Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Odigooogle

Membros
  • Total de itens

    476
  • Registrou-se em

  • Última visita

Tudo que Odigooogle postou

  1. Muito bem observado, a CISA Trading apenas presta um serviço para a Apple Brasil. Ela não importa e revende para a Apple Brasil como eu erroneamente insunuei antes. Portanto, ela não é um "atravessador" e o valor dos serviços por ela prestados entra como custo da Apple Brasil. Não vou publicar aqui esse documento pois ele não é de acesso livre e irrestrito, tanto é que para acessá-lo é necessário fazer um cadastro no portal da Junta Comercial de São Paulo. Qualquer um que se cadastrar pode ter acesso a este e outros documentos não só da Apple como de todas as empresas que atuam no estado de São Paulo. Basta, portanto, pesquisar no portal da Jucesp para ter acesso a estes documentos. Já expliquei sobre isso num post anterior. Quanto a alíquota do Imposto de Importação, este site do Governo Federal diz que ela tem por base a Tarifa Externa Comum, não vi em nenhum lugar dizendo que há distinção entre produtos de dentro ou de fora do Mercosul. Mas posso estar errado, não sou especialista na área. Esta pergunta não é fácil de ser respondida, você mesmo já percebeu isso. Só teremos esta informação em duas situações: 1) Se algum especialista em tributos E que conheça as operações da Apple aparecer por aqui e fizer o grande favor de compartilhar os conhecimentos dele conosco. Acho improvável, mas não impossível. Ou 2) Se a própria Apple passar a divulgar essa informação em sua loja on line. Seria o ideal a meu ver, mas pelo visto ela não está interessada em fazer isso, se não já teria feito. Apple Computer Brasil Ltda. CNPJ n.º 00.623.904/0001-73 Todo mundo aqui sabe disso, não sei por que virou motivo de especulação neste tópico. Essa questão de ser filial, joint venture, holding... não tem nada a ver com o assunto do tópico, só está servindo para tirar o foco do que realmente importa. Se querem descobrir como estão estruturadas as operações da Apple no Brasil, fundem um tópico para isso. Este aqui é para elaborar uma carta a Apple Brasil. Essa é uma informação que nós nunca saberemos, pois não basta fazer uma projeção com base nos custos dos componentes e da mão-de-obra como aquele site faz. Existem outros outros custos que não são divulgados pela Apple, o custo com P&D por exemplo. Portanto, é perda de tempo querer saber isso. O máximo que podemos fazer é engenharia reversa no preço de venda até chegar num valor aproximado pelo qual o produto é importado. Mas isso só uma pessoa que domine este assunto pode fazer. Quanto a carta, que é o real assunto do tópico, não acho que o envio deva ser postergado até o lançamento do iPhone 5, como sugeriram anteriormente. Acho que devemos enviar o quanto antes, para recebermos uma posição da Apple a tempo de pensar e organizar outra ação para o lançamento do iPhone 5, como resposta a provável desculpa esfarrapada que a Apple dará.
  2. Sim, é mais uma empresa a lucrar na cadeia de importação e venda. Meu iPhone também foi importado pela Cisa Trading, mas isso em 2010. Vc comprou o iMac recentemente? Talvez depois que a Apple começou a montar produtos aqui, também tenha passado a importar por conta própria todos os outros que não são montados. Vai saber...
  3. Este e outros documentos relacionados a Apple do Brasil estão disponíveis no site da Junta Comercial do Estado de São Paulo (http://www.jucesponline.sp.gov.br/pesquisa.aspx). Basta fazer o cadastro gratuito para ter acesso aos documentos. Dica: o site está com um bug, então, sempre depois de baixar um pdf limpe o cache do navegador e faça login novamente para baixar o próximo pdf que você quiser.
  4. Muito bem Eduardo, estávamos carentes de alguém que realmente entendesse dessa bagunça tributária brasileira. Por causa dessa bagunça, acho difícil de nós entendermos exatamente como os tributos influenciam nos preços finais dos produtos. A não ser que alguém que entenda muito e seja familiarizado com as operações da Apple nos explicasse. Uma coisa que estamos esquecendo é que a Apple tem que colocar um lucro maior nos seus produtos para que os atravessadores e as revendas também possam lucrar. Vejam: Quando você compra numa revenda você está pagando o lucro da revenda, da distribuidora - o "atravessador" - que pode ser a Avnet ou a Ingram, e o lucro da Apple, além dos custos de cada um obviamente. Já quando você compra na Apple Online Store você paga os custos da Apple e o lucro da Apple. Como o preço é tabelado, a Apple lucra mais quando vende direto e menos quando vende pelas revendas. Então, se a Apple fosse a distribuidora conseguiria eliminar as atravessadoras (avnet e ingram) e com isso permitir uma redução dos preços. Desculpem se não está muito claro o que escrevi. Também estou viajando e por isso estou respondendo pelo iPhone, o que não é nada prático.
  5. Não houve nenhuma alteração na razão social da Apple Brasil desde que ela foi criada em 1995. Não sei de onde vc tirou isso. Houve sim acréscimo de atividades. A Apple Computer Brasil Ltda. é uma empresa com sede no Brasil e cujas sócias são a Apple Inc., sediada em Cupertino e a Apple Pacific Inc., com sede também nos EUA, só não me lembro agora a cidade. A Apple Computer Brasil Ltda. não é uma Holding porque não há nenhuma referência a essa atividade em seu Contrato Social. E se não me engano, acho que já li uma vez que a operação da Apple Online Store no Brasil é tercerizada.
  6. A alíquota do Imposto de Importação para o iMac é de 15%, se não me falha a memória, conforme consta na Tarifa Externa Comum do Mercosul. A alíquota de 60% só é aplicada quando a importação é feita por pessoa física.
  7. O prazo para envio dos comentários à Veja não terminaria ontem, quarta-feira?
  8. O Movimento convencionou, por assim dizer, que primeiro vamos enviar uma carta aberta à Apple Brasil e aguardar um resposta dela. É o passo a ser dado se quisermos ser sensatos com o movimento, pois damos a Apple a oportunidade de se manifestar antes de qualquer outra ação que o Movimento queira realizar. Mas depois que a Apple responder, se responder, e com base no que ela disser poderemos/deveremos realizar outras ações. Aí sim, concordo com você que poderíamos diversificar as ações, inslusive no "mundo real" como você disse, pra chamar a atenção mesmo e arrancar exclamações das pessoas do tipo: "olha o que esses caras tão fazendo!" "eles são corajosos" "eles são criativos" "concordo com eles, não vou comprar mais esse produto até que o preço seja justo.". Mas já adianto que particularmente não concordo com protestos violentos ou "ignorantes", como queimar produtos em vias públicas, por exemplo. Quando estivérmos nesse ponto precisaremos muito de criatividade pra bolar o que será feito. Mas isso é mais pra frente. O objetivo agora é: terminar a carta e enviá-la para Apple e órgãos de imprensa. Foquemos nisso, então, pois quanto antes concluírmos essa etapa mais rapidamente alcançaremos as próximas.
  9. Kkkkk.... sorry guys. É que na verdade os autores/pensadores da Administração divergem sobre a quantidade de P's . Kotler, o mais conceituado nessa área, diz que são os 4 que eu citei antes, já outros autores dizem que são 5, sendo este 5º Pessoas.
  10. Parece ser isso mesmo, Fábio. Ele não tem conhecimento dos reais motivos e por isso saiu pela tangente com uma explicação fajuta. Agora que me dei conta de que na verdade o diretor a ser inquerido sobre isso nos EUA deveria ser o Schiller, pois é ele o chefe global de Marketing da Apple. Quem não é da área de negócios pode não saber, mas uma das atribuições do setor de Marketing é justamente definir os preços a serem praticados. (Os cinco P's do Marketing: Produto, Preço, Praça e Promoção).
  11. Só não consigo entender porque eles não deixam claro para os consumidores quanto de tributo está embutido no preço final. Bastaria isso para mostrar que a culpa não é da Apple, se realmente for assim. Na resposta ele diz que as causas são o aumento do dólar e mudanças na cobrança de tributos. Quais mudanças são essas que ninguém ouviu falar? Achei estranho. @mrvictorms, se você concordar e se dispuser, responda ao email do Oppenheimer questionando quais são estas mudanças nos tributos a que ele se refere e aproveite pra sugerir que a Apple passe a divulgar quanto de tributos está embutido em cada produto dela vendido na Apple Online Store.
  12. Concordo com você, lutar só com a Apple não vai eliminar a raiz do problema. Mas temos que começar, certo? Já diz o ditado: "Roma não foi construída em um único dia". Se essa ação contra os preços praticados pela Apple surtir algum resultado, por menor que seja, já será uma vitória. E servirá de incentivo para as pessoas continuarem a brigar pelas mudanças necessárias.
  13. Nunca pleiteei liderança alguma, então não me incomoda nenhum pouco os demais terem repassado a ele essa e outras responsabilidades. Nunca me incomodou as alterações propostas pelos demais, pelo contrário, ficava empolgado em ver as pessoas se manifestando para sugerir alterações. Quando publiquei o rascunho minhas intenções eram: primeiro [tentar] motivar as pessoas e segundo criar uma situação propícia onde todos pudessem exercer seu papel no movimento. E estava indo por esse caminho. Talvez o meu erro tenha sido me empolgar demais. Eu devia ter postado o rascunho e me afastado. Serve de aprendizagem pra mim. Pelo amor de Deus! Na resposta #42 está bem claro o motivo da minha 'braveza'. Tudo se resumo àquilo, nada além. Muito obrigado pela consideração, de verdade, mas não quero. Se quiserem continuar com essa discussão paralela (eu não quero) façam outro tópico no off-topics para isso. Por favor, não desvirtuemos mais este aqui.
  14. Gentilmente declino. Da minha parte, vou aproveitar a oportunidade pra dar por encerrada minha participação mais ativa, por assim dizer. Volto a ser ouvinte dando pitacos esporádicos como antes. Quem acompanhou com mais atenção o tópico que deu origem a este (link) deve se lembrar que só "pedi licença pra falar" pra tentar ajudar o movimento a andar. O JoeD estava lá (e muitos de vocês também) e já testemunhou sobre isso aí pra cima. Sendo assim, como o movimento começou a andar pra frente por conta própria, então meu objetivo em participar mais ativamente já foi alcançado. Até a próxima.
  15. Muito boa essa ideia! Já vou mandar os meus emails também. Orra... pra uma carta que até então estava sendo escrita em conjunto pelos colegas do fórum você já definiu que está pronta, que vai enviar em nosso nome e ainda desfez alterações que haviam sido feitas antes? Definitivamente, eu não me canso de me surpreender [negativamente] com as pessoas, qualquer oportunidadezinha que aparece pra ficar em evidência o ego já toma conta. Que triste... vamos lá, então, vamos ver até você consegue ir. Desculpem o excesso de sinceridade, eu sei que isso costuma assustar as pessoas que não estão acostumadas mas é o meu jeito. Quanto a carta que você reescreveu, acho que ficou inchada demais, com muitos rodeios. O JoeD sugeriu introdução e fecho melhores no outro tópico, no que eu concordo com ele. Mas não acho que seja necessário tanta coisa assim. Até porque, o que nós queríamos era questionar a Apple do porquê desses aumentos inexplicáveis e depois da discrepância de preços de alguns modelos aqui e nos EUA (sugestão sua, muito pertinente). Como eu já disse no outro tópico, nós não podemos exigir que ela divulgue informações estratégicas da empresa, como você quer quando pede "qual a sua política de vendas", talvez o que você esteja querendo pedir é outra coisa e não está conseguindo se expressar, mas o fato é que esta frase aí quebra tudo e dá margem para eles invalidarem nossa carta, argumentando que estamos querendo meter o bedelho no que não nos compete. E eles estariam com razão. O que o Gabriel Hoffmann sugeriu eu acho interessante também: pedir que se possível divulguem quanto de impostos tem embutido nos produtos, é algo viável para Apple atender (exceto o Imposto de Importação), tanto é que ela começou a fazer isso na Apple Online Store um tempo atrás, mas por algum motivo desconhecido parou. No mais, você está tentando rebuscar demais o texto, usando palavras pomposas do jargão dos advogados, suponho eu, mas isso é totalmente indesejado neste caso. A carta tem que ser clara e objetiva, ou utilizando uma palavra que os seguidores da Apple conhecem bem: minimalista. Só o necessário. Não queria a tomar frente, pra ficar bem na fita? Comece aprendendo que todo líder está sujeito a críticas, justas e injustas.
  16. Eu já acho que isso é uma questão de personalidade, a sua é de fugir da bagunça (sem ofensas) e cada pessoa terá uma reação diferente. Muitos infelizmente se aproveitam da bagunça pra tirar proveito próprio. E assim vai...
  17. Sim, não é nossa carta que fará eles cortarem os preço dos produtos. É a diminuição da demanda. Vocês dizem isso o tempo todo e estão certos e eu desde de sempre disse isto também, procurem meus posts do início dessa polêmica que verão que eu falaei que é a demanda alta que permite a eles fazerem isso. Mas, nosso objetivo com esta carta é questioná-los do porquê disso, mesmo que corramos o risco de receber um "dólar & impostos" como resposta. Outro objetivo, pelo menos meu é, é fazer eles perceberem que as pessoas estão deixando de ser bobas neste país. Os executivos da Apple já trabalharam em outras empresas grandes no Brasil, basta ver no prefil deles no LinkedIn: Ford, Nokia etc. eles estão achando que o povo continua como antigamente, mas não! Existem pessoas como eu, o Gustavo, o tico, criador desse tópico, o JoeD, e todos os outros que não concordam com essa maldição que se arrasta a séculos no Brasil, nós não concordamos e não vamos ficar parados olhando e reclamando, como o povo de antigamente fazia e ainda faz, nós QUEREMOS que isso mude! E enviar esta carta é um começo, um pequeno aviso para eles: olha, as coisas aqui estão mudando, fiquem espertos! Logicamente, eu gostaria de fazer algo maior, algo que alcançasse milhões de pessoas e permitisse colocar uma pulguinha atrás das orelhas delas, pra que elas questionassem a si mesmas se o que estão fazendo é o correto: comprar por status, esbanjando dinheiro a torto e a direito. Mas o que pode ser feito? Estávamos discutindo aqui há quase uma semana e ninguém foi capaz de dar uma ideia desse tipo. Que ela existe, existe, mas quem a terá? Criatividade é uma coisa que não falta ao ser humano, volta e meia me impressiono com a criatividade humana, mas infelizmente nem todos conseguem acessar por completo essa criatividade, eu sou um exemplo disso. Então, ao invés de chorar as pitangas, vamos fazer algo, e esse algo por hora é enviar essa carta a Apple Brasil. Mas se alguém aí tiver a "ideia de ouro", não deixe de compartilhar conosco, ok, não seja egoísta. Esta sua observação foi muito interessante e pertinente, acho que podemos colocá-la na carta. Bom, como criaram outro tópico vou "migrar" pra lá, pra manter as conversas centralizadas.
  18. Um dos problemas do brasileiro é esse: dá o jogo por perdido antes mesmo de começar. Beleza. Fiz mais uns ajustes e escrevi de modo diferente o que você acrescentou sobre a incogruência de preços entre modelos. Acho que não podemos pedir que a Apple divulgue informações estratégicas, como é o caso da política de vendas, pois ela nunca fará isso. Então, pedi apenas que ela dê uma explicação sobre esta diferença de preços. Fiquem a vontade para fazer mais ajustes. Para a Apple Brasil, por email e carta se acharem pertinente, e cópias para vários órgãos de imprensa: a INFO, que você sugeriu, a VEJA que o JoeD sugeriu, Folha de São Paulo, O Globo, Olhar Digital, Gizmodo, Tecnoblog, Macworld Brasil e outros que vocês sugerirem. E então, podemos começar a "colher" as assinaturas? O Gustavo sugeriu os dados de cada um que precisam ser enviados: nome completo, cidade, RG e Apple ID (se tiver). Mandem por MP, assim ninguém tem suas informações expostas. Quem se incumbirá de reunir estas informações?
  19. Bom dia pessoal, todos animados? Espero que sim. Eu escrevi este rascunho da carta, coloco aqui para apreciação, crítica e melhorias de todos. Vamos lá pessoal, animem aí. Já chegamos até aqui, vamos até o fim agora.
  20. rs. minha cabeça tá zoada aqui também, mas mais de sono. ;D Vamos começar pela Apple Brasil, né pessoal? Se não derem resposta aqui podemos pensar em questionar a Apple USA, depois. Então, estando todo mundo de acordo, mãos a obra! Só que amanhã né, gente, por agora já tá todo mundo com sono... -o- A nãe ser o JoeD que deve estar num fuso horário diferente! Mas se alguém ainda tiver bateria e quiser começar a redigir a carta, fique a vontade. Vamos elaborar essa carta aqui pelo Fórum mesmo? É mais prático, certo? Ou não?
  21. Essa ideia é muito boa, tinha me esquecido dela quando escrevi a outro comentário. Acho que por em prática essa ideia seja mais fácil que a dos emails. Talvez comecemos por ela e se não surtir nenhum efeito passamos para os emails. Mas como solicitamos este esclarecimento público? (desculpem minha ignorância) Escrevemos um texto solicitando o esclarecimento, publicamos em uma página na internet e depois disparamos emails pra imprensa e pra própria Apple? Seria isso?
  22. Eles já são figuras públicas, tanto que é que todas estas informações sobre eles estão disponíveis livremente na internet. Eu estaria fazendo algo errado se junto com as informações e fotos postasse algo - seja texto, imagem ou som - que denegrisse a imagem deles. Não fiz nada disso e espero que ninguém aqui faça.
  23. Mandar a mesma mensagem todo dia não adianta, a coisa mais fácil que existe é configurar filtro no email. Depois da segunda mensagem que eles receberem eles configuram pra que todas as outras que chegarem sejam enviadas automaticamente pra Lixeira. Essa ação pra ter algum efeito teria que ser "rápida e certeira", um único golpe. Muitas pessoas enviam emails quase que simultâneamente com texto e campo "Assunto" diferentes mas fazendo os mesmos questionamentos. Num momento a caixa de emails está vazia, no instante seguinte que eles olharem tá lá mil mensagens tratando do mesmo assunto mas com textos escritos de forma diferente. No mínimo vamos conseguir fazer com que gastem alguns minutos conversando a respeito do ocorrido. Veja que a ideia é mandar as mensagens pra no mínimo três executivos.
  24. Eles são acrescidos depois da aplicação do Imposto de Importação sobre o valor da NF de entrada e junto da margem de lucro: (Valor do produto na NF de entrada + Imp. de Importação) + Custo Brasil (inc. tributos) + Margem de Lucro = Preço de venda Sobre a desorganização, é natural, já que toda ideia que alguém dá vem outro e diz que não vai dar certo e blablabla. Assim não vai pra frente mesmo. Se quiserem que isso ande é preciso ter uma liderança (como você mesmo disse e eu concordo) e uma ideia de ação. Afinal de contas, que ação podemos executar: Abaixo assinado? Pra quem? Apple USA? Apple Brasil? Governo? ... [*]Envio de emails questionando? Pra quem? Tim Cook? Apple Brasil? [*]Campanha no Twitter pra chamar a atenção da mídia/sociedade? Outra coisa? O quê? Se for pra mandar email, penso que seja melhor enviar diretamente para os excutivos da Apple no Brasil, poderíamos determinar um dia e horário para que todos enviem ao mesmo tempo, assim não tem como eles configurarem filtros pra desviar nossas mensagens direto para a Lixeira. ;D Poderíamos focar nestes executivos: Ricardo Barbara (LinkedIn) Country Manager na Apple Este é o que responde pelas operações no Brasil. Vuk Petrovic (LinkedIn) Finance Executive / CFO Este é o Diretor de Finanças e Administração. Bruno Moura (LinkedIn) Sales & Marketing Executive at Apple Se a Apple BR tem autonomia é este cara quem define os preços e demais estratégias de Marketing. Então ele deve ser o principal a ser questionado.
×
×
  • Criar Novo...