Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Placar

Conteúdo Popular

Mostrando conteúdos com a mais alta reputação desde 08-08-2021 em todas as áreas

  1. Pessoal, bom dia! Resolvi vir aqui compartilhar um pouco da minha experiência real de compra nos EUA usando a Nomad e a Zip4Me, que tanto é falado aqui no MacMagazine. A Nomad eu já conhecia desde meados do ano passado, quando meu cartão da Nubank passou a ser rejeitado para pagar o AppleCare+ de forma mensal, hoje a Nomad pra mim é de longe a melhor opção, super simples de usar, menores taxas de spread (quando não fazem promoção e não cobram nada, fazendo o cambio comercial), pode ser usado nas lojas americanas, fazer transferencias para outras contas americanas sem custo e fazer investimentos. Único ponto que não gosto muito são as opções de investimento, todas focadas em carteiras/perfis fechados, o que significa um conjunto de ações que eles julgam aderentes aquele perfil, isso deixa o investimento um pouco "engessado", mas é possível transferir para outras corretoras americanas de graça, então esse problema fica menor. A Zip4Me eu conheci aqui pelo site, me cadastrei e fiquei aguardando o momento para efetuar algumas compras, o portal em si é super simples, de começo parece algo quase amador, dado a simplicidade das informações, mas como as recomendações aqui do site e do Breno foram ótimas, resolvi arriscar. Depois do cadastro você recebe o endereço do seu "Storage" nos EUA, e basta adicionar isso nas compras. Grande vantagem aqui é que esse endereço está localizado no estado do Oregon, e por alguma razão lá não tem imposto sobre a compra, isso já da uma economia media ai de 6 a 8% sobre o valor final das compras, o que na conversão é considerável. Bom, indo as compras, fiz um aporte no dia 24/06 na conta da Nomad, naquela semana que o dólar chegou a ficar abaixo de 5, porém teve taxa de spread, então o cambio VET foi de R$ 5,06. No dia 25/06 o valor já está disponível para uso. Fui a Apple Store US online e montei meu pedido: Pack 4 AirTag personalizado, Case silicone iPhone 12, Sport Band Apple Watch, 2 Key Ring da Belkin, Belkin 3-in-1 MagSafe Charger, Logitech Keyboard Combo Touch para iPad Pro 11 Valor total da compra: USD 562,80, com frete grátis e sem impostos Total em reais: R$ 2.846,20 O pack das airtags tinha prazo de entrega de 2 a 3 semanas, os demais estavam com entrega imediata. Assim os pacotes começaram a ser entregues no dia 27/06 na Zip4Me. As Tags vieram da China, via FedEx, com todo o rastreio feito pela Apple, e acabaram chegando antes do esperado, no dia 02/07. A Zip4Me assim que recebia um pacote me enviava um email com notificação, e em até 24 horas depois no portal deles era possível ver a foto das caixas, com o peso. Achei esse serviço super legal, não tem custo nenhum, e você pode confirmar se recebeu o que de fato comprou. Eles oferecem ainda outros serviços (alguns com custo) onde abrem as embalagens, testam os produtos, etc. A medida que os pacotes iam chegam você vai montando o seu envio, com opções de tirar ou não da caixa, enviar tudo de uma vez ou de forma separada, e declarar ou nao o valor, de forma completa ou simplificada. Aqui, optei por enviar tudo em um único pacote, com as caixas, e o valor declarado de forma simplificada, ou seja, dizendo o que são os itens, igual fiz aqui no texto anteriormente, e colocando o valor total da fatura, no meu caso declarei USD 560,00. Esse ponto vale um pouco de atenção, você pode declarar o valor que quiser, pode inclusive não declarar valor nenhum, o imposto no Brasil será de 60% sobre o valor declarado, SE CONDIZENTE COM A REALIDADE, se na hora que chegar no Brasil a fiscalização achar que o valor está menor do que o a realidade, o valor será de 100% sobre o valor que a Receita estipular + ICMS sobre aquela mercadoria (por ex, um notebook para SP tera 18,5% de imposto). Sendo assim, eu poderia declarar um valor menor? Poderia, exceção a base de carregamento e a case com teclado, os demais itens são básicos (mesmo as Tags que no raio X apareceriam basicamente como baterias), mas ainda assim teria um risco de ser sobre taxado. Logo vai de cada um, eu decidi declarar o valor real justamente para ter noção das diferenças de preço entre comprar no Brasil e nos EUA. Claro, existe também o ponto de não ser parado na fiscalização, aqui cada um vai achar uma informação na internet. De que é sorte, de que 100% dos pacotes são minimamente fiscalizados, de que se é de pessoa física pra pessoa física passa direto, de que se o valor tiver preenchido eles já deixam passar direto so gerando a guia de imposto, que dependendo do peso na fiscaliza, assim por diante. Honestamente, não sei a verdade, prefiro trabalhar com o pior cenário e considerar que vai ser fiscalizado sempre, logo, considerem num pior cenário, sem risco, 60% de custo sobre o valor da compra. Enfim, no dia 05/07 o envio estava pronto para ser despachado (devido o feriado de 04/07), e uma fatura no valor de BRL 498,89 (USD 95,20) foi gerada pela zip4me para a modalidade de envio Zip4cket Express (entrega de 8 a 16 dias uteis), teoricamente a mais rápida, ja incluso o custo de redirecionamento deles. O peso total do pacote foi de 4,64oz, fiz uma tabela com a distribuição proporcional do custo de frete sobre o peso dos produtos, assim como fiz com o imposto. As opções de pagamento eram PIX ou TED, fiz um PIX e enviei o comprovante via WhatsApp, na hora o valor foi confirmado e o pacote liberado para envio, sendo despachado no dia 06/07/2021. Um código de rastreio dos correios foi gerado, iniciado com a sigla IX, porém até o dia 15/07 nenhuma informação constava no sistema. Do dia 15/07 a 22/07 o objeto apareceu como postado, mas não estava claro se ainda estava nos EUA ou no Brasil. A explicação é que nesse período ele já estava sobre custodia dos correios brasileiros, que possui centros de armazenamento nos EUA, e em transito. No dia 22/07 ele apareceu como recebido na unidade de logística de Curitiba. No dia 24/07 foi encaminhado para fiscalização aduaneira, e no dia 31/07 o valor do imposto foi liberado para pagamento. Como dito anteriormente o valor do imposto foi de 60% sobre o valor declarado (USD 560) e o cambio utilizado foi BRL 5,17, totalizando assim um imposto de R$ 1.737,15. Apesar do portal dos correios dizer que essa guia pode ser paga por cartão de credito ou visa checkout a unica opção que apareceu para mim foi via boleto bancário. Efetuei o pagamento no dia 02/08, o pagamento foi processado no dia 03/08 e o pacote foi entregue na minha cidade (Bragança Paulista - SP) no dia 05/08. Ou seja, 40 dias após a compra ter sido de fato realizada. No resumo, o valor total da compra, incluindo o frete da Zip4Me e Imposto foi R$ 5.082,24 (79% de acréscimo sobre o valor real da compra), com dólar medio de R$ 5,15. Para os itens que existem na Apple Store do Brasil a diferença de preço ficou entre 57% a 17%, sendo que os itens da Apple a variação foi respectivamente 36%, 30% e 17% para AirTag, Capa de Silicone e Pulseira (considerando sobre o valor a vista e também frete grátis), mais detalhes na tabela anexa. A Base de carregamento e o teclado touch para iPad ainda não localizei a venda oficial no Brasil e não consigo fazer a comparação. Resumo da Experiencia: Vale a pena? Depende. Para itens que não existam no Brasil ou personalizados, sem duvida. Se você tem o dinheiro pra pagar a vista, provavelmente você vai economizar um pouco, principalmente se puder esperar 1 mês para receber. Tudo é uma questão de pesar os benefícios e prazos de entrega. Acho super valido considerar a questão do frete, que no meu caso foi quase 18% do valor da compra original. Essa pode ser a grande diferença entre valer a pena ou não. Itens leves com alto valor agregado (por ex as AirTags) resultam em um diferença considerável (36% de economia, porém hoje mesmo saiu uma promo no ponto frio que reduz essa economia para 18%), já a pulseira, que é incrivelmente mais pesada que a capa (provavelmente por causa da embalagem, que poderia ser retirada) a diferença foi só de 17%, devido ao baixo valor agregado (e não é difícil achar promoções no Brasil com valores bem menores que da apple, a questão é o tamanho e a cor). As vantagens para mim aqui são reduzir o máximo o numero de intermediários, ter clareza sobre todo o processo, e nesse ponto a Zip4Me é muito boa, total clareza nas etapas e suporte ativo no WhatsApp para esclarecer duvidas e também ter todo o processo homologado e documentado. Claro que existem outras experiencias validas, agentes de confiança que podem fazer o processo por você e as vezes com custo menor, mas decidi compartilhar minha experiência aqui justamente por ter tido uma experiencia negativa com esses agentes e resolvi me arriscar fazendo por conta própria. Quem tiver interesse eu posso disponibilizar todos os documentos e valores para comprovar os dados que divulguei aqui. Espero ter contribuído! Abraços!
    9 pontos
  2. Se esse indicador de saúde não existisse, você estaria preocupado agora com a sua bateria? Poderia dizer sem sombra de dúvidas que após a atualização você percebeu impacto na autonomia? São perguntas honestas, porque eu uso e conserto iPhones desde sempre, e na minha opinião e experiência as pessoas reclamavam da bateria com mais legitimidade. Antes o cliente percebia que a bateria já não durava mais a mesma coisa, e agora me ligam pra dizer que baixou 1% da saúde do dia pra noite, ou que o iPhone do fulano parece não baixar na mesma velocidade. Me parece neurose, pra ser sincero. As pessoas passaram a trocar de iPhone por causa desse número (que é uma estimativa e pode inclusive subir) sem mesmo cogitar uma troca de bateria ou até mesmo se a autonomia realmente diminuiu e deixou de atender a necessidade. Fico imaginando se os pneus de carros e amortecedores tivessem indicadores de saúde. Acredito que a Pirelli e a Cofap iam lucrar razoavelmente mais, mesmo as pessoas fazendo o mesmo uso dos carros, rs. O iPhone 6S é de 2015 e recebe atualização até hoje, no mesmo dia em que o iPhone 13 Pro Max recebe. Tem usuário com Mac 2010 fazendo uso profissional. iPad também costuma ter vida útil mais longa que os concorrentes. São aparelhos que desvalorizam muito menos que os da concorrência e são vendidos seminovos com bastante facilidade... Então particularmente eu não vejo obsolescência programada. Sendo sincero aqui, já que você tocou no assunto: você tinha um iPhone 11 Pro, que é um monstro. Vai dizer que a Apple te forçou a troca pelo 12 Pro?
    9 pontos
  3. Teoricamente a Apple não dá nada! rsrs 🤑 Eu trabalho nessa área há cerca de 12 anos, então vou dar a minha opinião (leia-se: dizer pra você coisas que eu queria ter escutado lá atrás). Se você tem zero conhecimento na área, você tem duas escolhas: procurar um curso básico pra te ensinar o feijão com arroz, como desmontagem, identificação dos componentes, reparos simples como substituição de componentes (bateria, tela, cabos flexíveis, antenas etc), como fazer diagnósticos para isolar a causa dos defeitos, como utilizar as ferramentas básicas da assistência como fonte de alimentação, multímetro, estação de solda a ar, ferro de solda etc. Ou, você pode pedir um emprego na cara dura, dizer pro cara que você não sabe nada mas que tem vontade de aprender, como eu fiz há cerca de 13 anos atrás. Se quer um conselho, invista na sua profissionalização e faça um curso, porque eu tive a sorte de ter sido ensinado por um bom técnico, mas se você pegar um porco que quer se aproveitar da tua mão de obra, você vai aprender apenas maus hábitos como técnico e se frustrar. Pra que fique claro, a Apple não oferece cursos. A menos que você seja contratado por um centro de reparo da marca e receba treinamento, ou alguma assistência autorizada como as que existem em algumas loja iPlace etc. Você terá nesses empregos a oportunidade de tirar suas certificações (comento mais abaixo a respeito). Pra caçar um emprego desses é bom ter uma base de conhecimento. Dificilmente pegam uma pessoa com zero conhecimento pra treinar. Não precisa ser um expert (até porque os técnicos autorizados da Apple não são técnicos avançados 🙊), basta ter um conhecimento básico, que como eu disse acima você pode adquirir em um curso. Você também pode trabalhar em assistências especializadas, que não possuem vínculo com a marca. Você também pode abrir sua própria assistência, mas eu recomendo que não se aventure logo de cara. Caso queira empreender na área, é interessante que passe antes por uma assistência pra entender o funcionamento, como lidar com os clientes, e claro, adquirir experiência técnica pra não correr o risco de se queimar num empreendimento novo e com pouca experiência. Sinceramente? É aqui onde o dinheiro está. Trabalhar em autorizada e seguir à risca os procedimentos da marca não dá dinheiro. Inclusive se você for o dono da assistência. Ser um técnico comissionado ou ter a própria assistência com certeza te dará maiores retornos financeiros, mesmo que você tenha um volume de serviço menor (e sinceramente qualquer assistência razoável tem mais servico que as autorizadas, fácil). Com o passar do tempo, conforme você for adquirindo experiência com os procedimentos básicos, você pode começar a querer fazer reparos mais avançados, como reparo de placa de placa lógica, por exemplo. Aqui não tem caminho fácil, curso e muito estudo, ou um bom colega de trabalho já experiente, disposto a ensinar, e também muito estudo e dedicação da sua parte. Envolve microeletrônica, uso de ferramentas mais avançadas como osciloscópio, microscópio, entre outras. E a curva de aprendizado geralmente é mais lenta em relação aos procedimentos básicos. Prepare-se para pequenas (e grandes) doses de frustração, porque até "pegar o jeito", você vai coçar bastante a cabeça. É uma área que cresce DEMAIS, principalmente se você for aplicado e caprichoso, porque a Apple não faz esse tipo de reparo, e se o cliente não estiver coberto pela garantia eles não estão nem aí, e é aqui que entra o técnico avançado. Sobre as certificações... É um pedaço de papel que a Apple te dá, dizendo que a marca reconhece seu conhecimento técnico em alguma área (como reparo de dispositivos iOS, Macs, vendas etc etc). Você tem duas opções: ou trabalhar em uma autorizada, onde você terá o treinamento e receberá os exames, ou você faz por conta. Pra fazer por conta existe um material de estudo (que custa um balaio de dinheiro, em dólares), e depois você entra na plataforma e faz os exames (que custam 20 dólares cada, por tentativa). Se você for trabalhar na autorizada, não tem escapatória, você tem que fazer, mas pelo menos não terá custos. Se você for trabalhar pra alguma assistência especializada, não gaste seu dinheiro, e se for pra ter uma assistência própria, é um pedaço de papel legal de ter emoldurado na parede da recepção e mostrar aos clientes que você tem um mínimo de reconhecimento pelo seu conhecimento. Com o passar do tempo, e quanto mais especializado você for, principalmente em reparos avançados, você vai entender que aquela certificação não faz jus algum ao teu nível, rs, porque como eu disse, você verá em reparos avançados coisas que somente quem fabrica o iPhone lá na China sabe que existe. É meio que ser um atleta olímpico e pendurar na parede as medalhas de "Obrigado por participar" na época das gincanas escolares. Fica a seu critério. Eu tenho, gosto, mas não te define como técnico e se for pra tirar por conta muito provavelmente não vale o esforço, tempo e dinheiro. Em relação aos cursos, é preciso ter muito cuidado. Tem muito picareta por aí se aproveitando dessa época em que muita gente quer mudar de carreira, e cobrando pra ensinar o que você pode aprender no YouTube (e com metodologia pior). Pesquise por boas escolas, com boas indicações, avaliações de ex-alunos etc. Não se deixe influenciar por um site ou panfleto bonito, preço atrativo e mil e uma promessas. Pesquise, leve dias, semanas, ligue, se informe. Não rasgue dinheiro. Eu não vou te enganar: existe uma concorrência selvagem e muitas vezes até desleal nessa área. Informação é OURO, e a maioria esmagadora dos técnicos vai esconder informações de você. Muita coisa você vai aprender batendo cabeça, e se tiver sorte, como eu tive por diversas vezes, encontrará colegas de profissão, muitas vezes até concorrentes diretos, mas que estarão dispostos a compartilhar mutuamente informações com você pra que ambos cresçam juntos, mesmo que cada um na sua. São coisas que você vai entender bem como funcionam ao ir adquirindo experiência. Não queime o serviço dos outros. Você é quem vai se queimar. Também não dê corda pra cliente "leva e traz", aqueles que vão na sua assistência falar do outro técnico, porque você vai ser o alvo também, o cliente vai sair ileso e você irá criar inimizades. Tenha bom relacionamento com seus concorrentes. Eu tenho concorrente que me empresta peça e ferramenta quando está em falta, rs, e vice-versa, rs. Não pule etapas. Comece pelo básico do básico e treine até a exaustão, nem que seja desmontando aparelhos velhos, sucata, doação, vendo vídeos de outros técnicos também, lendo etc. Essa área pune com força quem tenta dar o passo maior que a perna, e as vezes a punição pode ser você matar um aparelho caríssimo de um cliente e ainda ter que explicar pra ele que as fotos do bebê recém-nascido dele já eram. É um serviço que demanda muita atenção e capricho. Você tem que fazer o serviço como se fosse o seu aparelho particular, porque serviço apressado e porco afasta cliente, e logo logo você pega fama (ou de técnico caprichoso ou de açougueiro). Não pegue serviço pra fazer com 20 minutos, mesmo que seja a troca de uma bateria. A lei de Murphy é implacável: o que puder dar errado, vai dar. Faça com calma. Uma escapada de uma ferramenta e tchau, tchau placa lógica (ou qualquer outro componente), e num serviço que era pra você lucrar 100 reais você vai ter prejuízo de milhares de reais. Se tiver alguma dúvida, pode perguntar aqui no tópico, e assim que puder eu respondo. A única coisa que eu vou ficar te devendo mesmo é indicação de curso. Boa sorte!
    6 pontos
  4. Escrevi sobre meu amado Powerbook G4 12". Hoje em dia ninguém mais lê nada, eu sei, mas tá aí o link caso alguém queira dar uma olhada! 😉 https://marcosfelisberto.wordpress.com/2022/03/10/powerbook-g4-12-o-pai-bem-sucedido-do-macbook-air/ Abraços
    5 pontos
  5. consigo imaginar várias razões pra "porque ninguém te responde". 1) ninguém é OBRIGADO a te responder! Esse é um espaço onde as pessoas contribuem gratuitamente, sem receber nada em troca, cada um dentro da sua disponibilidade; 2) as pessoas podem simplesmente não querer te responder. estão no direito delas; 3) pode ser que ninguém SAIBA te responder! é possível que ninguém conheça ferramenta que faça o que voce quer; 4) as pessoas podem achar que espionar seu filho e não respeitar o direito dele à privacidade é um péssimo jeito de o proteger e simplesmente não querem te ajudar nisso.
    5 pontos
  6. Bom, sou novo por aqui mas já sou usuário de iPhone desde o 4. Eu tenho um 12 Pro Max e acabei de receber o meu 13 Pro. A maneira mais fácil que optei por fazer para ativar o AC+ foi a seguinte: 1. Primeiramente abri uma conta no NOMAD. Após aberta a conta e com crédito disponível para usar o cartão de crédito, parti para o próximo passo; 2. Criei uma ID Apple americana pelo iTunes que baixei no PC. Lá, inseri um endereço americano para o Estado de Oregon (livre de taxas) e lá mesmo já inseri o meu cartão de crédito da NOMAD como forma de pagamento. 3. Acessei meu Apple ID americano pelo site da Apple já com essa conta criada no passo anterior e complementei os dados faltantes, como o billing adress. A partir da dai eu já estava com um ID Apple americano criado e com uma forma de pagamento americana disponível. O próximo passo foi o mais fácil; 4. Liguei meu iPhone 13 Pro pela primeira vez e em vez de colocar meu ID Apple brasileiro, inseri meu ID Apple americano criado acima. Depois baixei o App Suporte, que de início não apareceu a opção que adquirir o AC+, porém 5 min depois lá estava ela disponível. Então cliquei para fazer a compra. Como meu ID Apple americano já estava todo certinho, só fiz dar os dois toques no botão lateral para finalizar a compra. De pronto, o e-mail de confirmação da compra chegou e logo depois chegou o Proof of Coverage. Detalhe: não precisei rodar o diagnóstico (creio que por o iPhone ser novo) e não precisei fazer o Setup depois (por já ter vinculado a forma de pagamento no ID Apple americano antes de inserir quando liguei o aparelho novo). 5. De posse do iPhone protegido pelo AC+, fui nos ajustes para redefinir o aparelho apagando todos os dados para ai sim, depois, inicializá-lo com minha ID Apple brasileira normal que uso, a fim de recuperar os dados no aparelho anterior. Pronto, foi tudo bem fácil e rápido. Ah, optei pela forma de pagamento mensal, já que possivelmente não devo passar os dois anos com o aparelho. Devo troca-lo antes desse prazo. Abraço a todos!
    5 pontos
  7. iMac G4 "abajur" 1GHz, 17", funcionando e com as caixinhas Harman Kardon originais! 😁
    5 pontos
  8. Eu também sempre gostei de fóruns com usuários ativos e prestativos... Já fui salvo muitas vezes no trabalho por respostas assim nos fóruns e também na prática do hackintosh, por isso gosto de retribuir tentando ser prestativo. De fato essa cultura está acabando, hoje em dia qualquer informação valorosa precisa ser paga, ou as pessoas não estão muito preocupadas em dar respostas completas. Espero que esse tópico possa ajudar as pessoas que querem entrar na área, principalmente a não se tornarem "trocadores de peça", mas sim bons técnicos como eu sempre me esforcei pra ser. Tamo junto!
    5 pontos
  9. Você quer comprar um iPhone mas está querendo que te convençam a fazer isso, olha, se já está nesse pensamento nem compre. Tem que comprar porque gosta, porque quer experimentar, por já conhecer alguém que use e etc. Assim eu como muitos podem afirmar, Ecossistema Apple é uma coisa que se trabalha muito bem, tudo facilitado e pratico, com uma boa qualidade em tudo. Mas isso tem um preço. Não é só especificação ou números, mas sim experiência de uso. Eu já comparei recentemente o meu antigo iPhone 7 com um Moto X Play do meu pai, enquanto o 7 o uso é fluido e muito parecido com meu 11 no geral, e claro tendo o sistema atualizado, o Moto X engasga, rolagem travada e sem falar q perdido numa versão de 4 gerações atrás da atual 🤷🏻‍♂️ Agora se vale ou não cabe a você saber. Tem gente que gasta 20mil em viajem e fala que vale, como tem gente que gasta os mesmos 20mil em roupas. Qual vale? No final vale o que faz a pessoa feliz, afinal se trabalha pra poder comprar o que se gosta mesmo não é?!
    5 pontos
  10. Um novo tá 4700 na fast shop.
    4 pontos
  11. Eu acho que hoje em dia essa tal "migração" do windows pro Mac já não é algo relevante. Há 15-20 anos atrás, eram 2 mundos completamente diferente. Voce tinha problemas sérios de compatibilidade entre um documento criado no office no windows e um criado no office no Mac por exemplo. Voce tinha programas que só existiam pra Mac, ou só pra windows, cruzar de um pro outro era um parto. Enfim, tudo era mais difícil (e mais charmoso também..rssr). Mas hoje em dia isso já não existe mais. A imensa maioria dos programas tem versões pra Mac e windows, e a compatibilidade entre os arquivos gerados em um ou outra plataforma é quase perfeita. Até mesmo o iWork tem uma excelente compatibilidade com o office. Um documento criado no Pages e salvo como doc abre quase perfeitamente no word em um Mac ou Windows. Com a mudança das nossas vidas para a "nuvem", tudo está online e não interessa muito onde voce está abrindo aquele arquivo. A "usabilidade" também melhorou muito, em ambos lados. O Windows 10 (o 11 não conheço ainda) é extremamente intuitivo e de fácil uso. Assim como o Mac OS. Até mesmo instalar programas, que eram duas coisas diametralmente opostas entre windows e Mac, hoje são processos parecidos nas duas plataformas (App store). Antigamente usar o Windows XP e o Mac OS X eram mundos diferentes. Aprender a usar uma interface não te ajudava a saber usar a outra. Instalar programas então nem e fala. Hoje é tudo muito parecido, não há grandes diferenças. Enfim, esse negócio de "migrar do windows pro Mac" já era. Não te preocupa com isso. O que voce precisa definir é do que voce precisa, que tipo de uso vai dar pro computador. Precisa de mobilidade? Macbook. Só trabalha em casa? Pode economizar uma grana com um Mac Mini e um bom monitor. Precisa lá de vez em quando uma certa mobilidade? Talvez um Mac mini e um iPad. Tá sobrando dinheiro aí? Mete um Mac studio e um studio display, junto com um MacBook Pro de 16". Ou um iMac pra já ter uma baita tela integrada, ou um Mac Pro. Sei lá! Depende do que voce quer e do que voce precisa. Então começa por aí. Define o que voce precisa, sem se preocupar com a "migração". Abc.
    4 pontos
  12. Passando para atualizar o caso! Fui à iPlace do shopping Flamboyant em Goiânia - GO. Fui super bem recebido, o técnico responsável foi super atencioso, expliquei toda a situação, e com quase nenhuma burocracia, em 5 dias eu já estava com o Mac novinho em folhas, com custo de 0 reais! Fiquei extremamente satisfeito com o atendimento da iPlace e igualmente com o serviço de reparo da Apple, é por essas e outras que o preço premium é justificado.
    4 pontos
  13. Planejei uma estante pra dar uma ajeitada na coleção. Gostei do resultado! 😜
    4 pontos
  14. alex do céu, o bot spammou num tópico de 2008 e você respondeu, hahah... Nada demais, só achei engraçado. Acontece.
    4 pontos
  15. a tara por bateria é algo que eu não consigo entender. tem gente que compra um produto novo e aí a primeira coisa que faz é criar uma conta aqui no forum e abrir um tópico perguntando "como faço pra não danificar a bateria"? 😂 pelo amor de deus bicho, usa teu equipamento, te diverte com eles, seja feliz, f* a bateria!
    4 pontos
  16. dá sim. o procedimento da apple é troca do topcase, mas dá sim pra trocar somente o teclado. aí ó !!! informação de qualidade! nada mais justo do que esse recall, já que a cagada é de projeto
    4 pontos
  17. Não existe problema algum. O sleep basicamente "desliga" tudo e mantém os processos em standby na memória RAM principalmente, e dependendo do caso também no swap do HD/SSD caso ele esteja sendo utilizado por algum processo. Esses componentes passam a gastar um mínimo de energia pra manter tudo no seu devido lugar e o processador também basicamente desliga, ficando apto a receber apenas instruções de "wake up", como um clique do mouse/trackpad, teclado sendo acionado, "wake-on-lan" (receber comandos remotamente) caso esteja habilitado, ou de periféricos conectados que tenham essa capacidade. O desgaste do hardware já é mínimo usando a máquina... Vemos computadores que são utilizados diariamente há mais de uma década e que nunca apresentaram qualquer problema de hardware, então em sleep esse desgaste diminui ainda mais, chega a ser desprezível. Pro usuário é ótimo, porque além do consumo mínimo de energia, a máquina está sempre pronta pra uso imediato, diferente da máquina que é desligada todo dia após o uso. Além disso os softwares de uso diário tendem a ser carregados mais rápido. Porém é aconselhado reiniciar a máquina de vez em quando pra que o sistema operacional possa fazer o dump da memória, organizar arquivos temporários, jogar fora o que não precisa mais, e no boot ler novamente todos os dados importantes pro bom funcionamento do computador além das outras centenas de processos que ocorrem durante o desligamento e o boot. Se você mantiver qualquer computador ligado por muito tempo (e esse tempo depende) vai chegar uma hora que você provavelmente vai começar a experienciar bugs. Eu fiz esse teste recentemente com o MacBook Air M1 e ele ficou ligado 18 dias apenas alterando entre o meu uso e o sleep, até que eu pudesse perceber algum problema, que no meu caso foi um glitch no dock e lentidão na rede. Reiniciei e tudo voltou ao normal. Enfim, não traz problema algum, no iMac menos ainda por não ter uma bateria segurando esses componentes mesmo num estado mínimo de consumo de energia.
    4 pontos
  18. Salve rapaziada! Os novos macs M1 estão caros? A crise não deixa você nem pensar em comprar um novo mac com Apple silicon? Então bora tomar coragem e fazer você mesmo aquela manutenção de rotina e preventiva no seu bom e velho mac Intel! Amanhã vou dar um capricho no meu iMac 2010. Desmontar o bicho todo pra dar uma boa limpeza, trocar pasta térmica nos chips e fazer um upgrade no SSD. Vem comigo que vai ser ao vivo! Quem sabe você dá sorte e eu faço alguma m* no bichinho em tempo real! Ao menos será divertido! 🤣 Abraço
    4 pontos
  19. Você tem 3 problemas antes de ponderar se o processamento gráfico dos novos Macs dão conta do teu trabalho: - Não existem versões oficiais de Revit e do Eberick para macOS. - Até o momento não é possível instalar o Windows nos Macs com chip Apple via bootcamp, nem garantia de que isso vai ser possível algum dia. - Mesmo que algum dia seja possível instalar o Windows via bootcamp, ou que você virtualize o Windows no Parallels, não existe garantia de que esses softwares irão rodar na arquitetura ARM, seja de forma nativa ou com bom desempenho rodando sob alguma camada que "traduza" da arquitetura x86_x64 para ARM (como ocorre no macOS com o Rosetta 2). Se você realmente quer comprar um Mac que atenda suas necessidades, a única possibilidade viável no momento seria comprar um MacBook Pro 16" com chip Intel.
    4 pontos
  20. Rick, vou te dar um conselho do ponto de vista de física e ciência dos materiais. Uma análise da forma e distribuição dessas trincas no vidro podem te indicar o mecanismo de fractura envolvido. Pode te indicar se foi uma fratura decorrente de algum impacto, alguma torção, flexão ou tensão interna. Mas veja bem, essa é uma análise técnica, que um especialista pode fazer mas teria que desmontar a tela pra analisar a fratura por microscopia. Voce teria que contratar um especialista, que desmontaria a tela e analisaria o vidro e te emitiria um laudo técnico afirmando que a tela quebrou por tensões internas ou alguma flexão/torção excessiva ao abrir/fechar, ou seja, uma falha de projeto. Mas porque estou falando isso? Porque acho que pensando em processo, voce tem que evitar essa linha de argumento de que "não ficou estilhaçado" ou "não tem ponto de impacto", esquece isso. Voce não pode afirmar isso sem um laudo técnico especializado. Se voce torcer o vidro excessivamente, por exemplo, ele vai quebrar sem formar estilhaço ou ponto de impacto. Então tua linha de argumento não pode ir por aí porque a Apple desmonta isso fácil. Eu sugiro que voce foque em: "há uma falha de projeto que faz com que a tela rompa mesmo em situação normal de uso. Há vários casos lá fora, inclusive com ações judiciais já rolando". Levanta toda a informação possível sobre esses processos, quantidade de pessoas envolvidas, locais, número de série dos aparelhos, etc, tudo que possa ser usado a teu favor. Acho que tua linha de argumentação tem que ser por aí. Se optar ir pra parte técnica, procure um especialista que possa respaldar tudo o que voce for usar como argumento. Agora uma pergunta de leigo total: voce não pode entrar junto nessas ações coletivas que estão acontecendo lá fora não? Juridicamente isso é possível? Não tenho nem idéia. Outra coisa, voce comprou aonde esse MacBook? No Brasil com nota e tal, ou de algum desses caras que trazem de fora? Sendo esse o caso, o cara não consegue te ajudar não? Não consegue falar com a loja ou com a Apple diretamente nos EUA?
    4 pontos
  21. ⚠️ Alerta de história das brabas abaixo. Leitura não recomendada para quem defende a marca como se fosse acionista. Antes de tudo, quero esclarecer as intenções aqui: Não sou dono da verdade. O que irei dizer abaixo é fruto de quase nove anos de experiência em reparo de produtos Apple, três deles em uma assistência autorizada. Recebi treinamento de produtos, técnicas de venda e experiência Apple da marca através da plataforma SEED Sales (e da plataforma anterior, cujo nome não me recordo), participei de treinamentos oficiais voltados para técnicos das assistências através do ATLAS e outras plataformas de ensino da maçã, concluí e renovei por anos as certificações da marca (Apple Service Fundamentals, iOS Service Certification, Mac Service Certification entre tantos outros). Fui agraciado com a amizade de profissionais incríveis de diversos setores da marca, com quem também aprendi muito sobre tudo o que a maçã faz e como faz. Enfim, dito tudo isso, preciso dizer que também sou tarado pelos produtos Apple e heavy user. OK, mas pra que esse curriculum vitae todo? Para que os mais céticos entendam que não estou aqui para denegrir intencionalmente a marca, para que não pensem que sou funcionário da XIAOMI infiltrado, haha. Eu vou dizer o que vou dizer porque na minha opinião, baseado na minha experiência, a marca não tem um pós-venda tão bom assim, e acredito que as pessoas (o que inclui você) deveriam ter mais direitos e receber mais respeito ao comprar um produto que mesmo no primeiro mundo tem um alto custo. Right To Repair O direito de reparo não é ainda tão discutido no Brasil, porém gera muita discussão em outros países, ações judiciais, muito estresse, perda de dinheiro (para uns, porque pra outros o lucro é absurdo). O que você diria se levasse seu carro relativamente novo à concessionária pois quebrou um farol dando ré e a marca dissesse que não existe reparo oficial? "Você precisa trocar o seu veículo por completo. O seu antigo nós pegaremos por um valor absurdamente simbólico, iremos remanufaturar e vender pra alguém, e além do mais nós vamos cuidar pessoalmente (e legalmente) para que nenhum mecânico possa fazer esse reparo pra você". Pois é exatamente isso que a Apple faz. Louis Rossman & Jessa Jones Impossível falar de Apple e right to repair sem mencionar esses mitos no que diz respeito a reparo de produtos Apple. O Louis é meio que o inimigo número 1 da Apple nos EUA, haha. Ele é técnico também já há bastante tempo, nunca trabalhou para a marca, e faz um trabalho incrível na sua loja em Nova Iorque. Ele é o bruxo que conserta qualquer coisa a nível de trihas de placas lógicas, aquele seu precioso MacBook que o Genius condenou na loja e disse que não há o que fazer além de comprar outro. Ele é tão desaforado que neste momento está procurando um imóvel próximo a uma Apple Store para montar sua nova assistência técnica, rs. A Jessa Jones é uma mulher incrível que precisou de um reparo em um iPhone lotado de fotos de valor inestimável, teve suas esperanças despedaçadas por um Genius da Apple Store e então decidiu consertar o aparelho sozinha, sem experiência prévia alguma no ramo. Hoje ela é referência no mundo todo, faz reparos tão complexos quanto o Louis e é dona do "iPad Rehab" (procurem o canal deles no YouTube, é conteúdo de ouro). Ambos já foram processados pela Apple por supostamente estarem utilizando peças falsificadas em seus reparos e abrindo aparelhos sem a autorização da Apple (haha, piada). Para que fique registrado, a Apple perdeu os processos. Casos como esses acabaram inflamando a discussão em vários países do mundo e a Apple está tendo que rever suas políticas de repair and warranty para atender a novas leis de proteção aos consumidores. Enfim, eu poderia falar por horas sobre eles, mas vai ficar pra você pesquisar os canais e virar fã também. Desculpe, mas não podemos fazer nada por você a não ser ajudar na escolha de um produto novo. Então você comprou um iPhone de mil dólares ou um iMac Pro de 5 mil dólares e ele não está mais na cobertura do AppleCare? Agora vem a verdade inconveniente porém necessária: os 'técnicos" dos centros autorizados não sabem NADA de reparos. Os treinamentos da Apple consistem em te ensinar a não tomar um choque no ambiente de trabalho, a não atear fogo na loja manuseando baterias e como dizer ao seu cliente que ele não poderá recuperar seus dados e nem seus aparelhos. Não estou brincando, é isso mesmo. Eu estaria em sérios problemas judiciais se mostrasse a vocês o exame de certificação dos técnicos Apple porque existem contratos de confidencialidade, mas é mais ou menos isso mesmo, sem exagero. Querem saber se o técnico é bom em dar notícias ruins. E daí que você derrubou Coca-Cola no teclado do seu MacBook? E daí que quebrou o display do seu Apple Watch? Por que a marca não pode efetuar um reparo, nem que levasse lá seus 30 dias, cobrasse um preço justo e atendesse às expectativas do cliente? Porque não dá dinheiro, e porque os "técnicos" das autorizadas muitas vezes nunca viram um ferro de solda na vida. Seguem o manual e fazem o que a marca ensina e manda. É completamente possível QUALQUER reparo. E de uma maneira mágica ainda te fazem aceitar o fato e a perda, a gastar mais dinheiro e pegar um produto idêntico por um valor alto. "Ahh, mas não fica a mesma coisa depois do reparo, não é seguro também". Bobagem! Aqui é que você precisa tomar seu choque de realidade: não confunda o "curioso" da esquina que troca um display de iPhone por 150 reais com um TÉCNICO, seja ele autorizado ou não. Eu poderia falar de mim, mas vou usar de falsa modéstia e falar sobre diversos colegas de trabalho que fazem um trabalho impecável, como se estivessem fazendo para eles mesmos, utilizando equipamento adequado e de qualidade, com peças de qualidade e sempre se atualizando. Quando seu carro dá problema você joga fora? Leva sempre na concessionária que cobra quase um carro novo? Não, você leva no mecânico, e você tá cansado de ver casos de mecânicos que passam a perna nos clientes, mas isso não quer dizer que não existam bons mecânicos, muito melhores até do que os que recebem treinamento da marca nas concessionárias. Isso é um fato, e se aplica a qualquer ramo da prestação de serviços. "Gosto da Apple porque trocam o aparelho todo em garantia." Curto e breve: trocam por um recondicionado. Você comprou seu iPhone XS Max e deu problema no segundo mês (pode acontecer, normal, sejamos justos) e ficou felizão quando recebeu um "NOVO", rs. Seu XS Max que deu problema no segundo mês será reparado e um dia também será o aparelho "novo" que alguém recebeu em garantia. O ponto positivo da marca é a velocidade com que esse processo ocorre, inegável. iOS cagueta. De uns tempos pra cá o sistema dos iPhones se tornou um baita X9. Agora ele te informa a "saúde da bateria" e os modelos novos informam quando o display foi trocado, seja ele original, recém tirado de outro aparelho idêntico ou paralelo. É só mais coisa pra você cliente aquecer o bolso da Apple. Sabe por que? Se eu quiser trocar apenas o vidro do seu iPhone novinho com a tela trincada (porém funcional), te cobrar uma fortuna e dizer que o display é original Apple, você vai engolir! Afinal o sistema não tem como detectar esse reparo, o serviço fica impecável e você vai sair feliz da vida com 1499 reais a menos no bolso sendo que eu gastei - sério - cerca de 15 reais e uns 20 minutos. E a saúde da bateria?? Fácil. Você troca a bateria por uma de boa qualidade, saúde da bateria volta a 100% porém permanece o aviso de "MANUTENÇÃO". Então o técnico faz uns 10 testes de estresse na bateria nova, a porcentagem cai para 99% e o aviso de manutenção some. Eu não estou dizendo isso para te afastar ainda mais de uma assistência não autorizada. O bom técnico vai te esclarecer como funciona o reparo em uma não autorizada, te cobrar um preço justo e fazer um bom serviço. Só estou te dizendo isso pra que não ache que a Apple tá te livrando dos golpes por aí. Ela quer mesmo é o seu dinheiro na troca da bateria ou te empurrar um aparelho novo. Aliás, esse negócio de "saúde da bateria" é uma bobagem sem tamanho também. Não é raro ver um aparelho com 78% de saúde da bateria com boa autonomia e gerenciamento de carga e um aparelho com 90% de saúde da bateria drenando carga. Esse é um tema muito complexo, mas aqui vai um conselho de amigo: para de ficar esquentando a cabeça com um número que não quer dizer muita coisa e atente-se à duração e boa vida útil e recarga da sua bateria. Você viveu uma década sem essa função e agora parece um bitolado olhando isso toda hora, deixando cair uma lágrima sempre que o número muda. A autorizada é mais confiável. Mais ou menos. Os "AASPs" (Centros de Serviço Autorizados Apple) não são de propriedade da marca. Não passa de uma assistência assim como qualquer outra, porém que decidiu se vender, digo, fazer parceria com a marca para promover a loja. Eles recebem treinamento, acesso a produtos de qualidade, equipamentos, treinamentos, manuais, suporte da marca, e ganham muito pouco por isso. Por isso não é raro ver autorizadas fazendo "cambalacho". Dizendo ao cliente, por exemplo, que quando o display dele quebrou "vazou cristal líquido" dentro do aparelho danificando a placa e impossibilitando o reparo, rs. A solução? Compra um novo! Mas note que, nem sempre uma assistência autorizada é também uma revenda autorizada (no Brasil temos o casos das iPlaces que podem reunir as duas coisas), mas na maioria das vezes é assistência ou revenda. E de onde vem esse aparelho novo que você tá comprando? Da Apple (Centro de Distribuição de Jundiaí/SP, pra ser mais exato) é que não é. Mas eu vou me abster de maiores comentários, porque eu não quero generalizar. Nem todo mundo é sujo, mas tenha ciência de que muitos são. "Tela e batelia oliginal". Mais uma coisa pra falar sem rodeios: se não saiu zero da caixa lacrada, não é peça "original". As autorizadas conseguem sim peças da marca (nem sempre elas trocam, pode ser que encaminhem para outro centro autorizado fazer a substituição), mas não quer dizer que é o que estão te vendendo. A autorizada não ganha quase nada fazendo esse reparo, a marca cobra sua fatia grande do bolo. Por que não usar da fama de autorizada para colocar peças mais baratas por conta própria e cobrar o preço informado no site da Apple? Pra que fique claro, felizmente eu trabalhei em um centro de reparo autorizado muito correto, o proprietário é um homem justo, sem ganância, e sempre prezou pelo bom serviço e atendimento. Mas isso acontece. Eu costumo dizer que existem quatro tipos de peças: - "Original": Produto fabricado pelo fornecedor oficial e atual da Apple. Simples assim. - "Linha AAA fake": É a paralela gourmetizada, o cara diz que é linha A, te cobra preço de linha A mas é peça capeta. - "Linha AAA": essa é a peça que você deve procurar. Muitas vezes é fabricada por empresas parceiras da fornecedora oficial, possuem acesso à "receitinha do bolo" e fazem peças de boa qualidade. Aqui não vai ter um centavo de preço abusivo da marca. Se for abusivo vai ser por parte do técnico, mas é como eu disse, existem "mecânicos e mecânicos". - "Capeta/Paralela": essa é a oliginal que o cara te cobra 150 reais, deixa seu aparelho sem parafuso, tudo montado torto. Péssima qualidade de material e acabamento. Display com cores sem vida, brilho ruim, as vezes impede também o bom funcionamento do sensor de proximidade do aparelho que fica localizado junto à câmera frontal, touch sem precisão e com delay alto. O mesmo serve para as baterias e quaisquer outras peças. Procure um bom técnico e não "precinho", procure indicações, histórico, teste o seu produto após o reparo. Negocie o preço. Peça garantia. Exija sempre uma ordem de serviço assinada ou carimbada descrevendo o modelo e número de IMEI do aparelho e tudo o que foi reparado e/ou substituído. Assistência autorizada só em garantia, poupe seu bolso. As intenções aqui são boas, note que eu não fiz qualquer propaganda sobre assistência, e também saiba que não faço reparos para clientes que não são locais. Eu estou com a mão ardendo. Qualquer coisa que estiver abaixo DESTA linha será atualização/edição após eu ter feito a postagem, talvez algo que eu queria ter dito e esqueci, rs.
    4 pontos
  22. Bom dia, @marcosfisica! Tudo certo? Então... como é meio trabalhoso pedir pra empresa desvincular e demora em torno de 1 semana pra darem retorno, ontem eu resolvi fuçar um pouco. Tentei TODOS os procedimentos que o @BetoGaleazzo sugeriu e dei uma boa vasculhada na internet. Por fim, cheguei a conclusão de que não daria certo. Mas, resolvi tentar reinstalando o sistema raiz da máquina. Ele veio com Sierra, mas, achei curioso que mesmo realizando a reinstalação do sistema de fábrica (shift -> cmd -> R), após instalação do sistema ele exibiu um ícone de bloqueio (o famoso círculo com barra no meio) dizendo que o sistema não é compatível com a máquina (MacBook Pro 2017). Só que no início da instalação ele checa se o sistema é compatível com a máquina. Não fez muito sentido pra mim. Depois disso minha última tentativa foi bem sentimental, hehe. O Mac que mais curti até hoje foi o Catalina. Fiz o Download e gerei o Pen drive inicializável do Catalina e fiz uma instalação limpa, sem internet, sem acessar terminal ou realizar qualquer daqueles procedimentos pra remover o DEP. Quando chegou na tela pra selecionar a rede wi-fi optei por "Meu computador não pode ser conectar a uma rede Wi-fi". Ele me retornou um pop-up dizendo que haveria de fazer uma atualização crítica no meu sistema, que é o mesmo que ocorreu no Monterrey e até mesmo no Catalina quando realizei os procedimentos de remoção do DEP pelo terminal. Beleza, selecionei minha rede Wi-Fi, instalei a bendita atualização e vualá! Ele só prosseguiu com a instalação normal e não me pediu nenhum login e senha da empresa ao qual está vinculado, diferente de todas as tentativas anteriores em que tentei remover o DEP antes de chegar nessa parte. Inclusive depois de ligar o Mac rodei o comando abaixo pra ver se ele estava com DEP ativo: $ profiles status -type enrollment Enrolled via DEP: No MDM enrollment: No Show de bola! Também verifiquei em Configurações -> Compartilhamento e lá está desabilitado o Remote Management. Cara... Catalina Loves Forever! hehehe Ele está funcionando normal, não exibe popup de nada, está simplesmente zero. Enfim, agora estou atualizando para o Monterrey pra ver qual o comportamento e depois posto aqui. Abraço!
    3 pontos
  23. Olá a todos. Meu primeiro post aqui no fórum do MacMagazine. Depois de um tempo editando meus videos no iPad Pro, finalmente consegui comprar meu primeiro MacBook Air. Semi-novo mais bem cuidado com 70 ciclos.
    3 pontos
  24. é uma possibilidade. to pensando na história de um homem com fetiche por baterias, e que interrompe rotineiramente as atividades do dia-a-dia pra checar se a bateria dos seus dispositivos está entre 30 e 80% ssrsrrsrsrsrssrrssrsrsr Aqui é mac user raíz! só me arrependi de não ter trago o Powerbook G4. na próxima será ele! rrsrs
    3 pontos
  25. EXATAMENTE! deu na mosca agora Beto. é isso. e mais, a deterioração de nenhuma bateria é assim linear. aqui m exemplo: estou nesse momento em uma Starbucks com meu macbook pro 2008, bateria original, não "aguentando" mais a mesma carga que a original, mas ainda durando algumas horas. pelo menos entre 2 e 3 horas. Usa teu mac e esquece a bateria!
    3 pontos
  26. LSD

    iPhone 11 roubado e iCloud desbloqueado

    Outra coisa que vc pode fazer pra guardar informações, é um PDF com senha complicada (mas que vc consiga decorar...). O app do Outlook pode ser configurado pra exigir biometria pra abrir o app. PORÉM, se vc desinstala-lo e reinstalar, ele perde a configuração e pode ser aberto sem biometria (idem pro app do Yahoo Mail). De um modo geral, o que pode ser feito pra minimizar esses problemas: - usar senha no chip (possivelmente e-sim e um chip "vazio" pra fazer o bandido pensar que se trata do chip certo, e vc ganhar tempo pra tentar resolver as coisas; - usar outro número (não o do celular) e um email não logado no telefone como telefone e email do appleID; - aproveitar e não usar email logado em apps como Apple Mail, Gmail e etc. pra coisas sérias (bancos, lojas, etc.); - colocar passcode pra mudar touchID/faceID; - usar tempo de tela; - criar atalho pra fechar apps via timer de 1s em alguma situação específica (p/ex se não estiver no wifi da sua casa). É fácil de desfazer, mas novamente, pode te dar tempo extra pra resolver coisas como bloquear linha e etc.; - não ter apps de bancos no celular que vai pra rua - no máximo, um banco "isca" (pro caso do bandido te apontar uma arma e ficar com vc, ou, vc sofrer sequestro relampago) - não usar o Keychain e no lugar dele usar um gerenciador (1Password, LasPass, Bitwardian, etc). PLUS - buscar fotos que tenham os seus dados - cpf, rg, documentos, endereço - e deleta-las do telefone pra que o bandido não use esses dados pra recuperar acesso às contas, ou mesmo abrir contas no teu nome; - buscar esses mesmos dados em outros apps (Notes, email, etc) e apagar; - apagar fotos de cartões de crédito. - se vc tem cartão na wallet que é de uma conta que não tem app no telefone, isso pode deixar um bandido desconfiado e te dar problemas... PARANÓIA ON - usar um dumbphone/feature phone na rua e carregar junto uma camera digital e um discman. E @Suhobrigado por compartilhar a história e torço para que os bancos te reembolsem. Se vc tiver paciencia e vontade, vc pode procurar o PROCON, além disso, posta a tua história nas redes sociais e pede pra que os teus contatos espalhem a história, pois ela pode viralizar e fazer os bancos agirem. E se vc tiver condições, eu acho pertinente processar os bancos, a Apple e até a operadora de celular (se um advogado que te assessorar achar pertinente). Se mais gente fizer isso, os envolvidos acabarão tomando alguma providência - pois até o momento, estão pouco se fo****do pro sofrimento dos clientes.
    3 pontos
  27. Sei que tu não é de área mais técnica, mas vou deixar a ideia/dica mesmo assim. Dado que são 2 Macbooks idênticos, tu poderia tentar usar o cabo/hdd do que tem problema na placa para recuperar o que só tem problema no cabo/hdd, tem tutorial disso no iFixit. É um tiro no escuro, mas seria uma forma de ter um Macbook funcional para venda e outro para retirada de peças. Também fica a ideia para algum eventual interessado em comprar ambas as máquinas. Esse tutorial cobre a troca do cabo do HDD, e também a troca do HDD dado que é preciso remove-lo para trocar o cabo. https://pt.ifixit.com/Guide/MacBook+Pro+13-Inch+Unibody+Mid+2012+Hard+Drive+Cable+Replacement/10379?lang=en
    3 pontos
  28. Olá. Como baterias é um tema de discussão recorrente aqui no fórum, resolvi compartilhar alguns hábitos de uso que eu tenho com o meu Mac. Meu Mac completou um ano de uso no último dia 14 de maio: . Esse é o estado da minha bateria depois de um ano: 106 ciclos hoje e saúde em 100% (17 de maio). Meus hábitos de carregamento/uso, que eu tenho adotado desde o dia que eu tirei esse Mac da caixa: Durante a maior parte do tempo, sempre mantive o nível da bateria entre 30% e 80% Nunca usei o Mac abaixo de 10% e nunca deixei o Mac descarregar! O notebook está sempre em repouso — desde o dia que saiu da caixa — nunca foi desligado (já chegou a ficar 158 dias ligado!). O mais perto que ele chegou disso foi ser reiniciado, quando era necessário instalar alguma atualização de software. Eu dificilmente encerro algum app (Command + Q). Apenas quando eu tenho certeza que não vou usar o app nas próximas 24h. Relacionado ao item anterior, os apps que eu uso com frequência ficam sempre abertos, e quando eu não preciso deles no momento, eu apenas minimizo ou fecho a janela (Command + W). Ele fica na tomada apenas quando é necessário carregar. Sempre odiei notebook que fica pendurado o dia inteiro na tomada — como se fosse uma paciente na UTI. Enfim, talvez tenha alguém que tenha chegado com ainda menos ciclos ao término de um ano de uso, mas pra mim ainda sim esses são números bem saudáveis. Que fique aqui de registro para quem comprou um Mac recentemente e ainda tem dúvidas sobre hábitos a serem adotados em relação a bateria/carregamento. Uso do Mac: MacBook Pro M1, usado majoritariamente para desenvolvimento de software e consumo de mídia.
    3 pontos
  29. Se alguém tiver com dúvidas sobre os perfis que compraram com o Marcelo basta ver o tempo que eu e outros compradores tem conta aqui no forum!!!
    3 pontos
  30. pô, eu adorava aquela tela cheia de quadradinhos do defrag e o tec-tec do HD.....😂😂😂
    3 pontos
  31. Boa tarde, Pessoal. Como de praxe, costumo prestar minhas primeiras impressões e experiência com os produtos Apple que adquiro ou os acessórios que utilizo. Acabou que surgiu uma oportunidade única de pegar o MacBook Pro M1 customizado com 16gb por uma barbada, lacrado, e com nota. Já tive o mesmo produto mas apenas com 8gb, o que me fez vendê-lo pois estava faltando memória para trabalhar com programação. Meu setup é o seguinte: - Xiaomi Silent Mouse Bluetooth - Teclado Logitech K380 Bluetooth - Monitor Dell 2k linha P - 75hz conectado por um cabo Belkin DP-USB-c no MacBook (Estou pensando em pegar um Hub da Satechi pra utilizar o HDMI e acessórios como SSD externo, que, pra mim é indispensável) O setup casa perfeito. As imagens são nítidas no monitor e não tenho do que reclamar, e não há falhas no bluetooth com o Mouse e o Teclado. Estou utilizando o Mac para edições de vídeo em 4k no DaVinci, edições com Affinity e programação em Java/JavaScript. Trabalho também com UX/UI e tenho que dizer, os 16gb no Mac fazem toda diferença. Esse gás extra de memória atrelado ao desempenho do M1 são sensacionais. Eu estava satisfeito com meu Dell i7 11th 16gb. Não tinha planos de pegar o Mac. Mas não podia deixar passar uma oportunidade tão boa! Não tem comparação o desempenho do M1 com 16 de RAM. Outra categoria de notebook. É absurdamente mais folgado ao realizar todas as tarefas. Não consigo nem imaginar como seria usar um MacBook Pro 14 com o M1 Pro. Quanto as questões de compatibilidade, estou usando JDK Azul nativo e os demais programas não fazem muita diferença sendo nativo ou Rosetta. Mesmo em projetos grandes roda bem folgado e não enfrentei nenhum tipo de Bug. Bateria durando em torno de 11hrs desempenhando todas essas tarefas que citei, as vezes ao mesmo tempo. Estou bem contente. Grande abraço, Pessoal!
    3 pontos
  32. Salve pessoal; Caso alguém tenha curiosidade de como é desmontar um powerbook G4 pra por um SSD fiz um vídeo mostrando o processo. O vídeo não tem nenhuma edição especial, nem nada, é apenas o registro "cru" de todo o trabalho. Faz tempo que eu gravei, nem tinha as ferramentas mais adequadas. Coloquei no YT porque sempre pode ser útil pra alguém que queira se aventurar. Abraço.
    3 pontos
  33. Olá amigos. Nao entendo muito de computadores e depois de muito pesquisar e ver alguns videos vi que valia a pena ainda em 2022 comprar um macbook pro 2009. Como estou na faculdade e já passei muita raiva com computador decidi compra-lo. porem, ao tentar instalar o programa "teams" eu nao consegui pois precisava de atualizar o notebook. fui atualizar mas o meu modelo (os x yosemite versao 10.10.5 intel core 2 duo e 4 gb) nao permitia mais atualizar. paguei um valor baixo no notebook (1.150) e estou com medo de ter feito uma compra ruim. Nao sei o que fazer, nao sei se fiz uma compra ruim e infelizmente preciso muito de um computador. Ficaria grata se alguem me ajudasse.
    3 pontos
  34. Calma! Antes de me crucificar pelo "relativamente simples", deixa eu explicar 😅 Este tópico trata de uma curiosidade técnica e também de uma esperança para um futuro não distante, rs. Há alguns anos atrás se alguém dissesse que era possível aumentar a memória de armazenamento dos iPhones, iPads e iPods, seria instantaneamente taxado de mentiroso, porém com o avanço dos reparos a nível microeletrônico, isso se tornou possível. Não só aumentar o armazenamento, mas também reparar devices com defeitos de memória antes tratados como insolucionáveis (famosos erros 9, 4013 e 4014 do iTunes). O conhecimento começou a se disseminar, ferramentas novas foram sendo desenvolvidas e hoje é comum encontrar esse tipo de serviço em assistências especializadas em reparo de placa lógica. Eu mesmo que nem me considero um gigante do microscópio, tampouco tenho um laboratório super fancy, faço com certa frequência esse tipo de upgrade e reparo. O vídeo abaixo mostra o procedimento de upgrade de armazenamento num MacBook Air 2020 M1. Irei explicar o que ele fez e dizer o porquê de ser mais fácil do que nos dispositivos mobile. Agora vamos lá. Provavelmente você pensou durante todo o vídeo que esse procedimento não é simples "nem aqui, nem na China" (ba dum tss), mas a real é que é simples, apesar de não poder ser feito pelo próprio usuário como nos Macs antigos. Explico: nos iPhones, iPads e iPods, a placa lógica é bem menor, logo a concentração de componentes é bem maior, o que torna o manuseio da estação de solda a ar mais complexo e arriscado. A chance de espalhar ar quente em componentes que não podem sofrer muito calor é grande, demanda muita prática e técnica. Você pode ver como é feito o procedimento em iPhones neste vídeo. A placa do Mac é bem ampla e os chips de memória estão consideravelmente separados dos demais. Outro ponto é que foi "basicamente" tirar dois chips, colocar dois chips e fazer a restauração. Já nos dispositivos mobile o chip NAND é vinculado a outros componentes da placa, até mesmo ao chip responsável pelo WiFi e Bluetooth, e quando é necessário efetuar o reparo ou fazer o upgrade do armazenamento nesses dispositivos, temos que remover também o chip de WiFi/BT (que também tem seus riscos por ficar próximo a diversos componentes importante) e usar um equipamento nada barato pra copiar dados da memória antiga pra nova (número de série do aparelho e outras informações). Então nesse ponto além de mais complexo quanto a remover os componentes sem danificar outros, também existem mais etapas e mais equipamentos necessários. Eu também não vi no vídeo outras complicações possíveis, causadas pelo chip T2 Security ou algo do tipo. -- Lembrando que este procedimento de troca dos chips de memória NÃO remove iCloud e nem senha de firmware/EFI. Já há um bom tempo é comum encontrar no AliExpress os chips de memória NAND dos iPhones em todas as capacidades possíveis, novos ou retirados de outro aparelho que não pôde ser reparado. Antigamente só mesmo removendo de outras placas lógicas que não tiveram reparo. Ainda não existem esses chips do Mac para comprar, e obviamente não deve ter muita placa lógica de M1 "morta" por aí pra remover componentes já que o modelo é relativamente novo, porém existe a possibilidade de que esses chips dos Macs venham a ser vendidos no varejo também. Caso aconteça, estamos falando da possibilidade de fazer upgrade de memória de armazenamento, ou reparar Macs que tenham tido problemas nesses componentes, causados por desgaste, por exemplo. Outro indicativo de que pode começar a rolar em breve, é que já existe stencil de reballing para M1 à venda na China, o que significa que por lá já estão fazendo esses procedimentos com mais frequência, inclusive com memória RAM. Nos novos Macs com processadores M1 Pro e M1 Max aparentemente o procedimento é o mesmo. Os chips já estão mais concentrados na placa (como você pode ver aqui aos 3m32s), o que vai demandar maior perícia, mas mesmo assim continua mais simples que nos dispositivos mobile. É gambiarra? Não! Se feito por um bom técnico que efetivamente sabe o que está fazendo e tem a perícia necessária, é um serviço indetectável. Há até como reaplicar resina após o reparo pra ficar exatamente como veio de fábrica. O sistema reconhece normalmente o novo armazenamento e não existem efeitos colaterais, como pode ocorrer com a função Hibernar quando se faz uso de adaptadores para SSDs NVME M2 nos MacBooks. Briga de cão e gato... A Apple dificultando a vida dos usuários e dos técnicos em relação à reparabilidade, mas há esperança. Como eu disse no início do tópico, um dia iPhones com defeito de placa eram condenados à lata do lixo e hoje tem reparo para quase tudo.
    3 pontos
  35. Como NINGUÉM retornou ao tópico pra dizer a solução e se era novo ou usado, vou deixar algumas informações pros futuros usuários com o mesmo problema: 1) Se você comprou um aparelho lacrado, independente de qual modelo, ele tem 1 ano de garantia pela própria Apple. Se está com esse problema é só ligar pro suporte ou levar em uma autorizada que será resolvido; 2) Se seu aparelho foi comprado de segunda mão e não conhece o histórico do dispositivo é bem possível que essa bateria já tenha sido substituída por uma de baixa qualidade; 3) Esses iPhones “de vitrine” nada mais são que aparelhos usados com peças trocadas e aplica-se o cenário acima sobre a bateria. No Paraguai há aos montes e muitos tem até uma carcaça paralela. Você pode ter tido a sorte de pegar um com tela e bateria original, mas a chance disso é baixíssima. No caso 2 a solução é levar a uma autorizada ou na própria Apple pra verificar a possibilidade de substituição da bateria pagando por isso. Já no ponto 3 pôde-se até levar a uma autorizada, mas muito provavelmente recusarão a fazer qualquer serviço pelo motivos citados. A solução seria levar em uma especializada de confiança e substituir por uma bateria de qualidade, como da Romix ou Nohon. Sent from my iPad using Tapatalk
    3 pontos
  36. Boa tarde, Fiquei quase 10 anos longe do "mundo" Apple e como sempre fui fã da arquitetura ARM (desde que eu trabalhava com servidores RISC no meu primeiro estágio) decidi voltar para esse "mundo" e comprei com o Marcelo Elias um Mac Mini M1 com 16 GB de memória unificada e 512GB de armazenamento. Recomendo fortemente o Marcelo e sua loja iCelo. Agora o Mac Mini fará companhia aos meus outros dois mini PCs, no caso dois Optiplex Micro 3070 e 3080, sendo um rodando Windows 10 e outro Linux Fedora. Att Douglas
    3 pontos
  37. Depois de um mês usando meu primeiro MacBook com chip M1 decidi fazer uma limpeza mais completa da máquina e me deparei com uma função um pouco incômoda. Talvez seja old news mas na minha breve pesquisa sobre o assunto não encontrei ninguém por aqui comentando. A Apple teve a brilhante ideia de fazer com que os MacBooks com chip Apple Silicon liguem ao pressionarmos qualquer tecla e até mesmo clique no trackpad. Pra que? 😐 Era tão bom desligar o Mac pra fazer uma limpeza mais pesada e evitar que o teclado ficasse sendo acionado com o sistema ligado ou na tela de escolha de usuário, rs. Eu fiquei curioso quanto ao motivo de implementarem isso agora e também não possibilitarem desativar tal função (aparentemente). Reparei que ele também liga automaticamente ao abrir a tampa, e ao contrário dos MacBooks com chip Intel, essa função não pode ser desativada via Terminal (sudo nvram AutoBoot=%00) Pra maioria dos casos tanto faz, dificilmente desligamos essas máquinas, mas li comentários de outros usuários dizendo que o MacBook estava ligando sozinho dentro da mochila/case/sleeve ao ficar próximo de objetos magnetizados ou outros dispositivos e inclusive ficando com o display ligado, o que é esperado, sabendo como esse sistema funciona através de imãs.
    3 pontos
  38. BetoGaleazzo

    Carregador 1° linha vicia?

    Existem componentes nos cabos de dados que não vemos. Aqui nesta página eles explicam um pouco melhor e tem algumas fotos. Os componentes do setor de energia da placa dos iPhones (Tigris, Tristar, entre outros, dependendo do modelo de iPhone) se comunicam com os chips do cabo de dados, que por sua vez têm outras funções também, além de comunicar ao iPhone se trata-se de um acessório licenciado/original ou não. Por isso quando o usuário conecta um cabo de baixa qualidade no iPhone aparece um aviso na tela com algo como "Talvez este acessório não seja compatível". Também pode acontecer num cabo original/MFi com defeito. Os cabos originais/MFi utilizam estes componentes, e os genéricos se utilizam de artifícios para driblar essa checagem do iPhone, o que nem sempre dá certo e pode deixar de funcionar até com uma atualização de software. Existem inclusive equipamentos que detectam a presença desses componentes nos cabos ou não. Eu tenho aqui um iCopy Plus que utilizo pra copiar dados de uma tela pra outra e manter o TrueTone, e ele também pode fazer a verificação do cabo. Neste vídeo mostra como funciona. Esse tipo de verificação também pode ocorrer com fones Lightning e outros acessórios.
    3 pontos
  39. A loja do cara é virtual, por isso deve ter registrado no próprio endereço. Este ano já comprei um macbook pro M1 e encomendei um iPhone 13 Pro Max com o Marcelo. Ele demora para responder algumas vezes, mas até aqui sempre me mostrou ser de confiança e cumpriu com o acordado. Enviado de meu SM-M515F usando o Tapatalk
    3 pontos
  40. Não comprei nada recentemente, mas estou fazendo alguns reparos que vão dar vida nova aos meus devices! Pretendo comprar um SSD de 480GB e dar um upgrade pra 6GB de RAM pro meu iMac '08, além do patch pro Catalina. Ele está no Mojave atualmente. Vou colocar também um SSD, frente e backplate novos no meu iPod 20GB de 2004 (que vai ser agora de 32GB hehe).
    3 pontos
  41. É uma boa máquina. Já tive um A1502 mid 2014 e me atendia muito bem. Eu gostava bastante do modelo. A questão é encontrar uma máquina em ótimo estado e por um preço justo, porque se tem algo que anda injusto ultimamente são os preços dos combustíveis e da carne de Macs antigos usados, rs. Pessoal pedindo 5k, 6k... Eu paguei 6500 num Air 2020 M1 aqui em Maringá, lacrado, até te indicaria tentar fazer um esforço e pegar um modelo M1, mas como você precisa do Windows, não posso te dar certeza que não terá problemas virtualizando Windows ARM pra certificados digitais, ainda mais se usa aqueles tokens da galera do Direito. Tenha ciência também de que esse modelo provavelmente não receberá mais atualizações de software a partir do ano que vem. Pro seu uso não será uma desvantagem a curto prazo, mas a máquina irá desvalorizar um pouco.
    3 pontos
  42. Bom dia, Guilherme. Eu estava no mesmo impasse do @BetoGaleazzo, pensando em trocar de aparelho. No meu caso estava com um MacBook Air 2020 i3 que além de novo me atendia MUITO bem, mas, sabia que o aparelho iria desvalorizar muito. Estava entre comprar o MacBook Pro M1 ou esperar o MacBook Pro M1 Pro. Porém, quanto mais se aproximava da data de lançamento, tudo indicava que o preço seria exorbitante. Dito e feito. A Apple se tornou uma marca de luxo e voltada para profissionais mais PRO, na minha opinião. Em resumo, antes do lançamento do iPhone 13 eu vendi meu MacBook Air i3 e comprei um Pro M1 com um importador num preço de custo de importação direta, por ser meu amigo. Ainda bem que fiz, porque depois que os intel saíram do site da Apple, o Pro M1 subiu o preço. Eu mesmo uso Macbook porque preciso para trabalho, e, ainda que não fosse o caso, não consigo usar outro aparelho. Mac OS é sem igual, combinado com a praticidade e mobilidade do Macbook e o acabamento premium com a tela top que tem, não consigo mesmo voltar pra outra plataforma. Mas iPhone, por exemplo, eu vendi o meu XR e comprei um S20 num preço indiscutível, e com ele ficarei até meu trabalho exigir um iPhone ou surgir um bom preço, seja por importação ou viagem ao exterior. Porque convenhamos, não tem mais condições. Mesmo você tendo um bom salário, os preços já ultrapassaram o limite da galáxia, e como um bom brasileiro, gosto de valorizar meu dinheiro. Perdi um pouco da integração, mas, com alguns apps e plugins, da forma que eu usava o iPhone, consigo usar perfeitamente o S20. Mas como eu disse, quanto aos Macs, eles me ajudam a ter retorno financeiro. Ainda assim, quando esse M1 Pro estiver finado daqui a muitos bons anos, se os preços continuarem subindo como estão, certamente vou precisar recorrer ao mercado de usados. Como disse o Beto, o Paraguay é uma boa, EUA mesmo nem se fala se você tem familiares ou viaja pra lá. Mas no Brasil, a Apple me perdeu como cliente direto, hehe. Se precisa de um Mac, vai de M1 Air ou Pro enquanto o preço ainda está "acessível" ou mercado de usados. Grande abraço!
    3 pontos
  43. Cara, quanto ao prazo. Tenta entrar em contato, às vezes ele pode ter unidades de desistência que possa encaixar pra ti. É o primeiro que está praticando preços abaixo dos da Apple BR antes do lançamento. Como disse antes, não vejo os preços baixando muito mais que isso. Tem sempre uma galera que lucra com a ansiedade do BR médio que não aguenta esperar 1-2 semanas pelo lançamento oficial. Famoso custo de oportunidade, se tem que pague, tem que venda. Não é o caso aqui.
    3 pontos
  44. Eu me sinto tentado a migrar para o S21 também, e já foram várias as vezes que isso passou pela minha cabeça. Aqui em Floripa tem uma iPlace no shopping e exatamente ao lado uma Samsung Store. Algo que me faz ter o pé atrás com Samsung são as inúmeras experiências ruins que já tive com eles em diversas situações, desde a parte da compra até a parte do suporte. Alguns pontos que me mantém na Apple: - Seja na iPlace ou Apple Store, todos os produtos (do mais simples ao mais top) tem destaque. Não há banners, cartazes ou qualquer tipo de discrepância social (por assim dizer) entre nenhum dos produtos. Você tem a sensação de que pegar um SE ou um 12 Pro Max, ambos serão uma ótima escolha, independente do que difere cada um. Você sabe que independente do aparelho que escolher, vai ter atualização e suporte para ambos, e não será menosprezado pelo preço que pagou no aparelho. Já na Samsung Store você tem os aparelhos de entrada e médios mais de canto, e se dá atenção e destaque somente nos topos de linha, gerando inferioridade e imagem de descuido com os demais aparelhos que não são topo. Não estou generalizando, falei da Samsung ao lado da iPlace mas estou levando em consideração as 5 Samsung Stores que conheci em cidades diferentes. - Atendimento da Apple tanto na hora da compra quanto no pós-venda é muito bom. Há sempre um ou outro que não quer trabalhar. Mas no geral é muito bom, você é acolhido. O sistema e o produto não são perfeitos, tanto que você precisa de suporte para resolver o problema, mas, você se sente acolhido. Já na Samsung, mesmo nos aparelhos topos de linha que tive, boa sorte! Vai precisar. - A Samsung oferece aquelas telas, câmeras e tudo do mais cobiçado em suas propagandas e stands. Mas é um aparelho que depois de 3 ou 4 anos começa a travar e é tão fútil o que se oferece (na minha opinião) que depois de 1 ano o seu S21 já é um aparelho ultrapassado, e perde valor, e você precisa trocar pelo S22 ou ficar com ele até travar e você perder a paciência. Na Apple, teu SE 1 geração ainda recebe atualização, e não fosse a tela pequena (porque em termos de qualidade, definição e brilho é uma boa tela), em grande parte ainda é MUITO útil e competente. Enfim, como eu sempre digo, você paga mais pela experiência do que pelo aparelho. Eu NÃO odeio Samsung, sendo que SEMPRE dei preferência em comprar aparelhos da Samsung antes de pegar qualquer um da Apple, e só peguei tops de linha. São aparelhos incríveis, mas a experiência é insustentável. Desde 2019 não cogitei mais a possibilidade de ter um Samsung, embora admiro o que os aparelhos oferecem, e, sinceramente, por mais perfeito que o aparelho seja, prezo por ser um usuário feliz e bem assistido. Mesmo um iPhone não tendo o hardware de um S21, consegue ser tão competente quanto, provando que com menos, se faz o mesmo ou até mais que um Samsung. Eis o desabafo e realidade de um pobre usuário! Hehehe. Apenas minha opinião. Abraço!
    3 pontos
  45. O que me atrai nos dispositivos da Apple são os sistemas, seja no computador, no smartphone, no tablet, no relógio etc etc. Eu acho estável, acho seguro, fácil de fazer backup, fácil de restaurar em caso de problemas, a Apple costuma ser eficiente para corrigir bugs e falhas. Os usuários de Android costumam achar o iOS "engessado" demais, sem muita (ou qualquer) possibilidade de customização entre a falta de outras funções, mas eu vejo isso como ponto positivo, porque a Apple segue fiel à proposta de manter o sistema confiável. Outra coisa que eu acho boa prática da marca é limitar as possibilidades em relação ao desenvolvimento de apps para os dispositivos, e não só isso, também é muito burocrática e chata em relação aos apps que vão ser publicados na AppStore, pra impedir ao máximo a publicação de qualquer app que possa trazer problemas de qualquer tipo aos usuários, e nesse ponto a diferença para a loja de apps do Android é gritante, descomunal. Como já foi dito também a integração entre os dispositivos da Apple é fantástica. Eu uso no dia a dia AirDrop, HandOff, Continuidade e AirPlay, fora outros serviços como iCloud Drive (que também pode ser utilizado no Windows), Apple Music etc etc etc. Os iPhones também possuem o Activation Lock do iCloud, que funciona diferente do "Google FRP" do Android. Independente do Android, o YouTube está cheio de tutorial de criançada ensinando a desbloquear usando nada além de próprias vulnerabilidades de segurança do sistema. Já o Activation Lock dos iPhones simplesmente NÃO DÁ, nem mesmo dentro de assistência técnica, e que me provem o contrário. E por fim, o atendimento que a Apple dá aos usuários. Pode não ser sempre perfeito, tem seus problemas, mas no geral é um bom atendimento, e eles definiram novos padrões que hoje obrigatoriamente são seguidos por outras empresas que se cansaram de ser comparadas à Apple. O grande problema é o preço praticado no Brasil, que é ridículo, apesar das outras marcas não estarem muito longe no preço dos seus top de linha. Aqui um iPhone top custa 10 salários mínimos, e em outros países vemos pessoas conseguindo adquirir com "menos esforço". Tenho um colega nos EUA que entrega Uber Eats de bike e tá lá bonitão de iPhone 12 Pro e AirPods, sem ter que deixar de comprar comida, rs. A gente sabe que uma pessoa no Brasil com o mesmo serviço não consegue, ou pode até conseguir, mas vai ser mais de ano guardando boa parte do salário. Eu já tive dois Android, um Moto X2 e um S7 Edge, ambos comprados no lançamento, e sinceramente não tive o que reclamar reclamar, mas eu prefiro o iPhone, como eu disse, principalmente pelo iOS. A única reclamação que eu tenho é que os updates de Android não são lançados no mesmo dia para todos os aparelhos como acontece na Apple. Quando meu S7 Edge já tinha lá seus dois anos a Samsung lançava o Android novo pros lançamentos e para os demais "quando der a gente lança", podendo passar MESES até esse update chegar. Como eu disse, na Apple não rola. Em setembro agora lança o iOS 15, tanto para o iPhone de 15 mil reais quanto para o 6S de 16GB, lançado há exatos 6 anos atrás
    3 pontos
  46. camila447

    [Ajuda] Qual iPad comprar?

    Só para atualizar, no final acabamos vendendo um dos laptops aqui de casa e investimos em um iPad 8 novo + Apple Pencil, o que acho que valeu bem a pena
    3 pontos
  47. BetoGaleazzo

    trocar o windows pelo mac?

    Depende. Muitos habitos ruins dos usuarios colaboram pra que a maquina fique lenta (estou partindo da premissa que seu computador atual não esteja com defeito). Se voce tem um computador razoavel, ja com SSD e nao HD, e esta lento como esta dizendo, acho pouco provavel que o problema seja o computador em si ou o sistema operacional. O Windows 10 é um bom sistema, se for bem mantido pelo usuário é também um sistema rápido e estável. Se você tem o costume de instalar qualquer software, mesmo que não vá usar depois, acessa qualquer site, baixa qualquer coisa, não organiza seus arquivos, não há computador e sistema operacional que dê conta. Eu mesmo já peguei Macs pra consertar que estavam super lentos, impossíveis de usar, e que após a reinstalação do sistema viraram outro computador. Os Macs são boas máquinas, na minha opinião o macOS é superior ao Windows quando se trata de gerenciamento de recursos de hardware, mas não significa necessariamente que é à prova de lentidão. A menos que você não esteja querendo convencer alguém a te convencer a comprar um Mac, rs, vale a pena formatar o seu computador, reinstalar o sistema e se atentar aos maus hábitos que comentei acima, se for o seu caso. Pode ser sim que você tenha uma experiência melhor com um Mac, mas eu prefiro jogar a real ao invés de te induzir a fazer um investimento. Se o problema é a lentidão, formate, reinstale o Windows e se apegue a bons hábitos. Se seu computador possui um HD e não um SSD, considere fazer um upgrade, que hoje em dia já é bem acessível, também é outro fator que influencia MUITO no desempenho. Se optar por pegar um Mac, procure já pelos modelos com processador próprio da Apple.
    3 pontos
  48. Com certeza absoluta vale a pena trocar o HD por um SSD. Esse é o principal upgrade pra máquinas que ainda não têm SSD, porque a diferença de velocidade é absurda, e a vira outra máquina. Para o SSD eu geralmente recomendo o Corsair MX500 (não confundir com a série "BX", estes nunca testei). Acredito ser um excelente custo benefício. Memória vai depender do seu uso, se irá colocar 8 ou 16GB, mas marca eu costumo recomendar a linha "Mac Memory" da Corsair. Não tem como errar. Abrs!
    3 pontos
  49. Boa noite pessoal; Permitam-me ressuscitar este tópico porque ele é bacana demais e não merece morrer...😁 Tenho planos de agregar mais Mac's antigos à coleção. Meu próximo alvo é um iMac ou iBook G3. Segue meu setup. iMac G5 iSight 20" - o último PowerPC! - rodando o Leopard (10.5) Time Capsule 3ª geração MacBook Air (early 2014) - rodando Catalina
    3 pontos
Este ranking está baseado em São Paulo/GMT-03:00
×
×
  • Criar Novo...