teu:
    Já tinha dito isto (da semelhança) em outro post... mas estamos postanto com tada velocidade que as vezes não vemos tudo que está sendo publicado!
  9. Positivar
    letslucy deu reputação a JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Neste caso, é a tal coisa né letslucy: eu por exemplo não posso me meter a fazer esta conta - não é a minha área. Bem que gostaria, mas sairia porcariada.
    Vc leu todo este tópico, certo? O que vc achava daqueles velhos argumentos simplistas dos US$100 que no Brasil se traduziram R$2000? Ah... bem... besteira lembrar disso agora, né? Acho que o email do Victor pro chefão da Apple já mostrou como este argumento não acrescenta em nada.
    Eis a cruel dúvida: se escrevermos uma carta SEM NÚMEROS, nossa oratória tem que ser cativante e eloquente, e que antecipe possíveis respostas ao já responde-las em carta (assim eles não poderiam usar nossos argumentos como respostas.
    Talvez a pergunta agora seja: devemos prosseguir com o intuito original (Hey Apple, explique-nos detalhadamente esses números?) ou esta nova recém surgida perspectiva (Hey Apple, pautando-se em fatos e provas, a culpa é de vcs ou da tributação Brasileira?)?
    Tô vendo que esse negócio todo vai crescer! Pelo jeito vamos ter que ter disposição! O que agora vislumbro:
    MOVIMENTO MANIFESTAÇÃO DOS PREÇOS:
    - Projeto Veja (semi concluído)
    - Carta aberta
    - "Berro" p/ imprensa (blogs, revistas, etc)
    - Operação USA?
    Nova: - CARTA PRA DILMA E MINISTÉRIO DA FAZENDA
  10. Positivar
    letslucy recebeu reputação de JoeD em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Os números são demonstrativos para não ocorrer o que o JoeD acabou de falar... Só perguntar o que aconteceu, vamos acabar como o Victor, que levou uma resposta curta e evasiva. E isso é o que queremos evitar com essa carta. Precisamos de argumentos teoricos embasados. Nem que sejam aproximados como o que temos...
    A razão pela qual coloquei meu primeiro post aqui, foi exatamente o de mostrar que, na verdade, o problema parece cada vez mais ser o sistema tributário brasileiro, muito mais do que o lucro da Apple. Porque a Apple ganha com a margem de lucro do preço tabelado... que é tabelado antes de chegar aqui. (pelo V.A.I - Valor Agregado Industrial - Quando chega aqui compramos pelo V.A.F - Valor Agregado Final)
    E, dependendo dos tramites ela pode ganhar com a remessa de lucro, mas, em empresas multinacionais de eletroeletrônicos essa nunca é a forma de lucro principal, e é a primeira da qual eles abrem mão quando precisam tornar os preços mais competitivos. Portanto, eu não acho que esse aumento absurdo seja, na maior parte culpa da apple. Mas eu gostaria que a Apple discriminasse - como eu adicionei na carta - a parte que é imposto, justamente para que os Apple Users não fiquei taxando a Apple de estar avacalhando com os preços.
    A bem da verdade, começo a achar que nem a Apple sabe dizer qual parte compete a impostos inteiramente, porque, se de fato a CISA Trading faz o serviço para eles, eles provavelmente não tem o conhecimento detalhado do nosso sistema tributário. O que eles devem receber é um relatório mensal/trimestral/anual da CISA, com um monte de siglas que eles não devem nem saber o que significam, e que só encarecem o produto deles aqui...
  11. Positivar
    letslucy recebeu reputação de thiagobs84 em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Olá a todos, sendo fluente em inglês, resolvi ajudá-los com a tradução da Carta. Eu fiz algumas adaptações para que a linguagem fique mais fluída no inglês. Vou colocar a tradução literal das adaptações que fiz pro inglês logo abaixo da Carta em Inglês.
    Antes disso porém, tenho algumas observações.
    Primeiramente, não acredito particularmente, que tentar alcançar a mídia internacional vá surtir efeito. Agora, mandar essa carta, (teríamos que readaptar sua introdução e boa parte de seu conteúdo) para a Apple US. Isso sim eu acho mais do que necessário.
    Especificamente o Schiller, que, segundo li aqui nesse tópico é o responsável pelo Global Marketing.
    Em segundo, o preço do iMac está sim absurdo.
    Mas fiz uma pesquisa, que inclusive mandei para o editor-chefe da MacMagazine (após ler a reportagem de que uma pessoa conseguiu um feedback de Oppenheimer no site) e vou colocar aqui o email que escrevi.
    "Olá Pessoal do Macmagazine,
    No dia 1º de Novembro li a reportagem de Rafael Fischmann sobre o contato que um leitor conseguiu estabelecer com Oppenheimer. Achei muito interessante. Estava até me preparando para escrever um e-mail para os executivos da Apple assim como o Victor da reportagem.
    Mas então, antes de apertar o botão de enviar, resolvi colocar minha formação em prática, e ter um pouco mais de certeza do que estava escrevendo, afinal não queria acabar pagando mico escrevendo alguma bobagem pra um importante executivo de uma empresa que admiro tanto.
    (Sou formada em Relações Internacionais, e trabalhei com comércio exterior, coordenando o departamento de importação e exportação.)
    Comecei a colocar no papel, e aqui vai o que conclui:
    O preço na Apple Store online americana do modelo base é de 1299 U$D.
    Isso não conta o envio e o seguro obrigatórios que a empresa importadora deve pagar para trazer o produto - antes mesmo de importá-lo efetivamente. O preço de envio e seguro varia muito, porque não incide sobre o valor unitário, e sim sobre o valor total de equipamentos iguais em um container e/ou carregamento.
    Aqui cabe um adendo:
    No Brasil esse preço fica relativamente elevado pelo número de máquinas, porque não se vende tantos Apple assim aqui, se comparado com outros países. (sim, é porque é caro que não se vende tanto, mas independente da razão, a empresa importa menos unidades de cada item, ou seja, o valor distribui-se entre menos itens, e fica mais caro por item) Vale lembrar também que quando uma empresa X compra itens eletrônicos em massa, ele pode não passar pela companhia de importação, e sim direto pela revenda internacional, sendo a empresa X a que age como importadora, nesse caso o envio/seguro fica a cargo da tal empresa, e não da Apple Brasil, o que em tese, diminui o valor do produto a nivel B2B, diferentemente no caso de um simples mortal ir a uma A2U e comprar uma unidade de iMac).
    Eu não tenho acesso a essa informação, quantos itens vêm, qual o método de envio/seguro, se é CIF ou FOB, por exemplo, então não tenho como calcular.
    Para não dizer que não considerei esse custo, vou adicionar 1% ao valor de 1 unidade de iMac. Fica 1311,99 U$D.
    Fiz uma pesquisa, e segundo a TIPI (Tabela de Imposto sobre Produto Industrializado), que pode ser encontrada no site do governo, e que tem quilômetros infindáveis de páginas, um computador cabe em algumas categorias, entre elas, a categoria de nº 8471.30, que por definição significa:
    "Máquinas automáticas para processamento de dados, portáteis, de peso não superior a 10 kg, que contenham pelo menos uma unidade central de processamento, um teclado e uma tela".
    Ou sob o nº 8471.50.10, que por definição, significa:
    "(Máquinas automáticas de processamento de dados...) de pequena capacidade, baseadas em microprocessadores, com capacidade de instalação, dentro do mesmo gabinete, de unidades de memória da subposição nº 8471.70, podendo conter múltiplos conectores de expansão (slots), e valor FOB inferior ou igual a US$ 12.500,00, por unidade.
    Em ambas as definições, o IPI estabelecido para o ano de 2012, a partir do mês de março, é de 15%. Até o mês de março, era de 7%, exceto para eletrônicos produzidos na zona franca de Manaus, sobre os quais a alíquota é fixada em 0. O que, de qualquer maneira, não é o caso de produtos Apple.
    Somando 1311,99 U$D aos 15%, daria 1508,79 U$D.
    Seguido do IPI, há a incidência do tão conhecido imposto de importação de 60% sobre produtos eletrônicos. Totalizando 2414,07 U$D.
    Ainda, sobre esse valor há incidência do ICMS, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços de Transporte Interestadural, que, neste ano, varia de 7 a 12% dependendo do Estado de origem e destino.
    Calculando pela alíquota mais alta, de 12%, os 2414,97 dólares tornam-se 2703,76 U$D.
    No mês de outubro, o dólar comercial de venda teve sua variação mínima de 2,08 e sua máxima de 2,14.
    Existem duas formas sob as quais empresas de Exp/Imp de produtos operam. Pode-se utilizar a cotação do dia para estabelecer o preço de um produto, ou pode-se utilizar a cotação máxima do mês ou trimestre.
    No caso de empresas grandes, geralmente utiliza-se a cotação máxima de um dado período, porque o preço é tabelado, e fixa-se o preço antes da disponiblidade do mesmo nas lojas, então calcular o dólar do dia fica impraticável.
    Note que se utilizarmos a cotação máxima trimestral o dólar deveria ser calculado em 2,20.
    Mas num primeiro momento, vou utilizar a cotacão máxima do mês de Outubro, que foi 2,14.
    Pelo cálculo do dólar a 2,14R$, os 2703,76 U$D viram 5,786,04 R$
    (E se utilizarmos a cotação máxima trimestral, de 2,20, o valor ficaria 5948,27 R$)
    Como você pode ver, chega bem perto do valor que a Apple Brasil está vendendo o produto. Obviamente 5.786 não chega a 6199,00 R$. Mas temos que considerar a remessa de Lucro da Apple BR Ltda (que não é a mesma da Apple US, que já está embutida nos 1299,00 dólares).
    O valor do cálculo ultrapassa e muito o valor dos antigos iMacs. (que, quando chegaram aqui, não receberam IPI, porque a alíquota do IPI no fim do ano passado foi zerada para a maioria dos produtos. Inclusive computadores.)
    (E um detalhe, a Apple dá entre 150,00 R$ a 500,00 R$ de desconto educacional em cada um de seus produtos, porque são dedutíveis, e eles podem receber esse dinheiro de volta. Porque a Lei da Informática brasileira (e leis análogas de outros países) reduz a alíquota do IPI para produtos destinados a educação. Então se a apple puder provar que Y iMac foi comprado por alunos/professores/administradores de escolas e afins, ela pode recolher um valor do governo, ou ainda, não ter o valor total do IPI descontado, caso o produto seja comprado via Online e ainda vá passar pelos trâmites de importação e tributação de território nacional.
    Outra coisa que é comum em empresas multinacionais, é que geralmente fixa-se um preço após calculada a cotação em seu pico mais alto de um dado período, para que a empresa compense quaisquer variações cambiais desfavoráveis que ainda possam vir.
    Acho sim absurdo esse valor por um desktop. Por melhor que ele seja, e por mais que seja Apple. Já que, mesmo com uma cotação alta, (a cotação de Setembro, foi uma das mais altas desse ano), ele ainda não supera a marca de 6000,00 Reais.
    Então seria razoável, que a Apple PELO MENOS fixasse esse preço em 6000,00 R$ redondo, ao invés de adicionar 199 reais, num produto em que teremos que comprar acessórios, como pilhas e carregadores para os periféricos, Superdrive, etc. Mas como eu disse antes, isso é uma política de empresas internacionais. Em RI, ao menos na empresa em que eu trabalhei, chamávamos isso de margem de segurança cambial ou currency cushion.
    Uma das razões pelas quais a Apple tem tentado estabelecer uma fábrica e/ou montadora em território brasileiro é para conseguir reduzir a tributação sobre seus produtos, já que ela tem tentado atingir o mercado brasileiro com mais força e não tem tido o sucesso esperado, porque seus preços não chegam aqui tão competitivos quanto em outros países. Uma tentativa que parece estar em andamento, é tentar montar o ipad mini aqui no Brasil. Rumores alegam que parte do processo de montagem vai ser realizado aqui para os ipads mini brasileiros. Era para ter ocorrido o mesmo com o iPhone. Esse sim, foi mais do que superfaturado por aqui, pelas operadoras de celular, ja que foi montado em território nacional, deveria custar pelo menos 60% menos. (o IPI e ICMS ainda incidem sobre o produto).
    Espero que isso ajude o pessoal a entender como 100 dólares INFELIZMENTE viram 1100 nesse país.
    REFERENCIAS E FONTES:
    Eu utilizei meus próprios conhecimentos sobre Relações Internacionais e minha experiência em Importação e Exportação (de 2009).
    Já para as pesquisas sobre valores e alíquotas de tributação consultei um advogado tributário da atual empresa que trabalho e as tabelas disponíveis nos sites do governo.
    Sobre os rumores de apple, eu consulto regularmente o site www.macrumors.com
    OBS: As políticas de importação e exportação da iniciativa privada mudam conforme cada empresa e os produtos comercializados pelas mesmas. As políticas da Apple podem não ser as mesmas que da empresa que trabalhei.
    ´E preciso ter em mente também, que podem ocorrer alterações governamentais/internacionais nos procedimentos de importação e exportação. Eu posso estar dando informações de cunho administrativo um tanto desatualizadas já que a última vez que tive contato direto com essa área foi em 2009.
    Atenciosamente,
    Lucy"
    Dito isso, segue minha contribuição real para este tópico:
    CARTA EM INGLES:
    We hereby come to plead support to this internationally respected journal/magazine regarding the issue exposed below.
    Apple users are extremely disappointed with Apple's price policy in Brazil. A certain group - representing the brazilian apple users and admirers collectivity - united to try calling attention to this issue.
    As the new iMacs were launched at Apple iPad Mini media event, on September, 23rd, 2012, the price suffered a 100,00 dollars increase, which corresponds to an 8,3% increase from the old iMac line price.
    In Brazil, however, the price increased 1047,15 dollars. Which corresponds to a 55% plus.
    This is such a higher value, that brazilian consumers can't fathom how it escalated this absurdly.
    Additionaly, mid-year, when WWDC 2012 took place, Apple reduced in 100.00 dollars the entry model prices in America. However, in Brazil the same portable devices were inflated in at least 238,10 dollars.
    Some examples are as following:
    Brazil - US$ 2.952,00
    Norway - US$ 1.852,00
    France - US$ 1.741,00
    Mexico - US$ 1.651,00
    Indonesia - US$ 1.435,00
    Tailândia - US$ 1.394,00
    Vietnam - US$ 1.347,00
    Malasia - US$ 1.314,00
    By inflating the prices so high, Apple shows nothing but disregard with Brazil, the country that has been so prominent in the international scenery that became the country of choice of next two major sport events, the World Cup and Olympics.
    Local consumers feel as their fooled by the company.
    Finally, this message intends to obtain clarification from Apple selling policies in Brazil, and a detailed explanation of why we have the world's most expensive apple products, since, comparing to other countries, the desktop value costs more than twice as much using the most recent currency rate.
    So we can achieve a better understanding of what is happening, we ask you to publish a note regarding this issue, so some light can be shed on it, as this overpricing practice can spread to other areas of the globe.
    Regards,
    Brazilian Apple Products Consumers
    PS: Currency rate used 1.00 US$ = 2.10 R$ (Brazilian Local Currency)
    Tradução literal do que está em inglês:
    "Viemos através desta, pedir apoio a esse jornal/revista no que concerne o assunto discriminado abaixo:
    Usuários apple estão extremamente desapontados com a política de preços da companhia no Brazil. Um certo grupo - representando usuários e admiradores brasileiros da marca coletivamente - uniram-se para tentar chamar atenção a esta situação.
    Quando do laçamento dos novos iMac, no iPad Mini Media Event, em 23 de Setembro de 2012, o preço subiu em 100 dolares, o que corresponde a aumento de 8,3% do preço da antiga linha de iMacs.
    No Brasil, porém, o preço aumento 1047,15 dolares. O que corresponde a um aumento de 55%.
    Esse valor é tão alto que os consumidores não conseguem entender como subiu tão absurdamente.
    Ainda, no meio do ano, quando ocorreu o WWDC 2012, a Apple reduziu em 100 dólares os modelos base dessas linhas na América. Porém, no Brazil o preço desses equipamentos foram inflados em pelo menos 238,10 dolares.
    Alguns exemplos de preços do iMac no mundo:
    Brasil - US$ 2.952,00
    Noruega - US$ 1.852,00
    França - US$ 1.741,00
    México - US$ 1.651,00
    Indonésia - US$ 1.435,00
    Tailândia - US$ 1.394,00
    Vietnã - US$ 1.347,00
    Malásia - US$ 1.314,00
    Com esse aumento tão alto Apple demonstra nada mais nada menos que descaso com o Brasil, país que está tão em voga no cenário internacional, que foi escolhido como sede de dois grandes eventos mundiais do esporta, a Copa do Mundo e da próxima Olimpíadas). Os brasileiros sentem-se feitos de bobos pela empresa.
    Por fim, essa mensagem busca esclarecimento da política de vendas da Apple no país, e uma explicação detalhada de porquê temos os iProducts mais caros do mundo considerando que - se comparado com outros países - preço do Desktop custa mais do que o dobro calculando pela cotação mais recente.
    Para que possamos adquirir um entendimento maior do que está ocorrendo, pedimos que publique uma nota sobre esse assunto, para que possam nos dar uma luz sobre tudo isso; considerando que essa prática inflacionária pode espalhar para outros países.
    Saudações,
    Consumidores da Apple no Brasil."
    Att, Lucy
  12. Positivar
    letslucy recebeu reputação de Gabriel Hoffmann em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Alguém aí pediu a versão mais recente?
    Segue abaixo
    Caros Executivos da Apple,
    Viemos através desta inquirir sobre os preços de produtos Apple no Brasil, com especial atenção dada ao novo iMac.
    Os usuários apple estão extremamente desapontados com a política de preços da companhia no Brasil. Um grupo uniu-se, representando usuários e admiradores de todo o país, para trazer atenção a esse assunto.
    Embora a Apple Store brasileira sempre tenha sido mais cara comparada com outras mundialmente, por conta de impostos e conversões de câmbio, nesse momento percebe-se que essa não é a única razão. E gostaríamos de entender o que acontece com a Apple em relação ao Brasil.
    Primeiramente, vamos esclarecer o que já sabemos em relação ao país e os produtos da maçã.
    Conhecemos nosso sistema tributário e entendemos que há diferentes taxas pesadas aplicadas aos produtos quando esses chegam em território nacional. Quais sejam:
    1 - O imposto sobre produtos industrializados (IPI), que em 2012 é de 15%
    2 - O imposto de importação, que em 2012 é de 60%
    3 - O imposto sobre mercadorias e serviço interestadual, que em 2012 é de 12%
    Se somarmos esses percentuais ao preço original no iMac, resultaria em surpreendentes 2703.76 dólares.
    Adicionalmente, devemos considerar a taxa de câmbio, cuja variacão em novembro, resultou em aproximadamente 1US$ : 1.95 R$. Isso subiria o preço do iMac para aproximadamente 5273,00 R$. O que faz o iMac brasileiro o mais caro do mundo.
    E ainda assim, é quase mil reais (926.00 R$) a menos do que a Apple Store cobra.
    O que nos leva ao que de fato não conseguimos entender sobre o preço da Apple Store Brasil.
    E quase 1000.00 R$ a mais do que o valor agregado de impostos. E isso nos mostra o descaso que a Apple tem com o mercado brasileiro. Mostra que o apreço e lealdade dos brasileiros pela marca e seus produtos está sendo desvalorizado e ignorado.
    Os produtos apple aqui já são os mais caros do mundo por conta de políticas econômicas do governo, e nunca culpamos a Apple por isso. Mas agora, tendo que pagar esse valor extra absurdo, nossa crença na valorização dos clientes Apple foi comprometida seriamente. E sabemos que esse valor não diz respeito a taxas, variações cambiais e outros fatores fora do controle da empresa.
    Por fim, o contato com os executivos da Apple foi estabelecido na esperança de que nossa situação seja examinada atenta e efetivamente. De forma e que esse problema entre em foco, e que possamos receber um feedback, para compreendermos qual é, de fato, a explicação para os preços absurdamente inflacionados dos novos produtos Apple que enfrentamos.
    Saudações,
    Consumidores Apple Brasileiros
    _________________________________________________________________________________________________________
    Dear Apple Executives,
    We hereby come to inquire regarding apple products prices in Brazil, with specific attention being given to the new iMac.
    We, apple users are extremely disappointed with Apple's price policy in Brazil. As a group - representing all brazilian apple users and admirers - we united to bring attention to this issue.
    Although the Brazilian Apple Store prices were always higher than other ones worldwide, due to taxes and currency differential, at this point, we are inclined to believe that there's more to it. And we would like to understand what is happening with Apple regarding Brazil.
    First of all, lets clarify of what we are already aware of about Brazil and Apple products:
    Since we know our tax system, we understand there are different and heavy taxes that are applied to Apple products once they arrive in Brazil Customs.
    1- the Industrialized Product Fee (IPI), which is 15%, in 2012
    2- the Imported Merchandise Fee, which is 60%, in 2012
    3- and the Interstate Merchandise and Service Fee (ICMS) which is 12%, in 2012
    If we sum that to the original iMac price (1299.00 dollars) it would result at astonishing 2703.76 dollars.
    Additionally, we must consider the latest business currency rate, at this point, of approximately 1 US$ : 1.95 R$ (as of this week, the US dollar was rated at 1.95, and the new iMac didn't even arrive on the market just yet)
    All this would turn iMac's price at roughly 5273.00 R$.
    Which makes the brazilian iMac value the highest on the world. And yet, that would still be 926.00 R$ (or 464.00 US$) less than the current 6199.00 R$ charged at Apple Store Brazil.
    Now, lets move onto what we can't grasp about Apple prices in our local ground.
    The almost a 1000.00 R$ plus that Apple is charging is a serious concern or us Brazilian Apple Users, for it shows how disregarding Apple is acting towards the brazilian market. This shows our appreciation and loyalty to the brand and its products is being taken for granted.
    Brazilians already have the world's most expensive iProducts because of the government, and we never held that against the company. But now, having to pay this unexplainable increase severely damaged our belief in Apple's care for their customers. And we know for a fact, that it is not only related to our government fees.
    Finally, we reach out to Apple executives, in the hopes you can assess attentively and effectively our situation, shed some light on this problem, and give us some feedback, so we can achieve a better understanding of what is the real picture the brazilian apple users are facing with the introduction of new Apple Products, with absurdly inflated prices.
    Best Regards,
    Apple Brazilian Customers.
    No risco de estar falando alguma bobagem, eu acredito que quando os eletrônicos baixaram no ano passado, o IPI para os itens dentro da classificação 84710.30 havia sido reduzido, primeiramente para 7%, depois subiu um pouco para 10%. E posteriormente, foi retornado a sua taxa normal, de 15%. Pena que, em geral, as pessoas só procuram se informar sobre alterações de IPI sobre veículos!
    Alguém mencionou sobre as taxas de 15% de importação do Mercosul. E sim, como eu trabalhei na área e sou formada em RI, te digo que as taxas do Mercosul valem para o Mercosul. Exceto quando há uma negociação em bloco do tipo NAFTA-MERCOSUL, em que fixam-se taxas bliaterais para o comércio de certos produtos entre os blocos.
    O câmbio, e mudanças no IPI alteram sim, e drasticamente o valor final do produto. E ainda que fosse o câmbio por si só, já apresentaria uma mudança muito grande no valor final. No meu cálculo inicial eu estimei que o aumento, fora impostos e variação cambial, foi de, em média, 1000.00 R$. Que ainda é sim muito alto!
    Eu gostei da ideia de adicionar na carta um pedido para a Apple discriminar - pelo menos na Apple Store online - quanto estamos pagando de imposto. (mesmo que não especifique que impostos são). Porque isso ocorre em todas as outras Apple Stores online que visitei, incluindo mas não limitando-se a US/UK/Norway/Germany/Mexico, etc.
  13. Positivar
    letslucy recebeu reputação de sandro.an em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Pessoal aí vai mais uma reformulação...
    _________________________________________________________________________________________________________
    NOVA CARTA - REFORMULADA
    Caros Executivos da Apple,
    Viemos através desta inquirir sobre os preços de produtos Apple no Brasil, com especial atenção dada ao novo iMac.
    Os usuários apple estão extremamente desapontados com a política de preços da companhia no Brasil. Um grupo - representando usuários e admiradores brasileiros da marca coletivamente - uniu-se, representando usuários e admiradores de todo o país, para trazer atenção a esse assunto.
    Embora a Apple Store brasileira sempre tenha sido mais cara comparada com outras mundialmente, por conta de impostos e conversões de câmbio, nesse momento percebe-se que essa não é a única razão. E gostaríamos de entender o que acontece com a Apple em relação ao Brasil.
    Primeiramente, esclarecendo o que já sabemos em relação ao país e os produtos da maçã.
    Conhecemos nosso sistema tributário e entendemos que há diferentes taxas pesadas aplicadas aos produtos quando esses chegam em território nacional.
    Sendo as mais relevantes delas:
    1 - O imposto sobre produtos industrializados (IPI), que em 2012 é de 15%
    2 - O imposto de importação, que em 2012 é de 60%
    3 - O imposto sobre mercadorias e serviço interestadual, que em 2012 chega a 18%
    Em nossos esforços para compreender melhor como os preços dos iProducts - especialmente o novo iMac - aumentaram tanto no país, fizemos diversas simulações básicas, uma das quais utilizaremos aqui para ilustrar nossa preocupação.
    Se somarmos esses percentuais ao preço original do iMac na Apple Store Americana, resultaria em surpreendentes 2.820,38 dólares. (Em contrapartida, acreditamos que o preço do iMac em que incorrem os impostos não é o preço de varejo da Apple Store Americana, e sim um preço de atacado, significativamente mais baixo que o utilizado para essa simulação de cálculo.)
    Adicionalmente, devemos considerar a taxa de câmbio, cuja variacão em novembro, foi de aproximadamente 1US$ : 1.95 R$. Isso subiria o preço do iMac para aproximadamente 5.500,00 R$. O que torna o iMac brasileiro o mais caro do mundo.
    Isso, nós pudemos perceber, por conta do sistema tributário brasileiro e variações cambiais desfavoráveis.
    O que nos leva ao que não conseguimos compreender sobre o preço da Apple Store Brasil.
    Verificamos que, mesmo após todas essas somas, o valor é cerca de 500,00 R$ (256,41 dólares) a menos do que o preço de 6.199,00 R$ (3.178,97 dólares) cobrado pela Apple Store Brasil. (E como pudemos aproximar, o valor de aumento que não é pertinente a terceiras partes é ainda maior por conta do preço real de importação do produto, ao qual não temos acesso).
    Isso gerou em nós, consumidores brasileiros uma séria preocupação. Porque a mensagem que isso nos passa é o descaso que a Apple tem com o mercado brasileiro. Mostra que o apreço e lealdade dos brasileiros pela marca e seus produtos está sendo desvalorizado e ignorado.
    Os produtos apple aqui já são os mais caros do mundo por conta de políticas econômicas do governo, e nunca culpamos a Apple por isso. Mas agora, tendo que pagar esse valor adicional, nossa crença na valorização dos clientes pela Apple foi comprometida seriamente. E pudemos demonstar que esse valor não diz respeito somente a taxas, variações cambiais e outros fatores fora do controle da empresa.
    Gostaríamos de uma explicação sobre esse aumento de preço ainda mais alto do que o ocasionado por custos dos trâmites de importação.
    Outro ponto relevante que notamos em outras Apple Stores no mundo, é que o valor pertinente aos impostos embutidos no produto são sempre discriminados em baixo do valor total. E isso é algo que não ocorre aqui.
    Gostaríamos de questionar os executivos de porquê essa prática não foi adotada em nossa Apple Store, já que sanaria muitas das dúvidas iniciais pertinentes à diferença de preços em outros países e aqui.
    Considerando isso, gostaríamos e pedir e sugerir que essa prática seja adotada aqui também, o mais rápido possível.
    Por fim, o estabelecemos esse contato com a Apple na esperança de que nossa situação seja examinada atenta e efetivamente. De forma que possamos receber um feedback, para compreendermos qual é, de fato, a explicação para os preços inflacionados dos novos produtos Apple que enfrentamos atualmente.
    Saudações,
    Consumidores Apple Brasileiros
    _______________________________________________________________________________________________________
    NOVA CARTA ESCRITA EM INGLES
    Dear Apple Executives,
    We hereby come to inquire regarding apple products prices in Brazil, with specific attention being given to the new iMac.
    We, apple users are extremely disappointed with Apple's price policy in Brazil. As a group - representing all brazilian apple users and admirers - we united to bring attention to this issue.
    Although the Brazilian Apple Store prices were always higher than other ones worldwide, due to taxes and currency differential, at this point, we are inclined to believe that there's more to it. And we would like to understand what is happening with Apple regarding Brazil.
    First of all, lets clarify of what we are already aware of regarding Brazil and Apple products:
    Since we know our tax system, we understand there are different and heavy taxes that are applied to Apple products once they arrive in Brazil Customs.
    Some of them include, but are not limited to
    1- the Industrialized Product Fee (IPI), which is 15%, in 2012
    2- the Imported Merchandise Fee, which is 60%, in 2012
    3- and the Interstate Merchandise and Service Fee (ICMS) which varies up to 18%
    In our efforts to grasp a better understanding of how the iProducts prices - specially the new iMac - increased so much, we did several basic simulations of taxes and fees applied by the government. One of them we are using for our argument sake.
    If we sum the above mentioned sample taxes to the original iMac american price (1,299.00 dollars) it would result at astonishing 2,820.38 dollars. (Although, we believe the iMac price in which the taxes apply is not actually the Apple Store sale price, but a business price, that is significantly lower than the one we used for this calculation purposes.)
    Additionally, we must consider the latest business currency rate, at this point, of approximately 1 US$ : 1.95 R$ (as of this week, the US dollar was rated at 1.95)
    All this would turn iMac's price at roughly 5,500.00 R$.
    Which makes the brazilian iMac value the highest on the world. Which we understand it's due to brazilian tax system and currency variation.
    Now, lets move onto what we can't fathom about Apple prices in our local ground.
    Even after adding all those numbers, that would still be 500.00 R$ (or 256.41 US$) less than the current 6,199.00 R$ (or 3178.97 US$) charged at Apple Store Brazil. (When, actually, we were able to establish that this overpricing gap is higher than the ones estimated here due to the real iMac importation price, which we have no access to.)
    And this is a serious concern for us Brazilian Apple Users, for it shows how disregarding Apple is acting towards the brazilian market. This shows our appreciation and loyalty to the brand and its products are being taken for granted.
    Brazilians already have the world's most expensive iProducts because of the government, and we never held that against the company. But now, having to pay this unexplainable increase severely damaged our belief in Apple's care for their customers. And we can see, that it is not only related to our government fees.
    Also, as we were able to verify on other Apple Stores around the world, the amount of taxes embedded into a product is always discriminated below the final price. And this is something that doesn't happen at Apple Store Brasil.
    We would like to question the executives why it isn't already a standard procedure here as it is in other stores.
    Since it could clarify part of the high prices brazilian users have to face.
    That said, we would like to ask and suggest this practice to be adopted at Brazilian Apple Store as soon as possible.
    Finally, we reach out to Apple executives, hoping you can assess attentively and effectively our situation and give us some feedback, so we can achieve a better understanding of what is the real picture the brazilian apple users are facing with the introduction of new Apple Products with inflated prices.
    Best Regards,
    Apple Brazilian Customers.
    __________________________________________________________________________________________________________
    Leiam e me digam o que acham. ;D
    JoeD só agora vi seu post... quando já tinha re-postado a carta.
    Hmm.. me ajuda a pensar em alguma coisa pra melhorar essa intro?
    Obrigada
  14. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Creio que agora vamos só aparar as arestas. A carta está tecnicamente muito boa, para não dizer excelente. Creio que o pedido para a Apple discriminar os impostos seria interessante, pois ela fazia isso antes aqui na Apple Store Brasil e deixou de fazê-lo depois da WWDC 2012.
    Creio que a carta final deve manter o aspecto técnico, envolvendo um apanhado financeiro, jurídico e econômico.
    Junto da carta vai a Planilha com os adeptos.
    Como tu mesma pediu, reforço o pedido, quem estiver nos EUA pode mandar via USPS?
    Acho que por ora é isso!
    PS: teu apanhado sobre o IPI ficou bem esclarecedor.
  15. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    De fato, apenas não afirmo pois não vi o contrato social, mas com a instalação da Foxconn em Jundiaí, a mudança de sede do ABC para SP Capital e a mudança da warehouse para Jundiaí, antes tudo ficava no ABC.
    Mas como tu bem disse, por uma questão lógica não há outra explicação plausível!
  16. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Quando li o teu post pensei num caso semelhante, mas vamos ao que interessa. Vendo a forma de como a Apple BR reajustou os preços inclusive devprodutos antigos (iPod Classic, cujo preço vem sendo reajustado anualmente), o contrato de exclusividade da Fast em ter as Premium Resselers em SP acabou, leia-se a chegada das iPlace.
    Dentro do planejamento de uma empresa como a Apple, hoje global, seria muito incomum que a alteração da sua razão social Brasil implicasse na não criação de uma holding.
  17. Positivar
    letslucy deu reputação a Fernandodsr em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Excelente trabalho, Lucy!
    Excelente mesmo...
    Com o trabalho da Lucy, podemos descobrir, por alto, qual o valor mínimo que os novos iMacs podem chegar aqui no Brasil.
    Na tabela abaixo, coloquei em azul a conta feita pela Lucy, onde podemos entender que o preço que a Apple Brasil importa é o mesmo preço da Apple Store.
    Em vermelho, coloquei o custo de produzir um iMac, sem o lucro da Apple ainda incluído. Como descobri esse número?
    Existem sites que fazem uma engenharia reversa dos componentes utilizados e, com o valor de cada item, chega ao valor de custo do produto. Pelo site Toms Hardware, a Apple coloca entre 20% a 25% de lucro no preço de seus iMacs. Eu acho bem razoável!
    http://www.tomshardware.com/news/imac-teardown,2083.html

    Pelos valores de tabela que a Lucy perfeitamente nos mostrou, podemos concluir que o iMac chega no Brasil, sem lucro algum, por R$4.628,82 (no mínimo). E, como a Apple não é uma empresa filantrópica, o que sobra do valor de R$6.199,00 cobrado pela Apple é o lucro que se tem aqui no Brasil.
    O que esse monte de conta quer dizer:
    1) No Brasil, estão colocando 34% de lucro nos novos Imacs. (6.199,00 / 4.628,82 = 1,34)
    2) Nos EUA, esse lucro fica entre 20% a 25%
    3) Caso tudo isso que levantei for verdade, então o valor correto do novo Imac no Brasil deveria ser R$5554,60 (20% de lucro em cima do valor de 4.628,82)
    Sim, estão metendo a faca na gente!
    Gustavo, escrevi agora mesmo sobre o custo do produto para a Apple.
    Pelo site Toms Hardware, a Apple coloca entre 20%e 25% de lucro em cima do custo de seus produtos.
  18. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Mas e se o iMac for importado com um valor de nota que já contenha o lucro da Apple Brasil e Apple Inc.? A Apple Computer Brasil Ltda., é um braço da Apple Inc., que me parece ser a Holding, logo, desde 2011, quando a razão social do importador mudou, a Apple BR passou a fazer parte da Holding (e não ser uma cliente dela).
    Como o valor é ainda especulativo e não temos acesso a nenhum Contrato entre a Apple BR e a Apple Inc., ficamos sem saber quem lucra, como, quando e em que parte da transação.
  19. Positivar
    letslucy deu reputação a Gustavo Jaccottet em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    A tua argumentação está correta. Realmente o ponto chave é entender como funciona a importação pela Apple Computer Brasil Ltda. O que me fez pensar é o fato de um MacBook Air 15" com Tela Retina seja vendido a R$5.450,00 no Chile, já com IVA embutido. Da mesma forma, um Duty Free Shop da Fronteira entre Brasil e Uruguai vende pelo mesmo preço um MacBook Air.
    O tratamento tributário do Brasil é draconiano, mas não é a ponta da espada. Logo achei o teu apontamento bastante interessante. Minha experiência com Imp./Exp. sempre ficou restrita a redigir ICPOs e Master Export Agreements, fico preso ao trato civil, para fins de consulta, logo te pergunto: tens como conseguir dados sobre Importação no Chile, Peru e México? Eu tentarei quanto ao Uruguai, pois moro na fronteira.
    Depois que li a tua crítica da Carta vi que seria interessante adotar fins comparativos com os países vizinhos e semelhantes, como o México.
    Chile e Peru, assim como o Uruguai, não tem Apple Stores On Line, mas eu já estou tentando conseguir o preço em dólares de toda a linha MAC. Te adianto só os preços do Chile: preço da Apple Store US + IVA. Assim pelo que entendi tanto o lucro dos importadores, como o lucro da Apple Inc., que deve ser repassado já na Importação, estão embutidos no preço sobre o qual recairá o Imposto de Importação.
  20. Positivar
    letslucy recebeu reputação de E-merson em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Olá a todos, sendo fluente em inglês, resolvi ajudá-los com a tradução da Carta. Eu fiz algumas adaptações para que a linguagem fique mais fluída no inglês. Vou colocar a tradução literal das adaptações que fiz pro inglês logo abaixo da Carta em Inglês.
    Antes disso porém, tenho algumas observações.
    Primeiramente, não acredito particularmente, que tentar alcançar a mídia internacional vá surtir efeito. Agora, mandar essa carta, (teríamos que readaptar sua introdução e boa parte de seu conteúdo) para a Apple US. Isso sim eu acho mais do que necessário.
    Especificamente o Schiller, que, segundo li aqui nesse tópico é o responsável pelo Global Marketing.
    Em segundo, o preço do iMac está sim absurdo.
    Mas fiz uma pesquisa, que inclusive mandei para o editor-chefe da MacMagazine (após ler a reportagem de que uma pessoa conseguiu um feedback de Oppenheimer no site) e vou colocar aqui o email que escrevi.
    "Olá Pessoal do Macmagazine,
    No dia 1º de Novembro li a reportagem de Rafael Fischmann sobre o contato que um leitor conseguiu estabelecer com Oppenheimer. Achei muito interessante. Estava até me preparando para escrever um e-mail para os executivos da Apple assim como o Victor da reportagem.
    Mas então, antes de apertar o botão de enviar, resolvi colocar minha formação em prática, e ter um pouco mais de certeza do que estava escrevendo, afinal não queria acabar pagando mico escrevendo alguma bobagem pra um importante executivo de uma empresa que admiro tanto.
    (Sou formada em Relações Internacionais, e trabalhei com comércio exterior, coordenando o departamento de importação e exportação.)
    Comecei a colocar no papel, e aqui vai o que conclui:
    O preço na Apple Store online americana do modelo base é de 1299 U$D.
    Isso não conta o envio e o seguro obrigatórios que a empresa importadora deve pagar para trazer o produto - antes mesmo de importá-lo efetivamente. O preço de envio e seguro varia muito, porque não incide sobre o valor unitário, e sim sobre o valor total de equipamentos iguais em um container e/ou carregamento.
    Aqui cabe um adendo:
    No Brasil esse preço fica relativamente elevado pelo número de máquinas, porque não se vende tantos Apple assim aqui, se comparado com outros países. (sim, é porque é caro que não se vende tanto, mas independente da razão, a empresa importa menos unidades de cada item, ou seja, o valor distribui-se entre menos itens, e fica mais caro por item) Vale lembrar também que quando uma empresa X compra itens eletrônicos em massa, ele pode não passar pela companhia de importação, e sim direto pela revenda internacional, sendo a empresa X a que age como importadora, nesse caso o envio/seguro fica a cargo da tal empresa, e não da Apple Brasil, o que em tese, diminui o valor do produto a nivel B2B, diferentemente no caso de um simples mortal ir a uma A2U e comprar uma unidade de iMac).
    Eu não tenho acesso a essa informação, quantos itens vêm, qual o método de envio/seguro, se é CIF ou FOB, por exemplo, então não tenho como calcular.
    Para não dizer que não considerei esse custo, vou adicionar 1% ao valor de 1 unidade de iMac. Fica 1311,99 U$D.
    Fiz uma pesquisa, e segundo a TIPI (Tabela de Imposto sobre Produto Industrializado), que pode ser encontrada no site do governo, e que tem quilômetros infindáveis de páginas, um computador cabe em algumas categorias, entre elas, a categoria de nº 8471.30, que por definição significa:
    "Máquinas automáticas para processamento de dados, portáteis, de peso não superior a 10 kg, que contenham pelo menos uma unidade central de processamento, um teclado e uma tela".
    Ou sob o nº 8471.50.10, que por definição, significa:
    "(Máquinas automáticas de processamento de dados...) de pequena capacidade, baseadas em microprocessadores, com capacidade de instalação, dentro do mesmo gabinete, de unidades de memória da subposição nº 8471.70, podendo conter múltiplos conectores de expansão (slots), e valor FOB inferior ou igual a US$ 12.500,00, por unidade.
    Em ambas as definições, o IPI estabelecido para o ano de 2012, a partir do mês de março, é de 15%. Até o mês de março, era de 7%, exceto para eletrônicos produzidos na zona franca de Manaus, sobre os quais a alíquota é fixada em 0. O que, de qualquer maneira, não é o caso de produtos Apple.
    Somando 1311,99 U$D aos 15%, daria 1508,79 U$D.
    Seguido do IPI, há a incidência do tão conhecido imposto de importação de 60% sobre produtos eletrônicos. Totalizando 2414,07 U$D.
    Ainda, sobre esse valor há incidência do ICMS, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços de Transporte Interestadural, que, neste ano, varia de 7 a 12% dependendo do Estado de origem e destino.
    Calculando pela alíquota mais alta, de 12%, os 2414,97 dólares tornam-se 2703,76 U$D.
    No mês de outubro, o dólar comercial de venda teve sua variação mínima de 2,08 e sua máxima de 2,14.
    Existem duas formas sob as quais empresas de Exp/Imp de produtos operam. Pode-se utilizar a cotação do dia para estabelecer o preço de um produto, ou pode-se utilizar a cotação máxima do mês ou trimestre.
    No caso de empresas grandes, geralmente utiliza-se a cotação máxima de um dado período, porque o preço é tabelado, e fixa-se o preço antes da disponiblidade do mesmo nas lojas, então calcular o dólar do dia fica impraticável.
    Note que se utilizarmos a cotação máxima trimestral o dólar deveria ser calculado em 2,20.
    Mas num primeiro momento, vou utilizar a cotacão máxima do mês de Outubro, que foi 2,14.
    Pelo cálculo do dólar a 2,14R$, os 2703,76 U$D viram 5,786,04 R$
    (E se utilizarmos a cotação máxima trimestral, de 2,20, o valor ficaria 5948,27 R$)
    Como você pode ver, chega bem perto do valor que a Apple Brasil está vendendo o produto. Obviamente 5.786 não chega a 6199,00 R$. Mas temos que considerar a remessa de Lucro da Apple BR Ltda (que não é a mesma da Apple US, que já está embutida nos 1299,00 dólares).
    O valor do cálculo ultrapassa e muito o valor dos antigos iMacs. (que, quando chegaram aqui, não receberam IPI, porque a alíquota do IPI no fim do ano passado foi zerada para a maioria dos produtos. Inclusive computadores.)
    (E um detalhe, a Apple dá entre 150,00 R$ a 500,00 R$ de desconto educacional em cada um de seus produtos, porque são dedutíveis, e eles podem receber esse dinheiro de volta. Porque a Lei da Informática brasileira (e leis análogas de outros países) reduz a alíquota do IPI para produtos destinados a educação. Então se a apple puder provar que Y iMac foi comprado por alunos/professores/administradores de escolas e afins, ela pode recolher um valor do governo, ou ainda, não ter o valor total do IPI descontado, caso o produto seja comprado via Online e ainda vá passar pelos trâmites de importação e tributação de território nacional.
    Outra coisa que é comum em empresas multinacionais, é que geralmente fixa-se um preço após calculada a cotação em seu pico mais alto de um dado período, para que a empresa compense quaisquer variações cambiais desfavoráveis que ainda possam vir.
    Acho sim absurdo esse valor por um desktop. Por melhor que ele seja, e por mais que seja Apple. Já que, mesmo com uma cotação alta, (a cotação de Setembro, foi uma das mais altas desse ano), ele ainda não supera a marca de 6000,00 Reais.
    Então seria razoável, que a Apple PELO MENOS fixasse esse preço em 6000,00 R$ redondo, ao invés de adicionar 199 reais, num produto em que teremos que comprar acessórios, como pilhas e carregadores para os periféricos, Superdrive, etc. Mas como eu disse antes, isso é uma política de empresas internacionais. Em RI, ao menos na empresa em que eu trabalhei, chamávamos isso de margem de segurança cambial ou currency cushion.
    Uma das razões pelas quais a Apple tem tentado estabelecer uma fábrica e/ou montadora em território brasileiro é para conseguir reduzir a tributação sobre seus produtos, já que ela tem tentado atingir o mercado brasileiro com mais força e não tem tido o sucesso esperado, porque seus preços não chegam aqui tão competitivos quanto em outros países. Uma tentativa que parece estar em andamento, é tentar montar o ipad mini aqui no Brasil. Rumores alegam que parte do processo de montagem vai ser realizado aqui para os ipads mini brasileiros. Era para ter ocorrido o mesmo com o iPhone. Esse sim, foi mais do que superfaturado por aqui, pelas operadoras de celular, ja que foi montado em território nacional, deveria custar pelo menos 60% menos. (o IPI e ICMS ainda incidem sobre o produto).
    Espero que isso ajude o pessoal a entender como 100 dólares INFELIZMENTE viram 1100 nesse país.
    REFERENCIAS E FONTES:
    Eu utilizei meus próprios conhecimentos sobre Relações Internacionais e minha experiência em Importação e Exportação (de 2009).
    Já para as pesquisas sobre valores e alíquotas de tributação consultei um advogado tributário da atual empresa que trabalho e as tabelas disponíveis nos sites do governo.
    Sobre os rumores de apple, eu consulto regularmente o site www.macrumors.com
    OBS: As políticas de importação e exportação da iniciativa privada mudam conforme cada empresa e os produtos comercializados pelas mesmas. As políticas da Apple podem não ser as mesmas que da empresa que trabalhei.
    ´E preciso ter em mente também, que podem ocorrer alterações governamentais/internacionais nos procedimentos de importação e exportação. Eu posso estar dando informações de cunho administrativo um tanto desatualizadas já que a última vez que tive contato direto com essa área foi em 2009.
    Atenciosamente,
    Lucy"
    Dito isso, segue minha contribuição real para este tópico:
    CARTA EM INGLES:
    We hereby come to plead support to this internationally respected journal/magazine regarding the issue exposed below.
    Apple users are extremely disappointed with Apple's price policy in Brazil. A certain group - representing the brazilian apple users and admirers collectivity - united to try calling attention to this issue.
    As the new iMacs were launched at Apple iPad Mini media event, on September, 23rd, 2012, the price suffered a 100,00 dollars increase, which corresponds to an 8,3% increase from the old iMac line price.
    In Brazil, however, the price increased 1047,15 dollars. Which corresponds to a 55% plus.
    This is such a higher value, that brazilian consumers can't fathom how it escalated this absurdly.
    Additionaly, mid-year, when WWDC 2012 took place, Apple reduced in 100.00 dollars the entry model prices in America. However, in Brazil the same portable devices were inflated in at least 238,10 dollars.
    Some examples are as following:
    Brazil - US$ 2.952,00
    Norway - US$ 1.852,00
    France - US$ 1.741,00
    Mexico - US$ 1.651,00
    Indonesia - US$ 1.435,00
    Tailândia - US$ 1.394,00
    Vietnam - US$ 1.347,00
    Malasia - US$ 1.314,00
    By inflating the prices so high, Apple shows nothing but disregard with Brazil, the country that has been so prominent in the international scenery that became the country of choice of next two major sport events, the World Cup and Olympics.
    Local consumers feel as their fooled by the company.
    Finally, this message intends to obtain clarification from Apple selling policies in Brazil, and a detailed explanation of why we have the world's most expensive apple products, since, comparing to other countries, the desktop value costs more than twice as much using the most recent currency rate.
    So we can achieve a better understanding of what is happening, we ask you to publish a note regarding this issue, so some light can be shed on it, as this overpricing practice can spread to other areas of the globe.
    Regards,
    Brazilian Apple Products Consumers
    PS: Currency rate used 1.00 US$ = 2.10 R$ (Brazilian Local Currency)
    Tradução literal do que está em inglês:
    "Viemos através desta, pedir apoio a esse jornal/revista no que concerne o assunto discriminado abaixo:
    Usuários apple estão extremamente desapontados com a política de preços da companhia no Brazil. Um certo grupo - representando usuários e admiradores brasileiros da marca coletivamente - uniram-se para tentar chamar atenção a esta situação.
    Quando do laçamento dos novos iMac, no iPad Mini Media Event, em 23 de Setembro de 2012, o preço subiu em 100 dolares, o que corresponde a aumento de 8,3% do preço da antiga linha de iMacs.
    No Brasil, porém, o preço aumento 1047,15 dolares. O que corresponde a um aumento de 55%.
    Esse valor é tão alto que os consumidores não conseguem entender como subiu tão absurdamente.
    Ainda, no meio do ano, quando ocorreu o WWDC 2012, a Apple reduziu em 100 dólares os modelos base dessas linhas na América. Porém, no Brazil o preço desses equipamentos foram inflados em pelo menos 238,10 dolares.
    Alguns exemplos de preços do iMac no mundo:
    Brasil - US$ 2.952,00
    Noruega - US$ 1.852,00
    França - US$ 1.741,00
    México - US$ 1.651,00
    Indonésia - US$ 1.435,00
    Tailândia - US$ 1.394,00
    Vietnã - US$ 1.347,00
    Malásia - US$ 1.314,00
    Com esse aumento tão alto Apple demonstra nada mais nada menos que descaso com o Brasil, país que está tão em voga no cenário internacional, que foi escolhido como sede de dois grandes eventos mundiais do esporta, a Copa do Mundo e da próxima Olimpíadas). Os brasileiros sentem-se feitos de bobos pela empresa.
    Por fim, essa mensagem busca esclarecimento da política de vendas da Apple no país, e uma explicação detalhada de porquê temos os iProducts mais caros do mundo considerando que - se comparado com outros países - preço do Desktop custa mais do que o dobro calculando pela cotação mais recente.
    Para que possamos adquirir um entendimento maior do que está ocorrendo, pedimos que publique uma nota sobre esse assunto, para que possam nos dar uma luz sobre tudo isso; considerando que essa prática inflacionária pode espalhar para outros países.
    Saudações,
    Consumidores da Apple no Brasil."
    Att, Lucy
  21. Positivar
    letslucy recebeu reputação de E-merson em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Olá
    @sandro.an
    Teoricamente, quem perde seria somente a Apple Brasil e o governo federal e estadual. Porque o lucro real da Apple US sobre o produto está embutido no preço tabelado.
    A Apple Brazil tem suas próprias margens de lucro, e sua remessa de lucro a ser enviada para a Apple Inc. também mas não é sobre o produto em si. E sim sobre a marca - e dependendo de como for os termos do contrato Apple Inc-Apple Brasil, pode exisitir remessa e lucro por venda, mas é por quantidade monetária arrecadada anualmente, e não por produto.
    (de forma similar como a Renault por exemplo, manda a remessa de lucro para a Renault francesa... Mas como a Apple Brasil é apenas importadora e não fabricante, a "remessa de lucros deles" são os royalties por identificarem a marca em território nacional)
    Essa redução no preço em comprar lá fora e trazer, ocorre porque impostos como o IPI e ICMS são para a comercialização e transporte dos produtos. Não para o consumidor propriamente dito. Por isso ele não incorre quando você compra o produto fora. Somente o de importação incorre sobre você. O IPI vai recair sobre o produto que vai para a loja. Por exemplo, no caso de veículos montados em território nacional, a montadora manda para a loja o carro com um valor X. Mas a loja, vai embutir nesse valor X, o preço do IPI que terão que pagar para o governo. E, para trazer o carro da montadora de um estado Y para o estado Z (digamos, do ABC paulista em São Paulo, para o Rio de Janeiro por exemplo) a loja vai embutir o valor do ICMS aplicável a esse produto. Se o produto for montado e comercializado dentro de um mesmo estado a alíquota de ICMS é igual a 0, então nesse caso, o não seria aplicável, mas o IPI sim, porque é federal a nivel de comercialização de produtos. (exceto quando ele é zerado, por questões de políticas econômicas).
  22. Positivar
    letslucy recebeu reputação de E-merson em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Em relação a Carta, se não se importam que eu meta ainda mais o bedelho, já que peguei o bonde andando....
    podíamos reformular e aumentar a carta, com mais argumentos e questionamentos, se for do interesse de todos, para que possamos mandá-la para a Apple US. Eu me responsabilizo por colocar em inglês a cada mudança que for feita, e também por mandar por email para os executivos da apple, uma vez que tenha o OK da maioria para apertar o Send. ;D
    Eu sei bem que a cotação e os impostos somente não justificam o aumento gigantesco, mesmo porque, a cotação das empresas é - em vias de fato - menor do que a cotação comercial de venda. Mas também não podemos mandar uma carta, dizendo que o preço está absurdo, quando uma grande parte desse valor é proveniente do governo e da Apple Brasil em si.
    E uma observação sobre a comparação feita ali com os preços no mundo, acredito eu, não tem os impostos respectivos dos países a que se referem embutidos. Portanto, se conseguirmos um cálculo próximo, de quanto é o imposto (ou os impostos) que incide sobre esse produto em cada um desses países, e se há algum acordo de cooperação internacional vigente entre esses países e a Apple que seja relevante ao cálculo (porque acordos reduzem impostos), podemos aí sim mandar essa lista de preços para Apple US. Porque se você pegar o preço da Apple store americana, e calcular com a cotação de 2,10 para o R$ também teremos um valor bem abaixo do que está na Apple Store Brasil.
    Acho que essa carta precisa de um pouquinho mais de embasamento antes de mandarmos a Apple Inc.
  23. Positivar
    letslucy recebeu reputação de sandro.an em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Em relação a Carta, se não se importam que eu meta ainda mais o bedelho, já que peguei o bonde andando....
    podíamos reformular e aumentar a carta, com mais argumentos e questionamentos, se for do interesse de todos, para que possamos mandá-la para a Apple US. Eu me responsabilizo por colocar em inglês a cada mudança que for feita, e também por mandar por email para os executivos da apple, uma vez que tenha o OK da maioria para apertar o Send. ;D
    Eu sei bem que a cotação e os impostos somente não justificam o aumento gigantesco, mesmo porque, a cotação das empresas é - em vias de fato - menor do que a cotação comercial de venda. Mas também não podemos mandar uma carta, dizendo que o preço está absurdo, quando uma grande parte desse valor é proveniente do governo e da Apple Brasil em si.
    E uma observação sobre a comparação feita ali com os preços no mundo, acredito eu, não tem os impostos respectivos dos países a que se referem embutidos. Portanto, se conseguirmos um cálculo próximo, de quanto é o imposto (ou os impostos) que incide sobre esse produto em cada um desses países, e se há algum acordo de cooperação internacional vigente entre esses países e a Apple que seja relevante ao cálculo (porque acordos reduzem impostos), podemos aí sim mandar essa lista de preços para Apple US. Porque se você pegar o preço da Apple store americana, e calcular com a cotação de 2,10 para o R$ também teremos um valor bem abaixo do que está na Apple Store Brasil.
    Acho que essa carta precisa de um pouquinho mais de embasamento antes de mandarmos a Apple Inc.
  24. Positivar
    letslucy recebeu reputação de sandro.an em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Olá a todos, sendo fluente em inglês, resolvi ajudá-los com a tradução da Carta. Eu fiz algumas adaptações para que a linguagem fique mais fluída no inglês. Vou colocar a tradução literal das adaptações que fiz pro inglês logo abaixo da Carta em Inglês.
    Antes disso porém, tenho algumas observações.
    Primeiramente, não acredito particularmente, que tentar alcançar a mídia internacional vá surtir efeito. Agora, mandar essa carta, (teríamos que readaptar sua introdução e boa parte de seu conteúdo) para a Apple US. Isso sim eu acho mais do que necessário.
    Especificamente o Schiller, que, segundo li aqui nesse tópico é o responsável pelo Global Marketing.
    Em segundo, o preço do iMac está sim absurdo.
    Mas fiz uma pesquisa, que inclusive mandei para o editor-chefe da MacMagazine (após ler a reportagem de que uma pessoa conseguiu um feedback de Oppenheimer no site) e vou colocar aqui o email que escrevi.
    "Olá Pessoal do Macmagazine,
    No dia 1º de Novembro li a reportagem de Rafael Fischmann sobre o contato que um leitor conseguiu estabelecer com Oppenheimer. Achei muito interessante. Estava até me preparando para escrever um e-mail para os executivos da Apple assim como o Victor da reportagem.
    Mas então, antes de apertar o botão de enviar, resolvi colocar minha formação em prática, e ter um pouco mais de certeza do que estava escrevendo, afinal não queria acabar pagando mico escrevendo alguma bobagem pra um importante executivo de uma empresa que admiro tanto.
    (Sou formada em Relações Internacionais, e trabalhei com comércio exterior, coordenando o departamento de importação e exportação.)
    Comecei a colocar no papel, e aqui vai o que conclui:
    O preço na Apple Store online americana do modelo base é de 1299 U$D.
    Isso não conta o envio e o seguro obrigatórios que a empresa importadora deve pagar para trazer o produto - antes mesmo de importá-lo efetivamente. O preço de envio e seguro varia muito, porque não incide sobre o valor unitário, e sim sobre o valor total de equipamentos iguais em um container e/ou carregamento.
    Aqui cabe um adendo:
    No Brasil esse preço fica relativamente elevado pelo número de máquinas, porque não se vende tantos Apple assim aqui, se comparado com outros países. (sim, é porque é caro que não se vende tanto, mas independente da razão, a empresa importa menos unidades de cada item, ou seja, o valor distribui-se entre menos itens, e fica mais caro por item) Vale lembrar também que quando uma empresa X compra itens eletrônicos em massa, ele pode não passar pela companhia de importação, e sim direto pela revenda internacional, sendo a empresa X a que age como importadora, nesse caso o envio/seguro fica a cargo da tal empresa, e não da Apple Brasil, o que em tese, diminui o valor do produto a nivel B2B, diferentemente no caso de um simples mortal ir a uma A2U e comprar uma unidade de iMac).
    Eu não tenho acesso a essa informação, quantos itens vêm, qual o método de envio/seguro, se é CIF ou FOB, por exemplo, então não tenho como calcular.
    Para não dizer que não considerei esse custo, vou adicionar 1% ao valor de 1 unidade de iMac. Fica 1311,99 U$D.
    Fiz uma pesquisa, e segundo a TIPI (Tabela de Imposto sobre Produto Industrializado), que pode ser encontrada no site do governo, e que tem quilômetros infindáveis de páginas, um computador cabe em algumas categorias, entre elas, a categoria de nº 8471.30, que por definição significa:
    "Máquinas automáticas para processamento de dados, portáteis, de peso não superior a 10 kg, que contenham pelo menos uma unidade central de processamento, um teclado e uma tela".
    Ou sob o nº 8471.50.10, que por definição, significa:
    "(Máquinas automáticas de processamento de dados...) de pequena capacidade, baseadas em microprocessadores, com capacidade de instalação, dentro do mesmo gabinete, de unidades de memória da subposição nº 8471.70, podendo conter múltiplos conectores de expansão (slots), e valor FOB inferior ou igual a US$ 12.500,00, por unidade.
    Em ambas as definições, o IPI estabelecido para o ano de 2012, a partir do mês de março, é de 15%. Até o mês de março, era de 7%, exceto para eletrônicos produzidos na zona franca de Manaus, sobre os quais a alíquota é fixada em 0. O que, de qualquer maneira, não é o caso de produtos Apple.
    Somando 1311,99 U$D aos 15%, daria 1508,79 U$D.
    Seguido do IPI, há a incidência do tão conhecido imposto de importação de 60% sobre produtos eletrônicos. Totalizando 2414,07 U$D.
    Ainda, sobre esse valor há incidência do ICMS, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços de Transporte Interestadural, que, neste ano, varia de 7 a 12% dependendo do Estado de origem e destino.
    Calculando pela alíquota mais alta, de 12%, os 2414,97 dólares tornam-se 2703,76 U$D.
    No mês de outubro, o dólar comercial de venda teve sua variação mínima de 2,08 e sua máxima de 2,14.
    Existem duas formas sob as quais empresas de Exp/Imp de produtos operam. Pode-se utilizar a cotação do dia para estabelecer o preço de um produto, ou pode-se utilizar a cotação máxima do mês ou trimestre.
    No caso de empresas grandes, geralmente utiliza-se a cotação máxima de um dado período, porque o preço é tabelado, e fixa-se o preço antes da disponiblidade do mesmo nas lojas, então calcular o dólar do dia fica impraticável.
    Note que se utilizarmos a cotação máxima trimestral o dólar deveria ser calculado em 2,20.
    Mas num primeiro momento, vou utilizar a cotacão máxima do mês de Outubro, que foi 2,14.
    Pelo cálculo do dólar a 2,14R$, os 2703,76 U$D viram 5,786,04 R$
    (E se utilizarmos a cotação máxima trimestral, de 2,20, o valor ficaria 5948,27 R$)
    Como você pode ver, chega bem perto do valor que a Apple Brasil está vendendo o produto. Obviamente 5.786 não chega a 6199,00 R$. Mas temos que considerar a remessa de Lucro da Apple BR Ltda (que não é a mesma da Apple US, que já está embutida nos 1299,00 dólares).
    O valor do cálculo ultrapassa e muito o valor dos antigos iMacs. (que, quando chegaram aqui, não receberam IPI, porque a alíquota do IPI no fim do ano passado foi zerada para a maioria dos produtos. Inclusive computadores.)
    (E um detalhe, a Apple dá entre 150,00 R$ a 500,00 R$ de desconto educacional em cada um de seus produtos, porque são dedutíveis, e eles podem receber esse dinheiro de volta. Porque a Lei da Informática brasileira (e leis análogas de outros países) reduz a alíquota do IPI para produtos destinados a educação. Então se a apple puder provar que Y iMac foi comprado por alunos/professores/administradores de escolas e afins, ela pode recolher um valor do governo, ou ainda, não ter o valor total do IPI descontado, caso o produto seja comprado via Online e ainda vá passar pelos trâmites de importação e tributação de território nacional.
    Outra coisa que é comum em empresas multinacionais, é que geralmente fixa-se um preço após calculada a cotação em seu pico mais alto de um dado período, para que a empresa compense quaisquer variações cambiais desfavoráveis que ainda possam vir.
    Acho sim absurdo esse valor por um desktop. Por melhor que ele seja, e por mais que seja Apple. Já que, mesmo com uma cotação alta, (a cotação de Setembro, foi uma das mais altas desse ano), ele ainda não supera a marca de 6000,00 Reais.
    Então seria razoável, que a Apple PELO MENOS fixasse esse preço em 6000,00 R$ redondo, ao invés de adicionar 199 reais, num produto em que teremos que comprar acessórios, como pilhas e carregadores para os periféricos, Superdrive, etc. Mas como eu disse antes, isso é uma política de empresas internacionais. Em RI, ao menos na empresa em que eu trabalhei, chamávamos isso de margem de segurança cambial ou currency cushion.
    Uma das razões pelas quais a Apple tem tentado estabelecer uma fábrica e/ou montadora em território brasileiro é para conseguir reduzir a tributação sobre seus produtos, já que ela tem tentado atingir o mercado brasileiro com mais força e não tem tido o sucesso esperado, porque seus preços não chegam aqui tão competitivos quanto em outros países. Uma tentativa que parece estar em andamento, é tentar montar o ipad mini aqui no Brasil. Rumores alegam que parte do processo de montagem vai ser realizado aqui para os ipads mini brasileiros. Era para ter ocorrido o mesmo com o iPhone. Esse sim, foi mais do que superfaturado por aqui, pelas operadoras de celular, ja que foi montado em território nacional, deveria custar pelo menos 60% menos. (o IPI e ICMS ainda incidem sobre o produto).
    Espero que isso ajude o pessoal a entender como 100 dólares INFELIZMENTE viram 1100 nesse país.
    REFERENCIAS E FONTES:
    Eu utilizei meus próprios conhecimentos sobre Relações Internacionais e minha experiência em Importação e Exportação (de 2009).
    Já para as pesquisas sobre valores e alíquotas de tributação consultei um advogado tributário da atual empresa que trabalho e as tabelas disponíveis nos sites do governo.
    Sobre os rumores de apple, eu consulto regularmente o site www.macrumors.com
    OBS: As políticas de importação e exportação da iniciativa privada mudam conforme cada empresa e os produtos comercializados pelas mesmas. As políticas da Apple podem não ser as mesmas que da empresa que trabalhei.
    ´E preciso ter em mente também, que podem ocorrer alterações governamentais/internacionais nos procedimentos de importação e exportação. Eu posso estar dando informações de cunho administrativo um tanto desatualizadas já que a última vez que tive contato direto com essa área foi em 2009.
    Atenciosamente,
    Lucy"
    Dito isso, segue minha contribuição real para este tópico:
    CARTA EM INGLES:
    We hereby come to plead support to this internationally respected journal/magazine regarding the issue exposed below.
    Apple users are extremely disappointed with Apple's price policy in Brazil. A certain group - representing the brazilian apple users and admirers collectivity - united to try calling attention to this issue.
    As the new iMacs were launched at Apple iPad Mini media event, on September, 23rd, 2012, the price suffered a 100,00 dollars increase, which corresponds to an 8,3% increase from the old iMac line price.
    In Brazil, however, the price increased 1047,15 dollars. Which corresponds to a 55% plus.
    This is such a higher value, that brazilian consumers can't fathom how it escalated this absurdly.
    Additionaly, mid-year, when WWDC 2012 took place, Apple reduced in 100.00 dollars the entry model prices in America. However, in Brazil the same portable devices were inflated in at least 238,10 dollars.
    Some examples are as following:
    Brazil - US$ 2.952,00
    Norway - US$ 1.852,00
    France - US$ 1.741,00
    Mexico - US$ 1.651,00
    Indonesia - US$ 1.435,00
    Tailândia - US$ 1.394,00
    Vietnam - US$ 1.347,00
    Malasia - US$ 1.314,00
    By inflating the prices so high, Apple shows nothing but disregard with Brazil, the country that has been so prominent in the international scenery that became the country of choice of next two major sport events, the World Cup and Olympics.
    Local consumers feel as their fooled by the company.
    Finally, this message intends to obtain clarification from Apple selling policies in Brazil, and a detailed explanation of why we have the world's most expensive apple products, since, comparing to other countries, the desktop value costs more than twice as much using the most recent currency rate.
    So we can achieve a better understanding of what is happening, we ask you to publish a note regarding this issue, so some light can be shed on it, as this overpricing practice can spread to other areas of the globe.
    Regards,
    Brazilian Apple Products Consumers
    PS: Currency rate used 1.00 US$ = 2.10 R$ (Brazilian Local Currency)
    Tradução literal do que está em inglês:
    "Viemos através desta, pedir apoio a esse jornal/revista no que concerne o assunto discriminado abaixo:
    Usuários apple estão extremamente desapontados com a política de preços da companhia no Brazil. Um certo grupo - representando usuários e admiradores brasileiros da marca coletivamente - uniram-se para tentar chamar atenção a esta situação.
    Quando do laçamento dos novos iMac, no iPad Mini Media Event, em 23 de Setembro de 2012, o preço subiu em 100 dolares, o que corresponde a aumento de 8,3% do preço da antiga linha de iMacs.
    No Brasil, porém, o preço aumento 1047,15 dolares. O que corresponde a um aumento de 55%.
    Esse valor é tão alto que os consumidores não conseguem entender como subiu tão absurdamente.
    Ainda, no meio do ano, quando ocorreu o WWDC 2012, a Apple reduziu em 100 dólares os modelos base dessas linhas na América. Porém, no Brazil o preço desses equipamentos foram inflados em pelo menos 238,10 dolares.
    Alguns exemplos de preços do iMac no mundo:
    Brasil - US$ 2.952,00
    Noruega - US$ 1.852,00
    França - US$ 1.741,00
    México - US$ 1.651,00
    Indonésia - US$ 1.435,00
    Tailândia - US$ 1.394,00
    Vietnã - US$ 1.347,00
    Malásia - US$ 1.314,00
    Com esse aumento tão alto Apple demonstra nada mais nada menos que descaso com o Brasil, país que está tão em voga no cenário internacional, que foi escolhido como sede de dois grandes eventos mundiais do esporta, a Copa do Mundo e da próxima Olimpíadas). Os brasileiros sentem-se feitos de bobos pela empresa.
    Por fim, essa mensagem busca esclarecimento da política de vendas da Apple no país, e uma explicação detalhada de porquê temos os iProducts mais caros do mundo considerando que - se comparado com outros países - preço do Desktop custa mais do que o dobro calculando pela cotação mais recente.
    Para que possamos adquirir um entendimento maior do que está ocorrendo, pedimos que publique uma nota sobre esse assunto, para que possam nos dar uma luz sobre tudo isso; considerando que essa prática inflacionária pode espalhar para outros países.
    Saudações,
    Consumidores da Apple no Brasil."
    Att, Lucy
  25. Positivar
    letslucy recebeu reputação de sandro.an em [Preços] Redação de Carta Aberta à Apple Computer Brasil Ltda.   
    Olá
    @sandro.an
    Teoricamente, quem perde seria somente a Apple Brasil e o governo federal e estadual. Porque o lucro real da Apple US sobre o produto está embutido no preço tabelado.
    A Apple Brazil tem suas próprias margens de lucro, e sua remessa de lucro a ser enviada para a Apple Inc. também mas não é sobre o produto em si. E sim sobre a marca - e dependendo de como for os termos do contrato Apple Inc-Apple Brasil, pode exisitir remessa e lucro por venda, mas é por quantidade monetária arrecadada anualmente, e não por produto.
    (de forma similar como a Renault por exemplo, manda a remessa de lucro para a Renault francesa... Mas como a Apple Brasil é apenas importadora e não fabricante, a "remessa de lucros deles" são os royalties por identificarem a marca em território nacional)
    Essa redução no preço em comprar lá fora e trazer, ocorre porque impostos como o IPI e ICMS são para a comercialização e transporte dos produtos. Não para o consumidor propriamente dito. Por isso ele não incorre quando você compra o produto fora. Somente o de importação incorre sobre você. O IPI vai recair sobre o produto que vai para a loja. Por exemplo, no caso de veículos montados em território nacional, a montadora manda para a loja o carro com um valor X. Mas a loja, vai embutir nesse valor X, o preço do IPI que terão que pagar para o governo. E, para trazer o carro da montadora de um estado Y para o estado Z (digamos, do ABC paulista em São Paulo, para o Rio de Janeiro por exemplo) a loja vai embutir o valor do ICMS aplicável a esse produto. Se o produto for montado e comercializado dentro de um mesmo estado a alíquota de ICMS é igual a 0, então nesse caso, o não seria aplicável, mas o IPI sim, porque é federal a nivel de comercialização de produtos. (exceto quando ele é zerado, por questões de políticas econômicas).
×
×
  • Criar Novo...