Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

paulotavio

Membros
  • Total de itens

    233
  • Registrou-se em

  • Última visita

Posts postados por paulotavio

  1. 2 horas atrás, T-Bond disse:


    Depende do banco então?

     

    Itaú já afirmou diversas vezes que irá adicionar “em breve”.

    Bradesco só funciona o PoupCard, que é o cartão de débito da poupança avulsa. Dado que eles não adicionaram nenhum cartão de débito no Samsung Pay e Google Pay, creio que nunca irão adicionar outros cartões de débito a menos que a Apple force-os (como o fez com o PoupCard (ao que tudo indica, visto que eles tem um mínimo de cartões a serem aceitos e não há suporte ao PoupCard no GPay ou SPay)).

    No momento, pra conta corrente é só no BB mesmo.

    Se quiser ficar atualizado com as últimas movimentações dos bancos, sugiro que entre no nosso grupo no Telegram: https://t.me/ApplePayBR

    Em 13/09/2018 at 15:51, Stow disse:

    Opaaa.... valeu a dica, já vou pedir minha 2ª via. Uso Bradesco, mas master, e isso de só liberar pros visa me deixou bem puto. Já já troco de cartão principal.

    Bradesco não emite mais cartões MasterCard, só Visa, Elo e AMEX, e como eles tem que comprar direito de uso ao sistema de tokenização da bandeira para adicionar às carteiras digitais, não ligaram muito em fazê-lo para uma bandeira que logo não terão mais suporte (após a expiração dos últimos cartões).

  2. 2 horas atrás, Stow disse:

    Bradesco não tem nem interesse, já até postei aqui resposta deles sobre o assunto. Sem previsão, sem negociação, não estão nem aí.

    Acho difícil o Bradesco não ter interesse. O que o Itaú faz, o Bradesco segue e vice-versa (ao menos essa é a tendência), ainda mais se considerarmos que já tem suporte pro Google Pay e Samsung Pay. (O Itaú não, mas provavelmente foi por conta desse foque na exclusividade do Apple Pay, porque a Samsung já colocou o Itaú como “em breve” no site deles.)

    Provavelmente eles estão falando sobre não ter planos pra despistar rumores, mas já há rumores internos de que já está tudo certo,  ainda mais se considerarmos que a subsidiária Next já “confirmou” por mensagem. Porque eles não entrariam tbm?

  3. 4 horas atrás, pedroabj disse:

    Também tenho usado o ApplePay sem problemas, principalmente em máquinas da Cielo. Não uso muito, é verdade, porque meu cartão principal é do Banco do Brasil. Por casualidade tenho um do Itaú que me permitiu testar o sistema. Fico impressionado como é rápido.  Um colega comentou, num post anterior, que não conseguiu pagar em terminais com fio. Eu também não tinha conseguido. Mas hoje cedo fui a uma loja atacadista aqui em Brasília, que tem esses terminais sem fio ligados ao caixa. O curioso é que era um terminal da Cielo, que eu nunca tinha visto conectado a um caixa. Perguntei ao atendente se a máquina aceitava pagamento com celular, ele respondeu que sim e, de fato, funcionou. O atendente era bem antenado, inclusive. Até conhecia a tecnologia NFC. Achei muito legal. Mas o curioso, é que fui obrigado a colocar senha. Já aconteceu com vocês?

    Acho que a questão das máquinas com fio é que devem ser totalmente controladas pelo POS, os quais provavelmente são poucos os que habilitam o NFC. 

    Eu já consegui nas com fio em uma Drogasil (da Cielo; tinha adesivo do Google Pay), Kalunga (tinha do Samsung Pay), Pão de Açúcar, e mais uns dois ou três que não tinham adesivo nenhum.

    Eu só fui pedido senha numa compra de R$ 53,90 (na Kalunga, aliás), e já fiz bastante compra até hoje.

     

  4. 37 minutos atrás, Flávio Brössel disse:

    Meu apple pay sempre funcionou muito bem, Instalei sem problemas no iPhone e também no apple watch series3.

    É incrível como esta espalhando rápido, Ja existem muitos estabelecimentos aceitando 

    Tenho percebido o mesmo. Assim, nem todos entendem por “Apple Pay” mas sim por “pagamento pelo celular”, mas já tem tido vários que já veem o iPhone na mão com o Apple Pay aberto e já fazem o procedimento sem perguntar nem nada, especialmente em restaurantes.

    Acredito que a campanha publicitária do Itaú veiculada na TV e internet ajudaram com que vários pequenos comerciantes e atendentes que operam as maquininhas a deixar o “medo” de tentar essas novas tecnologias.

  5. Em 10/05/2018 at 14:50, gfmolon disse:

    Cara, eu não vou forçar a barra, até não ver bem grande PAGAR COM APPLE PAY nem vou tentar usar. Infelizmente isso só vai ocorrer em grandes redes inicialmente. É uma pena. Mas essa tecnologia pode demorar para decolar.

    Então pode esperar pra não usar. Nem todo comerciante que aceita pagamento por NFC vai aderir à isso, nem hoje nem daqui a cinco anos -- se fosse pra fazer o mesmo com toda nova bandeira aceita, tecnologia, etc, iria ficar cheio de adesivo. Eu já paguei em uns 15 lugares de boa, até mesmo no pastel da feira (inclusive aí no RS, em POA e no interior) e o único lugar que vi "Pagar com Apple Pay" foi no Pão de Açúcar em Uberlândia, e um "Pague com Samsung Pay" na Kalunga, onde eu também paguei com Apple Pay.

     

    A melhor forma de fazer o comércio aderir é ir atrás, fazer com que eles percebam que tem gente realmente interessada. Se todo mundo fosse esperar adesivo aparecer...

  6. Aqui em Uberlândia - MG eu já consegui em quatro estabelecimentos, e alguns outros no Rio Grande do Sul.

     

    No Pão de Açúcar eu fiz uma compra de R$ 12 e não pediu senha, não. As máquinas são as remotas (conectadas aos computadores) da Rede.

    Estive em duas filiais da Drogasil e todas as máquinas eram da Cielo e tinham a logo do pagamento por aproximação, mas a mensagem é sempre "Insira ou passe o cartão". Insisti em tentar mas não dá nenhum sinal. Na última vez, a atendente apontou para a parte do leitor de tarja e disse "é nesse lado pelo que já vi" (ela quis dizer o MST do Samsung Pay, rs). o NFC está desabilitado naquelas máquinas. Fico pensando em porquê fazem isso...

    Em restaurantes foi onde tive a maior aceitação, inclusive em uma viagem ao interior do RS (não Gramado e só locais turísticos, não, rs). Quem não aceitou foi porquê a máquina não estava habilitada. Alguns já até sabiam todo o processo (não tive que ensinar nem nada). Outros aceitaram depois de minhas instruções, e teve um caso em que a moça já logo me entregou a máquina sem ter feito nada -- eu fiz todo o processo, haha.

     

    Também inventei de aproximar no leitor de um caixa eletrônico pra ver no que dava, rs. Ele dá contato mas não funciona... ao menos não na máquina que tentei.

     

    Felizmente ainda não teve nenhum local onde o(a) atendente tenha negado desde primeira, ou ficado muito duvidoso. Todos tentaram ou colaboraram. Tem sido mais fácil que eu imaginava, especialmente por ter ido à vários pequenos negócios ou restaurantes...

  7. Tem o CrossOver, da CodeWeavers, que é pago, mas muito bom! Porém, ele usa o "motor" do Wine, então não sei se vai fazer muita diferença. Alguns programas simplesmente não funcionam devido à forma que foram programados. Veja se há o programa no banco de dados do Wine (https://appdb.winehq.org) ou da CodeWeavers (https://www.codeweavers.com/compatibility/browse/name/).

     

    Outra opção seria usar o Parallels (http://www.parallels.com/) ou o VMWare Fusion (http://www.vmware.com/products/fusion/), mas aí você tem que ter um CD original do Windows.


    Já tentou mudar a versão do Windows na Bottle? Se não me engano, vem pré-configurado com XP.

  8. Como eu expliquei ali em cima, eu paguei pelo aplicativo e querer deletei, quando fui baixar novamente, tinha que pagar mais uma vez, vou entrar em contato com a Apple pois tenho o comprovante da compra no meu e-mail !

     Já tentou ir na lista de purchased (comprados) pelo iTunes, ao invés de ir direto no App?

     

    Sei que com um filme que eu adquiri na iTunes Store é assim: se eu vou nele direto pela loja, ele mostra a opção de compra, mas se vou no Purchased, ele aparece lá pra download.

  9. O problema de tirar os comentários dessa forma é que o site passa a não ter a mesma experiência. Aquela coisa de blog, em que você entra e vê o pessoal comentando, adicionando algo, ou fazendo alguma piada de vez em quando...

    Dá pra comentar aqui, mas é muito mais conveniente (e legal) pular pros comentários aquela hora que você ta lendo as notícias, quando clicou na notificação e tal, num momento que você ta na rua e tal, sem sair do blog em si...

    Os comentários estilo Tecmundo existem sim, mas quando é que eles iriam sumir 100%? Muitos bons sites tem o mesmo.

    Sugiro fazer o mesmo que o Mac Rumors fez. Sem comentários chatos no blog e toda a liberdade no fórum. Os comentários são conteúdo bom se funcionarem da forma correta.

  10. Paulotavio, me desculpe mas tu não entendeu o proposito do meu post.

    Olhe novamente as imagens e vai ver o preços dos notebooks em dólares, depois veja-os em reais. Agora compare os preços em dólares dos Apple com os preços em reais do mesmo. Pronto, é só isso.

    A Apple quer lucrar aqui muito mais do lucra la fora, já a Dell não. E foi isso que eu quis mpstrar, sem ofença.

    Se dependesse de mim a Apple Brasil fecharia porque eu pretendo não comprar nem um prego vindo de lá. Prefiro mil vezes ir ao Paraguai ou comprar de algum vendedor daqui do fórum. Isso é legalmente errado? Pode até ser, mas não vou aceitar esse estupro que esse tipo de empresa pratica com o consumidor brasileiro.

    Falou <o.

    xD

     

    Mas foi isso mesmo que eu discuti: o porquê de a diferença de preço (entre preço original X preço no Brasil) diferir entre a Apple e as demais, rs... ;)

     

    Não encarei como ofensa não, só acho que não dá pra comparar a política de preços das duas empresas comparando especificações técnicas dos PCs da Dell com os da Apple, principalmente quando vc disse:

    (...) o foco era mostrar como deveriam ser os preços da Apple Brasil. Imagima um Retina de 13.3" 2.4GHz/256Gb/8Gb por R$4100,00? Seria mesmo uma maravilha :/
  11.  

    Então galera, tava dando uma fuçada como de costume e acabei encontrando uma evidência CLARA de que além de impostos existe muito oportunismo das multinacionais com relação a venda de eletrônicos por aqui.

     

    Olhem as imagens abaixo e entenderão o que to dizendo. 

    Se o preço dos Apple seguissem essa proporção... Ah, ai seria bom!

    Existem algumas pequenas variações na configuração, como a quantidade de RAM, mas isso não é nada de mais (...)

     

    auzi.png
    rp9i.png
     
    falou <o.
    xD
     

     

     

     

    Então galera, tava dando uma fuçada como de costume e acabei encontrando uma evidência CLARA de que além de impostos existe muito oportunismo das multinacionais com relação a venda de eletrônicos por aqui.

     

    Olhem as imagens abaixo e entenderão o que to dizendo. 

    Se o preço dos Apple seguissem essa proporção... Ah, ai seria bom!

    Existem algumas pequenas variações na configuração, como a quantidade de RAM, mas isso não é nada de mais (...)

     

    auzi.png
    rp9i.png
     
    falou <o.
    xD
     

     

     

    Peraí gente, vamos separar as coisas.

     

    Uma coisa é a faixa de preços da Apple indiferente de onde no mundo ela está, e o diferencial.

    A Apple trabalha muito com os pequenos detalhes que, no fim das contas, fazem a diferença - vai desde o carregador que 'dobra' o cabo direitinho até o design e a simplicidade de software.

    Mesmo lá fora, enquanto as concorrentes vendem os mais baratos por 300 ou 400 dólares, a Apple só começa na casa dos mil.

    Portanto, será mesmo que dá pra comparar configuração de MacBook com outros só vendo memória, slots e tudo mais?

     

    Outro lado é o tal dos preços que as empresas (de eletrônicos, automobilística, de produtos de esportes, vestuário, etc) tem aplicado no Brasil. Já tem sido bem discutido que não é só uma questão de imposto. O imposto alto atrapalha, sim. Mas quando as empresas, que vendem produtos caros/não-tão-acessíveis veem os produtos (1) se tornando inacessíveis a qualquer pessoa devido a dólar e impostos, (2) uma população que não se importa em pagar mais se for parcelado em X vezes, (3) consumidores que não reclamam os preços e (4) sabe que o país tem muita gente que gosta de comprar coisas caras só pra ostentar, querendo se sentirem exclusivas, elas passam de uma forma de lucrar para outra, isto é, em vez de ganhar muito vendendo muitos produtos por baixos preços, ganham muito vendendo pouco por altos preços. Como as empresas na verdade não estão nem aí pros consumidores, elas aumentam conforme as probabilidades de compra e ganham mais e mais.

     

    Já parou pra reparar que a diferença de preço (em relação ao preço aqui com o preço real) entre os iPhones 5s sobem conforme o tamanho? Aí a gente se pergunta: mas o dólar não é o mesmo? E a taxa de impostos não é a mesma? Porque é que um iPhone 5s de 16 GB tem uma diferença em relação do preço original menor do que a do mesmíssimo aparelho em sua versão 64 GB?

    Muito simples: independente de preço "adicionado", a empresa sabe que a R$ 1700 (preço original aproximado), pouca gente num país onde o salário mínimo é 720 R$ vai poder comprar um iPhone 5s de 16, mas menos gente ainda vai poder pagar +- R$ 2200 num de 64. Quando os impostos e outros custos são adicionados ao preço original, as possibilidades diminuem, aí é simples: quem paga uns 3000 num smartphone provavelmente pode pagar por outras coisas caras, e ganha bem. Geralmente, quem ganha bem e paga isso tudo num aparelho quer 'exclusividade', e isso implica em pagar por coisas que poucos podem pagar. Daí, as empresas sobem ainda mais o preço e os babacas (me desculpe, mas tem que ser babaca mesmo pra pagar R$ 3599 num aparelho mesmo que seja o melhor do mundo!) pagam do mesmo jeito. Maior lucro.

     

    É por isso que a Acer, Dell e cia não sobem tanto: os PCs delas já são mais baratos lá fora mesmo, e são numa faixa que boa parte dos brasileiros podem pagar. Aí elas vendem muito por pouco, bem como lá fora.

     

    O problema é saber que ultimamente, elas (principalmente a indústria automobilística) tem ganhado muito por muito...

    GOL 1.0 - Volkswagen (Sem Palavrões) @CanalDoOtario - YouTube

×
×
  • Criar Novo...